Poeira interestelar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Poeira interestelar é o complexo de pequenas partículas de matéria que, juntamente com o gás, está contido no meio interestelar - o espaço entre as estrelas no interior das galáxias. Por extensão, também se dá o mesmo nome à poeira contida nos espaços interplanetários.

Essa poeira não é distribuída uniformemente mas forma verdadeiras nuvens interestelares mais ou menos densas. É composta principalmente de silicatos, grafite e outros alótropos do carbono. Conjectura-se que a sua formação seja devida à explosão de supernovas ou à fusão nuclear de estrelas. Essas partículas interagem com a luz, absorvendo-a ou refletindo-a.

A poeira interestelar é comumentemente associada a pedaços microscópicos de carbono ou silicatos, com tamanhos que podem variar de uma fração de mícron até um mícron de diâmetro, dispersos no espaço interplanetário. Esses pedaços tem forma irregular e são chamados de grãos interestelares.

Porém, mais precisamente falando, poeira interestelar, mais apropriadamente denominada de matéria interestelar é um conjunto de matéria e de radiação que preenche o espaço interestelar. A região onde se espalha a matéria interestelar recebe o nome de meio interestelar. Note-se, entretanto, que diversos autores usam indistintamente os termos "meio interestelar" e "matéria interestelar" para designar os elementos que compõem o espaço interestelar.

Em muitos textos encontramos que a matéria interestelar é formada simplesmente por gás e poeira interestelares. Na verdade o meio interestelar consiste de mais elementos do que apenas gás e poeira. Ele é formado por:

A Nebulosa do Lago onde se constata a matéria interestelar

O espaço entre as estrelas é um meio muito difuso. Mesmo assim, o meio interestelar é um vácuo em várias ordens de magnitude melhor do que aquele criado pelos físicos nos melhores laboratórios do mundo. Calculamos que o meio interestelar, como um todo, seja composto por cerca de 5 a 10 bilhões de Msolar de matéria que se apresenta na forma de gás e poeira. Isto corresponde a, aproximadamente, 5% da massa de estrelas visíveis na nossa galáxia.

A temperatura do meio interestelar pode variar, dependendo da presença ou não de fontes quentes locais. Em algumas regiões o meio interestelar é muito frio, com uma temperatura de apenas alguns Kelvins. No entanto, se houver uma estrela ou qualquer outra fonte de radiação nas vizinhanças, sua temperatura pode chegar a milhares de Kelvins. Verifica-se que a temperatura média do meio interestelar, em uma região escura, é cerca de 100 K.

A densidade do meio interestelar também é muito baixa sendo, em média, de 1 a 10 átomos por centímetro cúbico. Já vimos que o gás interestelar é bastante rarefeito. No entanto, 99% da matéria interestelar é composta de gás. Destes 99% temos que, aproximadamente, 90% é formado por hidrogênio atômico ou molecular, cerca de 9% é hélio e apenas 1% é formado por elementos mais pesados do que o hélio.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Poeira estelar. Por Klaus Bachmann. A morte de uma estrela é um dos espetáculos mais fenomenais no universo. Essas explosões de supernovas impulsionam o ciclo cósmico de nascimento e morte, e fornecem os elementos químicos que compõem o nosso mundo.