Canadian Airlines

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Canadian Airlines logo.png
Canadian Airlines
IATA
CP
ICAO
CDN
Indicativo de chamada
Canadian
Fundada em 1987
Principais centros
de operações
Aeroporto Internacional de Calgary
Aeroporto Internacional Pierre Elliott Trudeau
Aeroporto Internacional Toronto Pearson
Aeroporto Internacional de Vancouver
Programa de milhagem Canadian Plus
Serviço VIP Empress Lounge
Frota 163 aeronaves
Destinos 160 em 17 localidades
Companhia
administradora
Canadian Airlines Corporation
Sede Calgary, Alberta
Pessoas importantes Kevin Benson (Presidente e CEO)
Canadian Airlines2.jpg

A Canadian Pacific Air Lines foi uma empresa aérea canadense, fundada em 16 de maio de 1942, e que operou vôos regulares até o mês de janeiro de 2000.

História[editar | editar código-fonte]

A partir do ano de 1948, recebeu a concessão para realizar vôos internacionais, a primeira rota autorizada fora Vancouver-Sydney com escalas em Honolulu, Ilhas Fiji e Auckland. Este primeiro vôo foi realizado em 13 de julho de 1949 com um Canadair DC-4.

Apenas 10, anos depois a empresa obteve a autorização para iniciar vôos domésticos de costa a costa, em concorrência direta com a TCA(atualmente Air Canada), ligando Vancouver a Montreal, com escalas em Winnipeg e Toronto.

Entre os anos de 1968 e 1987, a empresa passou a adotar o nome de Canadian Pacific Air.

Em 1974 o governo da província de Alberta comprou 97% da empresa.

Em 1987, uma outra companhia aérea, a Pacific Western, adquiriu o controle da Canadian Pacific Air, e promoveu uma fusão entre as duas, e adotou o nome de Canadian Airlines International. No ano seguinte, a Wardair Canada foi comprada pela Canadian, aumentando ainda mais a participação da nova empresa no mercado internacional.

Problemas financeiros[editar | editar código-fonte]

Entre 1991 e 1994, a Canadian Airlines enxugou sua máquina administrativa, reduziu custos, padronizou suas operações e ainda conseguiu um acordo com de ajuda financeira com a AMR(empresa controladora da American Airlines).

A proximidade com a American Airlines a levou filiação à aliança OneWorld, em 1998, aumentado as operações da empresa. Ainda assim, a situação financeira da empresa não boa.

Venda da Companhia[editar | editar código-fonte]

Em 1999, o governo canadense desregulamentou parcialmente a aviação civil, permitindo a consolidação de algumas empresas. Vislumbrando a possibilidade de monopolizar o mercado canadense, a Onex, uma empresa de investimentos local e apoiada pela American Airlines, fez proposta para a compra da Air Canada e posterior fusão com a Canadian Airlines, porém questões jurídicas impediram o prosseguimento das negociações.

Em seguida, a Air Canada ofereceu uma proposta de compra da Canadian, que acumulava anos de resultados negativos. Os controladores da Canadian acabaram concordando com a venda de 82% da empresa para a Air Canada. Em janeiro de 2000, a Canadian Airlines, tendo, aos poucos, sua imagem corporativa apagada, dando lugar a concorrente.

Frota[editar | editar código-fonte]

No período da aquisição pela Air Canada, a companhia operava uma frota de 163 aviões.