Consumidor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
O perfil do consumidor é influenciado pelo marketing dos produtos.

Em economia, consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire algum produto ou serviço para seu consumo.

Sinônimo[editar | editar código-fonte]

Cliente é o que tem acesso a várias opções de escolha de qualquer produto. É toda e qualquer pessoa que visita ou somente procura a empresa com algum interesse em adquirir produtos ou serviços no momento presente ou futuro.

Partindo da definição de Juran (1991), que apresenta cliente como qualquer pessoa que seja impactada pelo produto ou processo, pode-se afirmar que o cliente é qualquer pessoa que participe do processo, desde a sua concepção até o seu consumo.

É comum o jargão de que "o cliente é rei". Importante que seja, mas não só como retórica para atraí-los; é essencial uma estrutura de produção de serviços compatível com as necessidades identificadas, pois a cortesia não sustentará por muito tempo serviços sem qualidade. O cliente é a pessoa que recebe os produtos resultantes de um processo no intuito de satisfazer suas necessidades e de cuja aceitação depende a sobrevivência de quem os fornece.( Lobos, 1991:18).

Comportamento dos consumidores[editar | editar código-fonte]

Variáveis que influenciam o comportamento dos consumidores[editar | editar código-fonte]

Variáveis explicativas individuais[editar | editar código-fonte]

a) Necessidades necessitadas

b) Motivações estremas

c) Atitudes imprenssionantes

Características permanentes dos indivíduos[editar | editar código-fonte]

a) Personalidade

b) Imagem de si próprio

c) Estilo de vida

Variáveis explicativas sociológicas e psicológicas[editar | editar código-fonte]

a) Grupo

b) Classe social

c) Variáveis culturais

d) Família da pesada

Modelos de consumo[editar | editar código-fonte]

Nicósia (1966) - apresentou um modelo limitado à análise da influência da publicidade sobre os consumidores.

O consumo segundo o autor é estruturado em quatro campos:

1- Tratamento da mensagem.

2- Comparação com as informações memorizadas sobre outros produtos e situação actual.

3- Tomada de decisão a partir da motivação iniciada na fase 2 e que leva o sujeito a comprar.

4- Feedback resultante entre a compra e a utilização do produto, feedback esse que origina e reforça a aprendizagem.

Howard e Sheth (1969) - com uma base cognitivista, procuraram explicar a escolha das marcas. Sendo que esse processo é dividido em duas etapas e a dinâmica da aprendizagem é a base da formalização dos diferentes níveis de complexidade que caracteriza a resolução, aos quais o consumidor deve fazer face.

Estas etapas são :

  • Perceptual
  • Aprendizagem de vendas

A fase perceptual articula-se à volta de 3 conceitos: - sensibilidade à informação - selecção e filtragem da informação - procura activa da informação

A fase da aprendizagem compõem-se da integracção: - das motivações individuais, - do conjunto de marcas evocadas, - dos critérios de escolha, - da confiança, - da satisfação obtida.

Engel, Kollat & Blackwell ( 1973) - elaboraram o modelo conhecido por EKB, que é composto por 4 módulos:

1- Estímulo marketing

2- Tratamento da informação

3- Processo de decisão

4- Variáveis que influenciam a decisão

Mcguire - O seu modelo dá ênfase ao tratamento da informação, defendendo que a informação sofre um tratamento sequencial, apoiado em 5 etapas.

1- Exposição

2- Atenção

3- Compreensão

4- Aceitação

5- Retenção

Enfatiza igualmente o processo de tomada de decisão, em que a mesma é processada por 5 fases.

1- Reconhecimento do problema

2- Procura de informação

3- Avaliação de alternativas

4- Escolha

5- Análise pós-venda

Referências

  • Barracho, Carlos. Lições de Psicologia Económica. Lisboa: Instituto Piaget, 2001. ISBN 9789727714803.
  • LINDON D., LENDREVIE J., LÉVY J., DIONÍSIO P., RODRIGUES J., Mercator XXI, Teoria e prática do Marketing, 12.ª edição, Dom Quixote, Lisboa, 2009

Ver também[editar | editar código-fonte]