Cinzas (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cinzas foi uma telenovela portuguesa, transmitida na RTP1 entre 14 de Setembro de 1992 e 9 de Abril de 1993, às 19 horas. É da autoria de Francisco Nicholson[1] . Foi a primeira «Telenovela das Sete» da RTP1 exibida neste horário.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A família Veiga vivia na paz dos anjos protegida por Todos os Santos- o nome da herdade que possui no Ribatejo- quando o Pinhal de S. Torcato arde fazendo sair do meio das Cinzas, no rescaldo do incêndio, surge, inesperadamente, um esqueleto. Soltam-se assim todos os esqueletos do armário de segredos que se julgavam esquecidos pelo passado. Rui Veiga (Armando Cortez), o dono da propriedade fica em estado de choque. A família com interesses nos sectores das pescas precisa como que de pão para a boca de milhões para manter activos os barcos para evitar irem ao fundo na guerra da CEE, mas a descoberta de um misterioso cadáver ameaça roer-lhe os financiamentos e desnudar-lhe o passado até aos ossos... Rui Veiga, homem na casa dos 70 anos, viúvo, possui uma das mais sólidas fortunas deste país, assenta numa rara sagacidade e capacidade de adaptação a todas as transformações sociais, permitindo-lhe estar sempre de bem com Deus e com o Demónio. Os seus múltiplos interesses espalham-se por várias regiões, apoiado, em Lisboa pelo seu filho mais velho, Carlos (André Gago), que assegura a gestão das suas empresas de pesca e transitários, a Veimar S.A., enquanto para as suas propriedades rurais conta com o entusiasmo do seu filho mais novo, Pedro (Ricardo Carriço), engenheiro agrónomo recém-licenciado, cavaleiro tauromáquico a caminho do primeiro plano. Porém, a sua filha Matilde (Maria João Luís) causa-lhe grandes preocupações, pelas contínuas e imprevistas alterações de humor causadas pela sua neurose depressiva, situação agravada por um casamento infeliz e turbulento, com Jaime Abreu (Júlio César), filho de um pequeno industrial de província, ex-estudante de Coimbra, viciado no jogo, boémio mulherengo e encostado à fortuna do sogro, na expectativa da herança da mulher. Nas suas vindas a Lisboa, Rui Veiga mantinha uma ligação com Mariana Antunes (Helena Isabel), ex-recepcionista no hotel em que ele se hospedava, e dela nasceu um filho, Jorge Antunes (Alexandre Veiga), cuja educação e subsistência o pai sempre apoiou, eficaz mas discretamente. Como é óbvio, estas e todas as outras relações e implicações à volta da figura de Rui Veiga são fios de uma teia que se irá enredando ao longo da história em que tudo vai arder e ser transformado em cinzas. Bem de perto, Amílcar Santos (António Montez), homem boçal e com contas por saldar com Rui Veiga, cuja história é conhecida pela sua esposa, Odete Santos (Manuela Maria), vê uma oportunidade de ouro para concretizar a vingança: o amor da filha Anabela (Helena Laureano) por Carlos, situação que cheira a esturro... Não esquecendo a familiar de Rui Veiga, a Senhora Dona Maria Antónia (Mariana Rey Monteiro), prima de Rui Veiga residida na Austrália que vem de regresso a Portugal, a quem Rui Veiga vem pedir ajuda financeira por causa da Veimar, devido às aldrabices e crimes que se vão sucedendo durante o desenrolar da telenovela, chamando Laura (Magda Cardoso) e o seu filho Jhon (João Grosso) para investigar a segurança do investimento na empresa. Afonso, mais conhecido por SECURAS (Nicolau Breyner), é dono de uma tasca e tem bons amigos, cuja maioria trabalha na casa de Rui Veiga: a Ana Botica (Anna Paula), o seu marido Joaquim Botica (Morais e Castro), o seu filho Luís Botica (Fernando Mendes), cuidador de cavalos de Pedro e seu fidelíssimo amigo, que tem uma paixoneta pela criada de Rui Veiga , a Amélia (Rosa do Canto), cuja paixoneta vem complicar a vida dos dois, o Cabo Ramalho (Camacho Costa) e o agente Tadeu Dias (José Raposo). João Eduardo Amaral, mais conhecido por João Ribatejano (Rui Mendes), propietário de um restaurante, tem a sua esposa, a Alice Amaral (Márcia Breia), e uma filha, a Sofia Amaral (Julie Sergeant), que se vem a apaixonar por Pedro, mas encontra um obstáculo, a jornalista da RTP, a Marta Ferraz (Sofia Sá da Bandeira), e com a descoberta do passado de SECURAS e a morte de Severino e Romão (Rui Luís), e os crimes feitos por Silvestre Sequeira (Eduardo Viana), a mando de Amílcar, as coisas vem-se a complicar!

Final[editar | editar código-fonte]

Descobre-se a verdade de que João Eduardo Amaral é irmão de Rui Veiga e que Rui Veiga falsificou o testamento de seu pai para ficar com a Veimar, o Pinhal de São Torcato e a Herdade de Todos-os-Santos, e que as cartas que o seu pai escreveu a João Eduardo não chegavam ao seu destino, que era África, quando este estava na Guerra do Ultramar, fazendo acreditar a Raimundo Amaral (Luís Santos) que João Eduardo tinha morrido. A única que sabia a verdade era a mãe de Matilde, que veio a aparecer a Matilde, para ela divulgar esta verdade. Jaime é preso pelas aldrabices feitas na Veimar, e na cadeia confessa a Matilde que sabia que ela tinha pegado fogo ao Pinhal de São Torcato, encontrando o seu anel no meio das cinzas, mas não disse nada e assumiu a própria culpa por amor a ela. SECURAS tinha morto Romão por este ter morto Severino mas nunca se veio a saber. A Veimar é desfalcada por Carlos, pois este tinha de pagar uma grande dívida e fugiu para o Brasil para não ser apanhado. Pedro é baleado, por engano, pelos cobradores de Carlos e fica quase á beira da morte, mas com a sua coragem e determinação, consegue curar-se. Rui apresentou queixa mas por imposição de Anabela e Maria Antónia foi obrigado a retirá-la. Ana, quando sabe que Amélia está grávida de Luís, provoca o despedimento da criada de Rui Veiga. Descobre-se que Jorge é filho bastardo do Rui, e este vem a saber de tal no dia do falecimento de Rui, e que Luís é filho de Ana e bastardo de Rui, e por isso Joaquim nunca se separou de Ana. Odete reencontra SECURAS e liberta-o de uma jura que ele fez em África, para Amílcar nunca ir para a cadeia por denúncia, coisa que ele já tinha feito antes. Amílcar reencontra-o e tenta matá-lo, mas Afonso é salvo pelo Choné, pelo Cabo Ramalho e pelo Tadeu. Assim, Odete depois de tanto sofrimento decide separar-se de Amílcar e este começa a viver com a sua secretária Milú (Ana Bastos) e com uma contratada de Odete, a Kika (Rita Loureiro) que afinal é polícia enviada para apanhar Amílcar. Luís casa-se com a criada Amélia e o guarda Agente Tadeu Dias casa-se também no mesmo dia. Ana enlouquece e fica ao pé de Rui durante o seu falecimento, recusando se a ir ao casamento do filho, e separando-se para sempre de Joaquim. Assim, Rui não consegue aguentar a falência da Veimar e morre nos braços de Ana. SECURAS reencontra Maria Antónia depois de tanto tempo de afastamento por causa dela ter ido a Austrália e ter abandonado Afonso. 'Este decide não ficar com ela e nunca a perdoa por ela o ter abandonado. UM ANO DEPOIS... tudo já está esquecido! Pedro casa-se com Marta e vivem felizes. Para salvar a vida da Veimar, Jhon, sabendo que com a morte de Rui não adiantaria mais hesitações, compra o Pinhal de São Torcato e a Herdade de Todos-os-Santos e o dinheiro vai directamente para os cofres da Veimar. Carlos continua a chefiar a empresa mas fica sózinho e mulherengo com a secretária Mariana e esquece Anabela que casa-se com Jhon, depois de Carlos a ter traído com Cátia (Alexandra Pimentel). SECURAS fica sózinho, entregando a chefia da tasca a Choné, á Tia Gracinda, ao Luís e á sua esposa Amélia que já é mãe, e vai vagueando por aí... Assim termina a história de Rui Veiga, um homem que queria ser dono do mundo e morre com o seu mundo a esvaír-se em CINZAS, CINZAS, CINZAS...

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • 1ª Novela da era NBP.
  • Uma boa história, um grande elenco e qualidade técnica que fizeram de Cinzas uma boa novela, com relativo sucesso.
  • Elenco de astros veteranos com destaque para Armando Cortez, Márcia Breia, Rui Mendes, Anna Paula, Manuela Maria, Mariana Rey Monteiro e, claro, Nicolau Breyner.
  • O protagonista, Securas, interpretado por Nicolau, foi uma atracção à parte. A grande interpretação de Nicolau Breyner rendeu lhe o melhor papel da novela e o seu melhor trabalho em televisão.
  • Vários foram os actores jovens a revelarem-se nesta novela. Helena Laureano, Sofia Sá da Bandeira, Ricardo Carriço, Julie Sergeant, Sofia Nicholson, entre outros. Viriam a ter carreiras sólidas no mundo da representação.
  • Fernando Mendes fez um Luís de forma inusitada. Habituado a teatro, revista e, essencialmente, comédia, Fernando Mendes acabou com uma boa performance. e a dobradinha com Rosa do Canto foi bem conseguida.
  • Maria João Luís. com a desequilibrada Matilde, teve uma grande interpretação. A contra-cena com Júlio César - Jaime - rendeu momentos altos na novela e arrancou o aplauso para os dois actores.
  • A novela foi bem conseguida, bem guiada, contando com 130 capítulos o que normal naquela época e que deu agilidade e ritmo, não caindo no puro momento morto. Francisco Nicholson provou todo o seu potencial como autor.
  • A novela foi reapresentada na RTP, em 1995. A reapresentação iniciou se às 18 horas, mas quando a RTP1 começou a reexibir telenovelas brasileiras às 18 horas com a reexibição de Pantanal (telenovela), esta telenovela depressa passou para as 10 da manhã, onde se manteve.
  • Sofia Nicholson participava pela segunda vez numa telenovela (a primeira fora em 1983, na telenovela Origens), tendo desta vez um papel com mais destaque (em Origens, tivera apenas uma pequena participação).
  • Tendo sido algumas vezes repetida, Cinzas foi emitida na RTP Memória nestas datas: Em 2008 no horário das 19 horas; entre 16 de Novembro de 2011 e 2 de Março de 2012, no horário das 17 horas ;
  • Quando a novela foi exibida na RTP1 tinha 130 episódios e durava meia hora e na RTP Memória foi exibida em 65 episódios de uma hora.

Referências

  1. Uma telenovela tipicamente portuguesa. Página visitada em 26/11/12.