28978 Íxion

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
28978 Íxion
Número 28978
Data da descoberta 22 de maio de 2001
Descoberto por Deep Ecliptic Survey
Homenagem a Íxion
Categoria Transnetuniano
(plutino)[1]
Elementos orbitais[2]
Semieixo maior 39,422 UA
Perélio 29,734 UA
Afélio 49,111 UA
Excentricidade 0,24576
Período orbital 90409,17 d (247,53 a)
Anomalia média 274,804°
Inclinação 19,672º
Longitude do nó ascendente 71,050°
Argumento do periastro 300,307°
Características físicas
Dimensões 650+260−220 km[3]
<822[4] km
Classe espectral B-V=1,03; V-R=0,61[5]
Magnitude aparente 20,04[6]
Magnitude absoluta 3,2[2]
Albedo 0,12+0,14−0,06[3]
0,15-0,37[4]

28978 Íxion (designação provisória: 2001 KX76) é um objeto transnetuniano localizado no cinturão de Kuiper. Foi descoberto em 22 de maio de 2001 pela Deep Ecliptic Survey e recebem o nome de Íxion, uma figura da mitologia grega.[2] É classificado como plutino, nome dado aos corpos em uma ressonância orbital 2:3 com Netuno.[1]

Órbita[editar | editar código-fonte]

Órbita de Íxion (em verde), Plutão (em vermelho) e Netuno (cinza).

Íxion e Plutão seguem órbitas similares mas diferentemente orientadas, como mostra o diagrama (Íxion é verde, Plutão é vermelho, Netuno é cinza, em posições que tinham em abril de 2006). O periélio de Ixion é abaixo de eclíptica. Fora das características dos corpos celestes atrelados na ressonância (veja 90482 Orco), Íxion aproxima-se de Plutão com menos de 20 graus de separação angular. Íxion está atualmente cruzando a eclíptica dirigindo-se para baixo, e atingirá seu periélio em 2070. Plutão passou o periélio em 1989 e está descendo em direção à eclíptica.

Características físicas[editar | editar código-fonte]

Ao ser descoberto, estimou-se que Íxion era maior que o asteroide Ceres,[7] Mesmo em 2002, um ano após sua descoberta, ainda acreditava-se que Íxion tinha mais de 1000 km de diâmetro.[8] Estimativas mais recentes sugerem que Íxion tem um albedo grande[4] e é menor que Ceres. Observações pelo Telescópio Espacial Spitzer na parte infravermelha de seu espectro revelaram um diâmetro de cerca de 650 km.[3]

Íxion moderadamente vermelho (um pouco mais vermelho que 50000 Quaoar) na luz visível.[9] Pode haver uma característica de absorção no comprimento de onde 0,8 μm em seu espectro, o que é comumente atribuído à altereção de materias superficiais por água.[9] O espectro infravemelho próximo de Íxion é plano. Não foram encontradas bandas de absorção de gelo de água a 1,5 e 2 μm. Isso contrasta com Varuna, que tem um gradiente espectral vermelho no infravermelho próximo assim como proeminentes bandas de absorção de gelo de água.[10] Análises espectroscópicas na luz visível e infravermelho indicam que a superfície de Íxion é uma mistura de gelo de água, carbono escuro e tolina.[11] O Very Large Telescope (VLT) observou Íxion para achar características cometárias, mas não detectou uma coma.[12]

Referências

  1. a b MPEC 2010-B62 :Distant Minor Planets (2010 FEB. 13.0 TT) Minor Planet Center (30/01/2010). Visitado em 29/02/2012.
  2. a b c JPL Small-Body Database Browser: 28978 Ixion Jet Propulsion Laboratory. Visitado em 29/02/2012.
  3. a b c John Stansberry, Will Grundy, Mike Brown, Dale Cruikshank, John Spencer, David Trilling, Jean-Luc Margot. In: M. Antonietta Barucci, Hermann Boehnhardt, Dale P. Cruikshank. The Solar System Beyond Neptune. [S.l.]: University of Arizona press, 2008. 161–179 pp. ISBN 0-8165-2755-5
  4. a b c W. R. Johnston (17/09/2008). TNO/Centaur diameters and albedos. Visitado em 28/07/2010.
  5. A. Doressoundiram et al. (2007). "The Meudon Multicolor Survey (2MS) of Centaurs and Trans-Neptunian Objects: From Visible to Infrared Colors". Astronomical Journal 134: 2186–2199. DOI:10.1086/522783. Bibcode2007AJ....134.2186D.
  6. AstDys (28978) Ixion Ephemerides University of Pisa] Department of Mathematics. Visitado em 29/02/2012.
  7. R. Stenger (24/08/2001). New object deemed largest minor planet CNN. Visitado em 29/02/2008.
  8. F. Bertoldi, W. Altenhoff, N. Junkes (07/10/2002). Beyond Pluto: Max-Planck radioastronomers measure the sizes of distant minor planets SpaceRef.com. Visitado em 06/01/2010.
  9. a b S. Marchi, M. Lazzarin, S. Magrin, C. Barbieri. (2003). "Visible spectroscopy of the two largest known trans–Neptunian objects: Ixion and Quaoar". Astronomy and Astrophysics Letters 408 (3): L17–L19. DOI:10.1051/0004-6361:20031142. Bibcode2003A&A...408L..17M.
  10. J. Licandro, F. Ghinassi, L. Testi. (2002). "Infrared spectroscopy of the largest known trans-Neptunian object 2001 KX76". Astronomy and Astrophysics Letters 388: L9–L12. DOI:10.1051/0004-6361:20020533. Bibcode2002A&A...388L...9L.
  11. H. Boehnhardt. (2004). "Surface characterization of 28978 Ixion (2001 KX76)". Astronomy and Astrophysics Letters 415 (2): L21–L25. DOI:10.1051/0004-6361:20040005. Bibcode2004A&A...415L..21B.
  12. O. Lorin, P. Rousselot. (2007). "Search for cometary activity in three Centaurs (60558) Echeclus, 2000 FZ53 and 2000 GM137 and two trans-Neptunian objects (29981) 1999 TD10 and (28978) Ixion". Monthly Notices of the Royal Astronomical Society 376 (2): 881–889. DOI:10.1111/j.1365-2966.2007.11487.x. Bibcode2007MNRAS.376..881L.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • AstDys Elementos orbitais (em inglês)
  • Orbit simulation Sítio da NASA, em inglês, com cálculo, em Java, da órbita de Ixion.