Cumhuriyet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde julho de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Cumhuriyet
Periodicidade diário
Formato standard
Fundador(es) Yunus Nadi Abalıoğlu
Fundação 7 de maio de 1924 (89 anos)
Slogan Bu ülkenin aydinlik insanlan. Size Cumhuriyet yakisir
Povo brilhante no país. Um republicano digno de você
Orientação política Centro-esquerda
Idioma turco
Sede  Turquia, Istambul
Circulação 65 000 (abril de 2009)[1]
Página oficial www.cumhuriyet.com.tr

O Cumhuriyet (em português: "A República") é um jornal diário turco conotado com o centro-esquerda[nt 1] e com o CHP,[nt 2] que foi fundado em 7 de maio de 1924 pelo jornalista Yunus Nadi Abalıoğlu. Sediado em Istambul, a sua sede é, desde outubro de 2005, em Mecidiyeköy, tendo sido o último jornal a abandonar Cağaloğlu, o bairro tradicional da imprensa de Istambul. O jornal tem também delegações em Ancara e Esmirna.[nt 1]

De tendência kemalista, é frequentemente referido como um dos jornais de referência da Turquia. Com um visual sóbrio, em linha com o tom dos seus textos, com pouca cor, poucas páginas de desporto e muito pouca atenção a mexericos, é muito crítico em relação ao primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan, defendendo os direitos sociais e a herança laica de Atatürk. Isso foi evidente, por exemplo em 2004, quando em 2004 publicou na íntegra um discurso do ex-presidente francês Jacques Chirac sobre a laicidade, ao longo de cinco números seguidos.[nt 2]

O jornal é também conhecido pelo uso do öztürkçe, um turco que faz muito uso de neologismos criados a partir de raízes turcas, em oposição tanto aos anglicismos do Radikal, como ao vocabulário de origem árabe do jornal de tendência islâmica Tercüman.[nt 2]

Em abril de 2009 a circulação média diária era de 65 000 exemplares.[1] Desde 7 de maio de 1998 que o jornal pode ser lido na Internet.[nt 1]

História[editar | editar código-fonte]

A seguir à morte do fundador Yunus Nadi, a 28 de março de 1945, o Cumhuriyet ficou na posse do seu filho mais velho, Nadir Nadi, até à sua morte, em 20 de agosto de 1991. A mulher de Nadir, Berin, sucedeu ao marido à frente do jornal. Desde a morte de Berin, a 5 de novembro de 2001, que o Cumhuriyet é propriedade da Fundação Cumhuriyet. Um dos últimos diretores foi destacado colunista, jurista e escritor İlhan Selçuk (falecido em junho de 2010), que também foi presidente do conselho de administração.[nt 1]

Em 2008, as instalações do Cumhuriyet em Istambul forma alvo de um ataque com cocktails Molotov.[nt 1] [2]

Notas

  1. a b c d e Trechos baseados no artigo «Cumhuriyet» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).
  2. a b c Trechos baseados no artigo «Cumhuriyet» na Wikipédia em francês (acessado nesta versão).

Referências

  1. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas xgaz
  2. Mastermind behind Cumhuriyet attack under arrest (em inglês). Today's Zaman. Feza Gazetecilik (1 de abril de 2008). Página visitada em 5 de julho de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre a Turquia é um esboço relacionado ao Projeto Europa e ao Projeto Ásia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.