Designação de planeta menor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Designações de planeta menor são combinações número-nome supervisionadas pelo Minor Planet Center. Este nome provém do facto de historicamente o termo planeta menor ter sido usado oficialmente como sinônimo de asteroide - após a resolução de 2006, a União Astronômica Internacional (UAI) recomenda que o termo planeta menor deixe de ser usado, de uma forma geral, por ser demasiado ambíguo; o Minor Planet Center tem mantido, para já, o seu nome tradicional.

As designações de planeta menor são usadas para catalogar planetas anões e corpos menores do Sistema Solar como asteroides, mas não cometas. Elas são atribuídas a um corpo quando sua órbita está determinada, e não têm relação com as designações provisórias, que são dadas imediatamente após a descoberta do objeto.

As duas partes de uma designação formal são:

  • Um número, antigamente atribuído por ordem aproximada de descoberta, atualmente atribuído apenas quando a órbita do objeto está determinada.
  • Um nome, que pode ser o nome dado pelos descobridores, ou, mas frequentemente, a designação provisória.1

A sintaxe é (número) Nome, como por exemplo (90377) Sedna e (55636) 2002 TX300. Os parênteses muitas vezes são tirados, como em 90377 Sedna, de acordo com a preferência do astrônomo ou jornal. No entanto, muitas vezes o nome ou a designação provisória são usados em vez da designação formal: Sedna, 2002 TX300.

A convenção para satélites de asteroides, como a designação formal (87) Sylvia I Romulus para a lua de 87 Sylvia Romulus, é uma extensão da convenção de números romanos que é usado desde a época de Galileo Galilei.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1851, havia 15 asteroides conhecidos, todos com seu próprio símbolo. Os símbolos foram ficando cada vez mais complexos conforme o número de objetos crescia, e como eles tinham de ser desenhados à mão, astrônomos tinham dificuldade. Nesse mesmo ano, Benjamin Apthorp Gould sugeriu numerar os asteroides de acordo com a ordem de descoberta deles, e colocar esse número dentro de um círculo como símbolo do asteroide, como ④ para o quarto asteroide, Vesta. Logo essa prática foi acoplada com o nome em si e virou uma designação oficial número-nome. Em 1858, o círculo foi simplificado com parênteses, "4 Vesta". Uma pontuação como "4, Vesta" também foi usada, mas deixou de ser usada em 1949.2

Referências

  1. IAU FAQ page
  2. From Dr. James Hilton's When Did the Asteroids Become Minor Planets?, particularly the discussion of Gould, B. A. 1852, On the Symbolic Notation of the Asteroids, Astronomical Journal, Vol. 2, and immediately subsequent history. The discussion of C. J. Cunningham (1988), also from there, explains the parenthetical part.
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.