Béla Lugosi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Béla Lugosi
Bela Lugosi em The Devil Bat (1940)
Nome completo Béla Ferenc Dezsõ Blaskó
Nascimento 20 de Outubro de 1882
Lugoj
Flag of Austria-Hungary (1869-1918).svg Império Austro-Húngaro
Nacionalidade Húngaro
Morte 16 de agosto de 1956 (73 anos)
Los Angeles, Califórnia
 Estados Unidos
Ocupação Ator
Cônjuge Ilona Szmick (1917-1920; divorciado)
Ilona von Montagh (1921-1924; divorciado)
Beatrice Weeks (1929; divorciado)
Lillian Arch (1933-1953; divorciado)
Hope Lininger (1955–1956; sua morte)
Atividade 1901-1956
Página oficial
IMDb: (inglês)


Béla Ferenc Dezsõ Blaskó, mais conhecido como Béla Lugosi, (Lugoj, 20 de Outubro de 1882Los Angeles, 16 de Agosto de 1956) foi um ator húngaro nascido no então Império Austro-Húngaro, na região do Banat.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O mais jovem dos quatro filhos de um banqueiro, Béla Lugosi começou a sua carreira nos palcos da Europa em várias peças de William Shakespeare. Mas no entanto tornou-se famoso pelo seu papel de Drácula numa encenação da clássica história de vampiro de Bram Stoker, e teve como especialidade os filmes de horror.

Béla Lugosi fugiu de casa com 11 anos, abandonou a escola e engajou-se no trabalho de mineração. Na adolescência começou a atuar em pequenas companhias teatrais. O caminho mais comum o guiou do teatro para o cinema mudo húngaro, atuando com o nome artístico de Arisztid Olt. Porém, teve que interromper seu início de atividades no cinema graças à Primeira Guerra Mundial. Há boatos de que ele tenha sido ferido três vezes, assim causando sua futura dependência em morfina para aliviar as dores que seguiram por sua vida inteira. Há também uma versão que diz que ele conseguiu ser liberado do serviço se passando por louco.

Ao ser liberado do serviço militar, teve uma vida conturbada. Fez cerca de 12 filmes, casou-se pela primeira de cinco vezes e saiu da Hungria por conta das suas opiniões políticas. Ele se refugiou na Alemanha, mas passou pouco tempo no país e foi para o país onde conseguiu alcançar a fama: os Estados Unidos. Béla participou do teatro na comunidade húngaro-americana, e após algum tempo ganhou a oportunidade de interpretar Drácula numa adaptação teatral escrita por John Balderston.

Sua interpretação única e assustadora nesta peça foi que abriu as portas para seu estrelato no cinema. O diretor Tod Browing descobriu e o chamou para interpretar o vampiro em sua versão cinematográfica de Drácula. Este papel deu estrelato a Lugosi, mas ao mesmo tempo o marcou como "um ator de um só papel".

Béla Lugosi como Dracula, papel que marcou sua carreira

Béla fez vários outros filmes de horror, como também de outros gêneros. Dentre os de horror, merecem destaque Murders in the Rue Morgue, The Raven, Mark of Vampire, dentre outros. Porém, o ator não conseguiu estabilidade no cinema, e passou a partir de meados da década de 30 a atuar em filmes baratos. Ainda conseguiu papéis bons como em Son of Frankenstein, The Ghost of Frankenstein, The Corpse Vanishes, etc... Porém, estereotipado como "Drácula", e seguindo o mesmo declínio do gênero na década de 40, no qual os monstros clássicos protagonizavam filmes em que se enfrentavam ou comédias, Bela ficou desempregado.

Foi descoberto por Ed Wood, que gravou alguns filmes com Bela (inclusive Ed Wood arcou com vários custos de internação de Bela, consumido pelo vício em morfina).

O último filme de Béla Lugosi foi Plan 9 from Outer Space, de Ed Wood. Porém, Bela filmou somente uma semana, falecendo no dia 16 de agosto de 1956. Bela foi sepultado com o traje de Drácula a pedido do seu filho e da sua quarta esposa, no cemitério de Holy Cross na cidade de Culver City, na Califórnia. Contrariando a crença popular, Lugosi nunca teria pedido para ser sepultado com o traje tendo deixado essa decisão ao filho e à esposa; Béla Lugosi Jr. confirmaria em várias ocasiões que ele e a sua mãe teriam tomado a decisão.

O Horror perdia assim um de seus maiores ícones.

Mas Bela Lugosi continua vivo na memória dos fãs do gênero, tendo sido interpretado por Martin Landau, ganhador do Oscar por este papel, no filme "Ed Wood" de Tim Burton.

Legado[editar | editar código-fonte]

Estrela de Bela Lugosi na Hollywood Walk of Fame at 6340 Hollywood Blvd.

Estrela no Hollywood Walk of Fame.

Uma estátua de Lugosi pode ser vista hoje em um dos cantos do Castelo Vajdahunyad em Budapeste.

A capa que Lugosi usou no filme Dracula sobrevive ainda hoje na posse da Universal Studios.

Em 1963, Andy Warhol fez uma pintura de telas de seda com imagens de Lugosi de um filme de Drácula. A pintura está na coleção do Museu Boijmans van Beuningen.

Três projetos de Lugosi foram destaque no programa de televisão Mystery Science Theater 3000. The Corpse Vanishes apareceu no episódio 105, a série The Phantom Creeps por toda a segunda temporada e a produção de Ed Wood Bride of the Monster no episódio 423.

Um episódio de Sledge Hammer intitulado "Last of the Red Hot Vampires" foi uma homenagem a Béla Lugosi, no final do episódio, que foi dedicado ao "Sr. Blasko".

Bauhaus, uma banda de rock formada em Northampton em 1978, escreveu uma canção intitulada Bela Lugosi's Dead, lançado em agosto de 1979, e é muitas vezes considerado o primeiro disco de rock gótico

"Ed Wood", filme de 1994, dirigido por Tim Burton mostra a relação do diretor que dá título ao longa com Bela Lugosi, vivido por Martin Landau, que acabou ganhando no ano seguinte o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por sua interpretação.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.