Canarinho (humorista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Canarinho
Nome completo Aloísio Ferreira Gomes
Nascimento 29 de dezembro de 1927
bandeira do município de Salvador Salvador, BA
Morte 21 de março de 2014 (86 anos)
bandeira do município de Mogi das Cruzes Mogi das Cruzes, SP
Ocupação Ator, humorista, músico, diretor, radialista e repórter
Página oficial
IMDb: (inglês)

Canarinho, nome artístico de Aloísio Ferreira Gomes (Salvador, 29 de dezembro de 1927Mogi das Cruzes, 21 de março de 2014) foi um humorista brasileiro, conhecido por suas participações no programa A Praça é Nossa. Antes mesmo de participar do humorístico, porém, tinha sido apresentador do programa Clube dos Artistas (1950-1951).[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Gonçalo Gomes e Luzia Ferreira Gomes.

Em 1947 já era cantor profissional, cantando na Rádio Excelsior da Bahia.

Chegou à cidade de São Paulo em dezembro de 1955 com o Conjunto de samba do Internacional Russo do Pandeiro.

Canarinho foi colunista de esportes do jornal Folha da Manhã e ganhou notoriedade ao participar do programa humorístico denominado Praça da Alegria no ano de 1956, tornando-se um comediante instantâneo.

Após sair do programa, começou a fazer shows humorísticos. Logo em seguida, tornou-se um dos participantes do programa Praça Brasil. Participou também da primeira versão da série Sítio do Picapau Amarelo, exibida pela Rede Globo nos fins dos anos 70 e até meados dos anos 80, onde interpretava o personagem "Garnizé", fazendo parceria com Tonico Pereira, que interpretava o personagem "Zé Carneiro".

Com o início da nova versão do programa Praça Brasil no SBT, denominado A Praça é Nossa, Canarinho interpretou um telefonista que atende as pessoas necessitadas com um celular, e durante muito tempo, com telefone público junto com o ator e comediante Carlos Koppa. Interpretou também o personagem Boneco.

Na década de 2000, Canarinho foi afastado do humorístico A Praça é Nossa. Entretanto, logo após o ocorrido, continuou no elenco do programa, por meio de shows de humor, mesmo que ele não se mostrasse presente nos estúdios do SBT para fazer o papel de telefonista no programa humorístico.

Em 2003, voltou a participar do programa nos estúdios da emissora de Silvio Santos, provando, na opinião de alguns, que o seu suposto afastamento foi mais um ato de marketing do referido humorístico.

Afastado por problemas de saúde, ele não atuava com tanta frequência no programa humorístico. Suas últimas interpretações foram em 2013, quando deu vida ao pai de santo Pai Peroba.[2]

Canarinho morreu de infarto agudo do miocárdio, no Hospital Santana, em Mogi das Cruzes, onde estava internado havia cinco dias.[3] O corpo foi cremado no dia seguinte, no Crematório da Vila Alpina, em São Paulo.[4]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Filme Autor
1962 As Testemunhas Não Condenam Zélia Feijó Costa
1967 A Desforra Gino Palmisano
1970 Sábado Alucinante Cláudio Cunha
1971 Diabólicos Herdeiros Geraldo Vietri
1971 Meu Pedacinho de Chão Benedito Ruy Barbosa/Teixeira Filho
1972 Jerônimo, o Herói do Sertão Moysés Weltman
1975 O Dia em que o Santo Pecou Cláudio Cunha
1975 Bacalhau Adriano Stuart
1976 Guerra é Guerra Alfredo Palácios
1977 Costinha e o King Mong Alcino Diniz
1977 Snuff, Vítimas do Prazer Cláudio Cunha
1978 Maneco, o Super Tio Flávio Migliaccio
1979 Nos Tempos da Vaselina José Miziara
1979 A Dama da Zona Ody Fraga
1982 Tem Piranha no Aquário Vital Filho

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre humoristas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.