Desert Eagle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Desert Eagle

A Desert Eagle é uma pistola semi-automática, de ação simples, operada por gás, que utiliza vários calibres, sendo eles .50 Action Express (.50AE), .44 Magnum, .357 Magnum, .22 Long Rifle (.22LR) esta última, de fins recreativos e desportivos. Outras pistolas utilizam referências ao nome Eagle, mas a similaridade é apenas estética. As pistolas comercializadas como Baby Eagle não são miniaturas ou versões em calibres mais leves. Trata-se de outro projeto do mesmo fabricante, a Magnum Research Inc.

História[editar | editar código-fonte]

Iniciada e patenteada pela Magnum Research Inc, foi refinada pela IMI (Israel Military Industries) agora IWI (Israel Weapon Industries) e hoje também é produzida por esta empresa.

Na cultura popular, a Desert Eagle faz inúmeras aparições. Nos videogames, títulos como Call of Duty: Modern Warfare 2, Call of Duty 4, Counter-Strike, Battlefield Play4Free, Devil May Cry Battlefield 4 entre muitos outros.

Sua primeira aparição no cinema foi no filme "Massacre no bairro Japonês" (Showdown in little Tokyo) de 1991 com Dolph Lundgren, interpretando o policial Chris Kenner. Por se tratar de uma pistola imponente, tanto pelo tamanho quanto pelo ruído, é comumente reputada como a arma de mão mais poderosa em jogos e filmes de ação.

Características[editar | editar código-fonte]

A pistola Desert Eagle (Versão Mark XIX) é completa com canos intercambiáveis de diversos calibres, um portão e suprimentos adicionais para a desmontagem.

Apesar de sua reputação como uma potente arma de fogo, é uma arma inviável para o combate devido ao seu tamanho, calibre exagerado e som produzido (é, na verdade, proibida em algumas carreiras de tiro esportivo). Para além disso, mesmo para utilizadores experientes, provoca um enorme "coice".

Possui um grande poder derrubante e é excepcionalmente certeira para uma pistola. Ambos estes casos devem-se quase exclusivamente à natureza da munição usada que, em qualquer dos calibres, é uma munição pesada para uma pistola. A arma é mais utilizada como símbolo de status do que propriamente para atividades operacionais e/ou profissionais.[carece de fontes?]


Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

Nome: IMI Desert Eagle

Gatilho: Recurso Único

Calibres: .357 Magnum (9×33R mm), .44 Magnum (10.9×33R mm), .50 (12.7×33RB mm)

Comprimento: 990 mm (com o cano 550 mm)

Peso: Aproximadamente 1,900 g sem munição

Comprimento do cano: 1650 mm ou 2354 milímetros 9 (0,357), 8 (0,44) ou 7.50 (M. Popenker, revista. Rifle Shop Armas e munições № 1000-2000)

Origem e concepção[editar | editar código-fonte]

A origem da Desert Eagle se remonta no final da década de 1970, quando um grupo de americanos organizaram uma pequena empresa chamada 'Magnum', para fazer pesquisas para o desenvolvimento, produção e venda de pistolas de caça esportiva e semi-automáticas com o cartucho magnum poderoso 0.357 (seus disparos de 150mm podem ser superiores a 9×19 de cartucho Parabellum até duas vezes).

Em 1980 a empresa recebeu a primeira patente sobre a concepção de uma pistola automática com um vapor.

Em 1981 surgiu o primeiro protótipo, a descrição do modesto dos próprios desenvolvedores funcional em 80%. " Para ajuste fino e pistola de série ainda mais, designada Eagle 357, foi eleita empresa israelita de armamento IMI (Israel Military Industries).

Em 1982 surgiu o primeiro anúncio da nova pistola, e mais tarde apareceram os modelos de produção em primeiro lugar.

Por volta de 1985 a arma tem o seu atual design chamado de Desert Eagle, mas sua configuração fora pouco alterada e da do tronco se tornou poligonal em vez do usual.

Em 1986, a Desert Eagle apareceu sob o cartucho Magnum mais potente (0.44) – a primeira pistola semi-automática sob cartucho de revólver.

Em 1989 a marca Desert Eagle VII sofre mudanças. E foi marcada com um mecanismo de disparo e alavanca de maior segurança e do parar do deslize. Note-se que a versão VII era um pouco diferente em tamanhos de quadro de 0.357 e 0.44.

Por volta de 1996, surgiu uma modificação moderna da pistola Desert Eagle – a versão XIX. A principal diferença entre esta versão foi a introdução de um dos mais poderosos cartuchos, o .50 AE (Action Express, um aro 12.7h33RB de métrica designação de diâmetro reduzido, o patrono da Magnum .44, e o cano de saída de energia 1500-1800 Joules).

introdução de tais patrono um poderoso exigiu um reforço do âmbito das armas, e armas de todos os calibres na linha de marca XIX lançado em um quadro unificado, calibre .50, que lhe permite facilmente mudar o calibre da arma, substituindo o barril e revistas (entre 0,44 e 0,50 calibres), mas como a porta (por voltas de 0,357 parafuso necessário com um espelho de menor diâmetro). ;

A Desert Eagle foi projetada como uma arma para a caça especializada de médio e grande jogo (como armas de caça são muito populares nos Estados Unidos pelo menos desde o final dos anos 1930), bem como para certos tipos de tiro desportivo. Por exemplo, para disparar contra alvos com silhueta de aço a uma distância de 50 metros ou mais).

Também fora fabricada uma pistola similar chamada "Jericho 941" exportados de Israel sob a alcunha de "Baby Desert Eagle". A versão original da Desert Eagle não utiliza o serviço adequado AH por vários motivos, como por exemplo:


1: Excesso de peso – ao invés de uma Desert Eagle descarregada, pode ser carregada duas pistolas: Glock 19 e SIG-Sauer R228 com carregador cheio, em que o mesmo seria muito mais fácil em execução e recuperação rápida.

2: Recuo excessivo, que dificulta o tiro de alta velocidade, especialmente em calibres 0.44 e 0.50

3: A capacidade pequena revista

4: Falta de confiabilidade – A Desert Eagle é muito sensível aos cuidados e nunca fora comprovada a trabalhar em condições difíceis.


A Desert Eagle é raramente usada para um sistema de pistolas automáticas com um bloqueio de tambor rotativo de parafuso e de utilização de energia alta do barril de gases em pó para recarga. O parafuso dela possui 4 arrastes incluídos na malha com a culatra.

O gás se situa através do orifício ao lado da câmara. Depois que o canal sob o barril de gases são dirigidos para a frente da arma com o cano, o pistão de gás com curso de curta duração.

A superfície superior do cano da arma permite a instalação direta sobre os anéis barril de vistas ópticas. E que muitas das vezes não usa-se silenciador por não possuir cano para a sua acoplação, podendo também acoplar em cima de seu corpo lunetas e mira-lasers.


Este artigo relativo a armas de fogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.