Maria João Luís

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Maria João Correia Luís[1] (n. Vila Franca de Xira, 30 de Dezembro de 1964) é uma actriz portuguesa.

Após interpretar a sofrida mulher Alice Soares em Sedução, a actriz esteve sondada para o elenco da próxima novela da estação de Queluz, com o nome provisório de Doce Tentação. A novela é da autora Sandra Santos, a mesma autora de outros grandes êxitos da TVI. Por curiosidade, Maria João Luís integrou duas produções da autoria de Sandra Santos, Doce Fugitiva e Feitiço de Amor.

A autora também assinou o último grande êxito de Queluz, Espírito Indomável. Maria João Luís dará vida a Antónia.

Família[editar | editar código-fonte]

É casada com Pedro Domingos, com quem tem três filhos: Jaime, Artur e Lucas.

Teatro[editar | editar código-fonte]

Iniciou-se em 1985 n' A Barraca, sob a direcção de Hélder Costa. Trabalhou depois no Teatro da Casa da Comédia, ACARTE, Teatro da Malaposta, Comuna - Teatro de Pesquisa. No Teatro da Cornucópia foi dirigida por Luís Miguel Cintra em A Comédia de Rubena, de Gil Vicente, Tito Andrónico, de Shakespeare e Um Homem é um Homem, de Bertolt Brecht; por Adriano Luz em Antes Que a Noite Venha, de Eduarda Dionísio. Recentemente interpretou nos Artistas Unidos a peça de Antonio Tarantino, Stabat Mater, numa encenação de Silva Melo, valendo-lhe o Prémio da Crítica da Associação dos Críticos de Teatro de 2006.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Participou, no cinema, em filmes de Fernando Matos Silva, Teresa Villaverde, João Botelho, Jorge Cramez e José Nascimento, sendo a sua mais recente participação em A Outra Margem de Luís Filipe Rocha (2007).

Recebeu, em 2003, o Prémio de Melhor Actriz no Festival de Curtas Metragens de Badajoz, com o filme Crónica Feminina, de Gonçalo C. Luz (2002).

Dobragens[editar | editar código-fonte]

Voz Off[editar | editar código-fonte]

Para além de alguns trabalhos publicitários, a sua voz foi durante 10 anos (1992 a 2002) a voz oficial de sistema da Telecel em vários serviços IVR (Voice mail, Apoio a clientes, etc.)

Referências

  1. Lista de associados da Audiogest (em português) Actividades Culturais / Ministério da Cultura (25 de Julho de 2007). Página visitada em 24 de Dezembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Maria João Luís no IMDB