Call of Duty: Modern Warfare 2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Call of Duty: Modern Warfare 2
Capa de Modern Warfare 2
Produtora Infinity Ward
Editora(s) Activision
Motor IW Engine 4.0
Plataforma(s) PlayStation 3
Xbox 360
Microsoft Windows
Data(s) de lançamento 10 de novembro de 2009
Gênero(s) Tiro em primeira pessoa
3ª pessoa (3rd Person Team Tactical - Multiplayer)
Modos de jogo Single player
Multiplayer
Cooperative
Classificação BBFC (Reino Unido)
Inadequado para menores de 17 anos i CERO (Japão)
Inadequado para menores de 18 anos i DEJUS (Brasil)
Inadequado para menores de 17 anos i ESRB (América do Norte)
R 18.svg i OFLCA (Austrália)
Inadequado para menores de 18 anos i PEGI (Europa)
Inadequado para menores de 18 anos i USK (Alemanha)
Média Blu-ray
DVD DL
Requisitos mínimos Sistema Operacional: Windows XP, Vista ou 7
Processador: AMD 64 3200+ ou Pentium 4 de 3GHz
Memória: 512 MB (XP) ou 1 GB (Vista)
Placa de vídeo: com Shader Model 3.0 e 256 MB de memória; Nvidia GeForce 6600GT ou ATI Radeon 1600XT
Espaço em disco rígido: 16 GB

Call of Duty: Modern Warfare 2 (também conhecido como Modern Warfare 2 ou MW2)[1] é um jogo de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela Infinity Ward e distribuído pela Activision para as plataformas Microsoft Windows, PlayStation 3 e Xbox 360.[2] Anunciado oficialmente em 11 de fevereiro de 2009,[3] foi lançado mundialmente em 10 de novembro de 2009.[4]

É o sexto lançamento relacionado à série Call of Duty,[5] sendo uma sequência direta de Call of Duty 4: Modern Warfare, trazendo uma continuação da história desenvolvida em seu predecessor.[3] Foi lançado em conjunção com dois outros jogos da série: Call Of Duty: Modern Warfare: Mobilized, para Nintendo DS,[6] e Call of Duty: Modern Warfare: Reflex, uma versão portátil de Call of Duty 4 adaptada pela Treyarch para o console Wii.[7]

O jogo é situado cinco anos após os eventos em Call of Duty 4. O modo campanha é dividido entre o grupo contra-terrorista multi nacional Task Force 141, que tem a missão de eliminar o ultranacionalista Vladimir Makarov, e uma tropa de Rangers, com a tarefa de defender os Estados Unidos de uma invasão russa. Entre os cenários do jogo estão o Afeganistão, Rio de Janeiro, Sibéria e Washington D.C.

Modern Warfare 2 foi aclamado pela crítica especializada, obtendo uma média de 94% de aprovação no Metacritic, com os elogios direcionados principalmente a seu complexo componente multiplayer. Em suas primeiras 24 horas de lançamento, o jogo vendeu aproximadamente 4.1 milhões de cópias ao redor do mundo em um único dia e arrecadando US$ 401 milhões de dólares.[8] .

Segundo o Guinness World Records, Modern Warfare 2 teve o lançamento mais bem sucedido de todos os tempos na indústria do entretenimento, batendo o recorde de vendas no primeiro dia, pertencente até então a Grand Theft Auto IV.[9]

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Campanha[editar | editar código-fonte]

Similiar a versões anteriores da série Call of Duty, o jogador assume o papel de diferentes personagens durante a campanha single player, mudando de perspectiva de acordo com a evolução da história.

Cada missão apresenta uma série de objetivos que são mostrados na tela do jogo, determinando a direção e a distância de tais objetivos. As tarefas variam em cada missão, como o jogador alcançar um determinado checkpoint, eliminar inimigos em locais específicos, permanecer em um local para defender um objetivo ou plantar cargas explosivas em instalações inimigas. O jogador é acompanhado por tropas aliadas, que não podem receber ordens. Laptops que contém dados de inteligência inimiga aparecem durante as fases, e devem ser coletados para ativar diversos extras no jogo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Série Call of Duty
(Cronologia Fictícia)

Arco Segunda Guerra

1942–1945Call of Duty
                   – United Offensive
                   – Finest Hour
                   – Call of Duty 2
                   – Big Red One
                   – Call of Duty 3
                   – Roads to Victory


Arco Modern Warfare

2011Modern Warfare (DS)
2015Defiance
2016–2017Modern Warfare 2
                   – Mobilized
                   – Modern Warfare 3


Arco Black Ops

1942–1945World at War (DS)
                   – Final Fronts
1961–1968Black Ops 1986–2025Black Ops II (Declassified)


Arco Zombies

1945Nazi Zombies (World at War: Zombies)
1962–2011Zombies (Black Ops: Zombies)


Personagens[editar | editar código-fonte]

Durante a campanha single-player, o jogador controla cinco personagens diferentes de uma perspectiva em primeira pessoa. Durante a maior parte do jogo, assume-se o papel do Primeiro Sargento Gary "Roach" Sanderson, membro de um esquadrão de elite multi nacional conhecido como Task Force 141.[10] O jogador entretanto começa como o primeiro-soldado raso Joseph Allen, um Ranger estacionado no Afeganistão que posteriormente torna-se um agente secreto da CIA sob o codinome de "Alexei Borodin". O soldado James Ramirez, membro do 75th Ranger Regiment estacionado nos Estados Unidos, serve como o personagem jogável durante a defesa da costa leste dos EUA contra uma invasão russa. "Soap" MacTavish retorna como personagem não-jogável durante a maior parte de Modern Warfare 2, situação que é revertida nas últimas três missões. Nos cinco anos que se passaram desde Call of Duty 4, ele foi promovido ao posto de capitão no Serviço Aéreo Especial, e agora comanda grande parte da Task Force 141 e suas operações de campo, agindo como oficial superior de Sanderson.[11] O jogador também assume brevemente o papel de um astronauta anônimo na Estação Espacial Internacional durante uma EVA momentos antes da destruição da estação.[12]

Diversos personagens não-jogáveis desempenham papéis proeminentes na história. Como mencionado, o capitão MacTavish aparece durante grande parte do jogo e serve como mentor e oficial superior de Roach (papel similar ao desempenhado pelo capitão Price em relação a MacTavish em Call of Duty 4). O Capitão John Price também retorna para ajudar a Task Force 141 depois que MacTavish, Roach e outros soldados o resgatam da um gulag russo. Outro integrante principal da equipe é Simon "Ghost" Riley, que cobre seu rosto com uma balaclava pintada com uma caveira.[13] O sargento Foley, inicialmente líder do esquadrão de Joseph Allen no Afeganistão, com o desenvolver da história torna-se líder do esquadrão de James Ramirez nos Estados Unidos. Nikolai, o informante russo de Call of Duty 4, volta para auxiliar a Task Force 141 em diversas ocasiões. O general Shepherd é o comandante tanto da Task Force 141 quanto dos Rangers, tornando-se o principal antagonista ao trair os integrantes da Task Force perto do fim do jogo. Vladimir Makarov, antigo aliado de Imran Zakhaev (o vilão de Call of Duty 4), serve como o principal antagonista durante grande parte da história.[12]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Modern Warfare 2 começa cinco anos depois da conclusão de Call of Duty 4. Apesar dos esforços dos Marines e da SAS, os Ultranacionalistas acabaram conseguindo o controle da Rússia, declarando Imran Zakhaev um herói e mártir, erguendo na Praça Vermelha uma estátua em sua homenagem. Enquanto isso, Vladimir Makarov, um dos antigos tenentes de Zakhaev, começa uma campanha contra a Europa, cometendo vários atos de terrorismo.[12]

O jogo começa no Afeganistão, com o primeiro-soldado raso dos Rangers Joseph Allen ajudando a tomar uma cidade do controle dos insurgentes. Impressionado com as habilidades de combate de Allen, o general Shepherd recruta-o para fazer parte da Task Force 141, uma unidade contra-terrorista multinacional sob seu comando. Enquanto isso, dois integrantes da Task Force 141, o capitão "Soap" MacTavish e o Primeiro Sargento Gary "Roach" Sanderson, escalam uma montanha do Tian Shan para se infiltrar em uma base aérea do Cazaquistão e recuperar um módulo ACS de um satélite derrubado. Allen é posteriormente enviado em uma missão secreta para a CIA na Rússia sob o codinome de "Alexei Borodin", unindo-se a Makarov em um massacre de civis no Aeroporto Internacional Zakhaev em Moscou. Na conclusão do ataque é revelado que Makarov está ciente da identidade de Allen, e antes de fugir ele o mata para expor sua identidade, levando a polícia russa a acreditar que os Estados Unidos foram responsáveis pelo atentado.[12]

Indignada pelo que acredita ser um ato terrorista orquestrado pelos EUA, a Rússia retalia lançando um gigantesco ataque surpresa contra os Estados Unidos depois de ultrapassar seus primeiros sistemas de alerta, revelando que o módulo ACS recuperado por MacTavish e Sanderson já havia sido decodificado, comprometendo a defesa do país. O sargento Foley lidera seu esquadrão de Rangers, incluindo o soldado James Ramirez, na defesa de um subúrbio no nordeste de Virginia contra o ataque russo. Eles então seguem para uma Washington devastada pela guerra, onde mais forças americanas lutam uma batalha desesperada contra os russos pelo controle da capital do país.[12]

Enquanto isso, a Task Force 141 começa a busca por evidências que incriminem Makarov como o planejador do massacre no aeroporto. As pistas levam ao Rio de Janeiro, onde a Task Force investiga um contato de Makarov, o contrabandista de armas Alejandro Rojas. Descobre-se então que o principal inimigo de Makarov está aprisionado em um gulag russo a oeste de Petropavlovsk, na Península de Kamchatka. Como consequência, a Task Force 141 ataca a prisão e consegue libertar o prisioneiro, que acaba por ser o capitão Price. Price concorda em ajudar a rastrear Makarov, posteriormente ignorando as ordens de Shepherd e passando a agir por conta própria, levando a Task Force 141 a atacar um porto russo e tomar controle de um submarino nuclear. Price usa o submarino para lançar um míssil balístico intercontinental contra Washington, o programando para explodir na atmosfera, destruindo a Estação Espacial Internacional mas poupando a cidade de ser completamente arrasada. O pulso eletromagnético resultante inutiliza os veículos e equipamentos eletrônicos tanto das forças americanas quanto das russas. Ramirez e seu esquadrão descobrem então que a Força Aérea, pensando que os russos tomaram a cidade, planeja uma série de ataques aéreos; a única maneira de abortar a operação é acender foguetes de sinalização no topo da Casa Branca (no jogo sempre referida como "Whiskey Hotel", códigos das letras "W" e "H" — de "White House" — no alfabeto fonético da OTAN) e outros prédios importantes que estão sob controle russo. Ramirez e seu esquadrão lutam para chegar ao telhado da Casa Branca e conseguem acender os foguetes no último instante, evitando o ataque aéreo. Fogos de sinalização são acesos em outros pontos da capital, indicando que a cidade voltou a ser controlada pelos americanos.[12]

Reduzindo os esconderijos de Makarov a dois locais distintos, a Task Force 141 decide separar suas forças. Os capitães Price e MacTavish viajam para um cemitério de aviões no Afeganistão, enquanto Roach e Ghost atacam uma casa-forte na Cordilheira do Cáucaso. A equipe consegue obter informações vitais de inteligência nos computadores inimigos, mas ao alcançarem o ponto de resgate, Ghost e Sanderson são traídos e assassinados por Shepherd, que rouba as informações para fazer parecer que foi ele o responsável por sua aquisição. Enquanto isso, Price e MacTavish ficam cientes da traição de Shepherd ao escaparem de uma armadilha com a ajuda de Nikolai. Depois de conseguir contactar Makarov e descobrir a localização de Shepherd, Price e MacTavish decidem se vingar em uma última e suicida missão. Durante sua invasão Shepherd tenta escapar, dando início a uma longa perseguição de bote.[12]

Shepherd parece ter escapado quando é resgatado por um helicóptero Sikorsky MH-53. No entanto, Capitão John Price consegue derrubar a aeronave a tiros momentos antes dele e MacTavish serem engolfados por uma cachoeira. Após se recuperar da queda, MacTavish, gravemente ferido, tenta matar Shepherd com sua faca, mas ele bloqueia o ataque e o esfaqueia. O general prepara-se para executá-lo com seu revólver, mas é atacado por Price. Os dois começam a lutar, enquanto MacTavish esforça-se para arrancar a faca de seu tórax. Ele finalmente consegue, atirando a faca contra Shepherd, matando-o. Price tenta tratar os ferimentos de MacTavish, enquanto Nikolai chega de helicóptero para resgatá-los. Ele avisa que os dois serão perseguidos, mas Price insiste que MacTavish receba atendimento médico. Nikolai então menciona que conhece um lugar seguro para ir.[12]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Vendas[editar | editar código-fonte]

De acordo com relatórios de vendas preliminares da Activision, aproximadamente 4.7 milhões de cópias de Modern Warfare 2 foram vendidas nos Estados Unidos e Reino Unido nas primeiras 24 horas de seu lançamento. O lucro total do primeiro dia de vendas nos EUA e Reino Unido foi de 310 milhões de dólares, fazendo de Modern Warfare 2 o maior lançamento de um item de entretenimento na história, superando (em ganhos) Call of Duty 4 e Grand Theft Auto IV,[14] [15] assim como outros produtos de mídias diferentes.[16] [17] Após cinco dias de vendas, o jogo havia alcançado um lucro mundial na ordem de 550 milhões de dólares.[18]

Em 18 de janeiro de 2010, a marca de 1 bilhão de dólares em vendas foi superada.[19]

A Activision também afirma que Modern Warfare 2 teve 8 milhões de usuários online nos primeiros cinco dias após o lançamento, constituindo o maior "exército" de jogadores no mundo.[20]

De acordo com o NPD Group, Modern Warfare 2 vendeu aproximadamente 4.2 milhões de unidades para Xbox 360 e 1.87 milhão de unidades para Playstation 3 nos EUA durante o mês de novembro de 2009.[21] No Japão, Modern Warfare 2 vendeu 64,000 cópias para Playstation 3 e 42,000 cópias para Xbox 360 em sua primeira semana de lançamento.[22] Posteriormente esse número subiu para 117,000 cópias para Playstation 3 e 61,000 para Xbox 360,[23] antes de alcançar 180,000 cópias para ambas as plataformas.[24]

Pirataria[editar | editar código-fonte]

A popularidade do jogo também refletiu na quantidade de cópias ilegais disponibilizadas em sites de BitTorrent. Foram registradas 4.1 milhões de downloads da versão para PC, além de 970,000 para Xbox 360, fazendo deste o jogo mais pirateado de ambas as plataformas em 2009.[25]

Referências

  1. Infinity Ward Talks Modern Warfare 2, 43 Stories Up - Kotaku
  2. Call of Duty: Modern Warfare 2 - IGN
  3. a b Call of Duty: Modern Warfare 2 This Holiday - IGN
  4. Modern Warfare 2 Coming November 10, 2009 - Activision Publishing, Inc
  5. Infinity Ward enlisted for Call of Duty 6 - GameSpot
  6. Call of Duty: Modern Warfare: Mobilized in Development for Nintendo DS - IGN
  7. Call of Duty: Modern Warfare Coming to Wii - IGN
  8. Call of Duty: Modern Warfare 2 destroys records in first day sales rampage, pulls in $310M - Nydailynews.com
  9. Guinness World Records Call of Duty: Modern Warfare 2 - Most Successful All-Time Entertainment Launch (em inglês)
  10. E3 2009: Modern Warfare 2 Impressions - IGN
  11. Modern Warfare 2 Details Surface' - IGN
  12. a b c d e f g h Infinity Ward - Call of Duty: Modern Warfare 2 (Activision) Playstation 3 (v1.04) (14-11-2009)
  13. "Call Of Duty: Modern Warfare 2" Comic Book Series Coming From Wildstorm - MTV Multiplayer
  14. Modern Warfare 2 Sells Close To 5 Million In First Day - Gameinformer
  15. "Modern Warfare 2 sells 4.7 million day one in U.S. and UK" - Videogamer
  16. Was Modern Warfare 2 Really The "Biggest Launch In History? - Kotaku
  17. Hot video games for holiday shopping - CNN
  18. MW2 sales pass $550m worldwide - MCV
  19. Call of Duty: Modern Warfare 2 takes $1bn in sales - BBC
  20. Modern Warfare 2’s online army is the world’s biggest - VentureBeat
  21. November NPD: Modern Warfare Shifts 6 Million Copies - Wired
  22. Magicbox Gaming News, December 11, 2009
  23. Modern Warfare 2 Gets Off To Strong Start In Japan - Siliconera.
  24. Call of Duty 4: Modern Warfare Tops PS3 “Best” Line In Japan - Siliconera
  25. Modern Warfare 2 Most Pirated Game of 2009 - TorrentFreak

Ligações externas[editar | editar código-fonte]