Corrente (Piauí)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Corrente
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 1872
Gentílico correntino ou correntense
Prefeito(a) Jesualdo Cavalcanti Barros (PTB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Corrente
Localização de Corrente no Piauí
Corrente está localizado em: Brasil
Corrente
Localização de Corrente no Brasil
10° 26' 34" S 45° 09' 43" O10° 26' 34" S 45° 09' 43" O
Unidade federativa  Piauí
Mesorregião Sudoeste Piauiense IBGE/2008 [1]
Microrregião Chapadas do Extremo Sul Piauiense IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Riacho Frio, São Gonçalo do Gurguéia, Parnaguá, Sebastião Barros, Cristalândia do Piauí, Formosa do Rio Preto
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 3 051,161 km² [2]
População 25 927 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 8,5 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,679 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 94 413,045 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 743,13 IBGE/2008[5]
Página oficial

Corrente é um município brasileiro do estado do Piauí. Localiza-se à latitude de 10º26'36" sul e à longitude de 45º09'44" oeste, com altitude de 438 metros. Sua população de acordo com o censo de 2010 é de 25.407 habitantes, com 60% de sua população em área urbana. Encontra-se a 864 km da capital do estado (Teresina). Possui uma área de 3045,9 km².

História[editar | editar código-fonte]

Até os dias de hoje, os moradores de Corrente, a 864 quilômetros de Teresina, têm mais contato com a população baiana que vive nas cidades que fazem divisa com o município. A organização da Igreja Batista, em 1904, e do Instituto Batista Correntino pelo pastor e professor Augusto Carlos Fernandes, em 1920, impulsionou o desenvolvimento educacional e cultural da região. A disputa pela hegemonia entre os Protestantes Batistas e a Igreja Católica proporcionou à população da região acesso a escolas confessionais (além das escolas públicas estaduais), com consequente melhoria dos índices de alfabetização e desenvolvimento cultural. Além disso, a natural troca de experiências culturais entre os missionários protestantes estadunidenses e o povo local gestou uma cultura própria no sul – rica e diversificada em muitos aspectos sociológicos. Ainda que predomine a tradição ibérica, patriarcal e patrimonialista nordestina, há traços de influências de outras culturas (notadamente a estadunidense), com suas práticas, costumes, ritos e códigos.

O município também é dotado de belezas naturais. Possui campos de pastagens e é banhado pelo Rio Corrente, Rio Paraim,vários riachos e riachões. É também porta de entrada para as nascentes do Rio Parnaíba.

Aspectos geográficos[editar | editar código-fonte]

Área: 3.045,92 km²

Distância da capital: 864 km

Clima:

  • Temperatura média: 25 °C

Aspectos sociais[editar | editar código-fonte]

Estatística:

  • População urbana: 15.693
  • População rural: 9.714
  • População total: 25.407 (Censo de 2010)
  • =Eventos=*
  • Padroeira Nossa Senhora da Conceição - Dezembro
  • Exposição Agropecuária - Julho
  • Marcha Para JESUS - Maio
  1. REDIRECIONAMENTO

Aspectos econômicos[editar | editar código-fonte]

Agricultura:

Pecuária:

Expressiva tradição pecuária, com forte presença da raça zebuína Nelore, sobretudo a partir de fins da década de 50. A microrregião de Corrente e seus municípios vizinhos constituem o maior polo pecuário do Piauí, com destacados criadores da raça Nelore.

Faculdades e universidades[editar | editar código-fonte]

UAB-Universidade Aberta do Brasil

UESPI-Universidade Estadual do Piauí

FCP-Faculdade do Cerrado

IFPI-Instituto Federal do Piauí

[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013. Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2013). Página visitada em 23 de setembro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.