Chá mate

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um copo de mate cocido na Argentina

O chá-mate[1] (mate cocido, em espanhol) é uma infusão típica das gastronomias do Cone Sul da América do Sul. É preparado colocando-se erva-mate tostada em infusão com água quente, ou fervendo a erva-mate tostada em água. Coa-se e serve-se em xícaras. Pode-se, também, esperar esfriar e servi-lo gelado.

É uma bebida de sabor amargo, similar ao chimarrão, porém mais suave, com as mesmas propriedades estimulantes e nutricionais deste. O chá-mate é comercializado já pronto, em latas ou garrafas; sob a forma da erva-mate tostada, em pacotes ou saquinhos, como o chá comum; ou em forma solúvel, em pó ou extrato. Pode ser adoçado com açúcar ou outro edulcorante e consumido com leite ou suco de limão.

Marcas alemãs de chá-mate

Elaboração[editar | editar código-fonte]

A elaboração do chá-mate em saquinhos é praticamente igual à da erva-mate comum, utilizada na preparação do chimarrão, com a diferença de que, em sua moagem, são eliminados o pó e os ramos (paus ou palos), beneficiando-se somente as folhas de erva-mate.[2]

Consumo[editar | editar código-fonte]

Consumido por todas as classes sociais por ter altos valores nutritivos (especialmente quando adoçado com açúcar ou servido com leite), o chá-mate é servido como desjejum nas escolas argentinas desde o início do século XIX. O chá-mate é, oficialmente, patrimônio cultural e imaterial da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil: nas praias dessa cidade, é, tradicionalmente, vendido em galões, gelado e com suco de limão, por vendedores ambulantes vestidos com roupas de cor laranja.[3]

Chá-mate vendido no Japão

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. 2008. p. 295.
  2. Establecimiento Las Marías - Elaboración del mate cocido
  3. Blog do JJ. Disponível em http://www.blogdojj.com.br/2012/03/05/ambulantes-de-mate-biscoito-e-limonada-sao-patrimonio-cultural-do-rio/. Acesso em 8 de agosto de 2014.