Cintura de Kuiper

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cintura de Kuiper

A Cintura de Kuiper (português europeu) ou Cinturão de Kuiper (português brasileiro), também chamada Cintura de Edgeworth ou Cintura de Edgeworth-Kuiper, é uma área do sistema solar que se estende desde a órbita de Neptuno (a 30 UA do Sol) até 50 UA do Sol. Os objetos do cinturão de Kuiper são comumente chamados de KBO (Kuiper belt object).[1]

Sua existência foi sugerida por Gerard Kuiper (1905-1973) em 1951. Em 1993, Miles Standish reanalisou os dados, e descobriu que a anomalia era menor. No entanto, desde a descoberta de 1992 QB1 - o primeiro objeto nesta região -, já foram catalogados mais de mil outros pequenos objetos transneptunianos. Acredita-se que nesta região existam mais de 100 mil pequenos corpos celestes.

Este cinturão possui milhares de pequenos corpos, estes com formação semelhante à dos cometas. A diferença é que estes pequenos corpos nunca volatizaram seus gelos, de maneira que não possuem nem coma nem cauda, isso se dá por eles estarem orbitando longe do calor do Sol.[2]

Destes, são conhecidos doze com diâmetro de quase ou mais de 1000 km inclusive um que é definitivamente maior que Plutão (embora haja incertezas de 10-15%):

Natureza dos KBOs[editar | editar código-fonte]

A origem do cinturão de Kuiper é incerta, mas acredita-se que seus objetos são remanescentes da nebulosa protossolar que deu origem aos planetas. KBOs são rochas congeladas contendo metano, amônia e água com tamanhos que podem variar de 100 a 1000 km, com alguns maiores que isto. Estima-se que no passado eram maiores e mais numerosos, mas interacções com os planetas (principalmente Neptuno) e colisões mútuas acabaram por expulsar boa parte deles, seja em direção ao Sol ou planetas internos, como Júpiter, seja para regiões externas do Sistema Solar, para região da nuvem de Oort.

Tipos de KBOs[editar | editar código-fonte]

Existem 3 categorias de KBOs:

  • Clássicos:cerca de 2/3 do total de KBOs. Possuem órbitas mais estáveis com baixa excentricidade orbital e localizados entre 42 e 47 u.a.
  • Plutinos: cerca de 1/3 do total. Apresentam ressonância 3:2 com o planeta Netuno.
  • Espalhados: Apresentam órbitas altamente inclinadas e excêntricas. Possível origem dos cometas de curto período.

Referências

  1. Alan Stern. . "Collisional Erosion in the Primordial Edgeworth-Kuiper Belt and the Generation of the 30–50 AU Kuiper Gap". The Astrophysical Journal 490. DOI:10.1086/304912. 1997ApJ...490..879S.
  2. LAZZARO, Daniela. (Abril 2009). "O Sistema Solar e corpos extraordinários". Ciência Hoje 43 (258): 40-45 pp..

Ligações externas[editar | editar código-fonte]