Cinco pilares do Islamismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cinco pilares do islão)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Os cinco pilares do Islamismo (em árabe أركان الإسلام) é o nome dado aos cinco principais atos exigidos do Islamismo, sendo que este termo não é usado no islamismo xiita.

Os cinco pilares são:

  • Professar e aceitar o credo (Chahada ou Shahada);
  • Orar cinco vezes ao longo do dia (Salá, Salat ou Salah);
  • Pagar dádivas rituais (Zakat ou Zakah);
  • Observar as obrigações do Ramadão (Saum ou Siyam);
  • Fazer a peregrinação a Meca (Hajj ou Haj).

A shahada[editar | editar código-fonte]

A shahada é uma declaração através da qual o muçulmano atesta que "Não há outro Deus para além de Allah e Muhammad é o seu mensageiro". Em contextos ocidentais, a shahada é por vezes chamada de "credo", mas esta frase nunca foi alvo de um debate teológico controverso e não resulta de uma elaboração doutrinal, como sucedeu no Cristianismo com o "Credo de Niceia".

Salat[editar | editar código-fonte]

Os muçulmanos devem realizar cinco orações diárias:

  • Ao alvorecer;
  • Depois do meio-dia;
  • Entre o meio-dia e o pôr-do-sol;
  • Logo após o pôr-do-sol;
  • Aproximadamente uma hora após o pôr-do-sol.

Os muçulmanos podem realizar estas orações em qualquer local, desde que este seja um local limpo. É obrigatório virar-se no sentido da cidade de Meca para realizar as orações.

Antes da oração, o crente prepara-se através de abluções, realizadas com água (ou com areia caso não exista água). As partes que são lavadas são: o rosto, os braços, a cabeça e os pés até aos tornozelos.

As orações devem ser ditas na língua árabe, mesmo que a pessoa não conheça o idioma.

Saum[editar | editar código-fonte]

Durante o mês do Ramadão, os muçulmanos abstêm-se de comida, de bebida, de fumar, de relações sexuais ou de pensamentos negativos durante o período que decorre entre o amanhecer até ao pôr-do-sol. As pessoas idosas, os doentes e as mulheres grávidas estão dispensadas deste jejum, mas devem realizá-lo noutra altura ou então alimentar pobres durante um período de dias correspondente aos dias que faltaram ao jejum. As crianças também não realizam o jejum. A primeira vez que um muçulmano realiza o jejum funciona como uma espécie de ritual de entrada na vida adulta comparável ao B'nai Mitzvá no judaísmo.

Zakat[editar | editar código-fonte]

A palavra zakat significa purificação e crescimento. Cada muçulmano deve calcular anualmente a sua zakat, que em geral corresponde a 2,5% dos seus rendimentos. As pessoas pobres não precisam pagar zakat, visto que um dos objetivos deste dever religioso é precisamente ajudar os mais pobres. No passado a maior parte dos países muçulmanos cobravam a zakat, mas a prática foi abandonada.

Hajj, a peregrinação à Meca[editar | editar código-fonte]

Todos os muçulmanos que tenham capacidade financeira e de saúde devem realizar uma vez na sua vida uma peregrinação à cidade de Meca durante o mês de Dhu al-Hija. Se a peregrinação for realizada noutro mês do calendário islâmico, é considerada um ato positivo, mas não corresponde e nem dispensa o Hajj. Em Meca os muçulmanos realizam uma série de rituais, como dar voltas em torno da Kaaba.