Turismo espacial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dennis Tito, primeiro turista espacial.

Turismo espacial é um fenômeno recente que consiste em viagens espaciais realizadas por indivíduos com propósitos não científicos, de puro lazer. Actualmente o turismo espacial está aberto apenas a indivíduos excepcionalmente ricos, e o transporte é assegurado pelo programa espacial russo, através de um acordo comercial com a empresa norte-americana Space Adventures.

Além do custo de milhões de dólares cobrado pela viagem, o candidato a turista espacial precisa passar por uma serie de testes físicos e médicos - podendo ser reprovado e impedido de viajar caso apresente alguma anomalia ou deficiência em qualquer etapa do treino - além de um treino intensivo de seis meses na Cidade das Estrelas simulando as condições de adaptação à microgravidade encontrada nas naves espaciais em órbita.

As principais atrações no turismo espacial é a própria experiência em si, a fantástica sensação de observar a Terra desde o espaço (descrito pelos astronautas como extremamente intenso e impressionante), a elevação do status quo (poder dizer eu estive no espaço), e as vantagens da ausência de gravidade — potencial para desportos extremos e benefícios na saúde, especialmente para pessoas idosas.

O turismo espacial é um passo inevitável no século 21 como o turismo aéreo foi no século 20. A tendência é que cada vez mais pessoas tenham acesso ao espaço via empresas privadas, e o início dessa trajetória em direção a nova fronteira começou em 2001, com o primeiro turista espacial, o americano Denis Tito, marcando uma nova era para a humanidade. Mais uma vez, os russos saíram na frente e foram os pioneiros na modalidade, levando 8 turistas ao espaço entre 2001 e 2009 através de sua espaçonave Soyus. Mas era muito caro. Algo precisava ser feito.

Em 2004, tudo começou a mudar com o prêmio Ansari-X prize, oferecido pela ex-turista espacial e milionária iraniana Anousheh Ansari ( a quarta turista espacial na lista abaixo), que ofereceu U$10milhões a quem viabilizasse o projeto de uma espaçonave a um custo razoável. Curiosamente, a proposta vencedora diferenciava pouco de um projeto de 1960 criado pela NASA, o X-15. Mike Melvill um sul-africano nascido em 1941 foi o primeiro astronauta privado comercial da história, piloto do vôo inaugural da nave SpaceShipOne em 21 de junho de 2004. Atualmente, ele é vice-presidente da Scaled Compositions, empresa que levou o prêmio, mas gastou o dobro na ideia. Para seguir em frente, precisava de mais recursos.

Sua idéia agradou ao visionário Richard Branson, um dos 300 homens mais ricos do planeta. Conhecido por atrair holofotes do mundo todo a cada negócio que fecha ele criou a Virgin Galactic para vender a ideia do voo espacial a um custo “mais modesto” ao público, apenas U$250.000,00 (os 8 primeiros pagaram mais de U$ 20milhões aos russos). A sofisticada nave da Virgin desenvolvida pela mesma empresa vencedora do prêmio, a Scaled, chama-se SpaceShipTwo e possui oito lugares – seis para passageiros e dois para pilotos. O seu design é futurista, com espaçosas poltronas de couro e 15 janelas por onde os turistas observarão as estrelas de perto.

Em outubro de 2014 no entanto, a nave sofreu um acidente causado em um dos testes. Uma segunda nave esta em construção e tem previsão de ficar pronta em 2015, quando deve-se reiniciar os teste até o fim do ano. A previsão de início dos passeios turísticos ao espaço que estavam programados até o final de 2015 deverão ocorrer somente em 2017.

Enquanto isso, a empresa XCOR Aerospace trabalha na construção de um modelo concorrente, o Lynks Mark I, que tem o objetivo de alcançar 60 km de altitude (estratosfera) até 2019, partindo do espaço porto de Mojave, Estados Unidos. À partir deste protótipo pronto e testado, será iniciada a construção do modelo voltado ao turismo espacial, o Lynx Mark II que deverá atingir pouco mais de 100 km de altitude, partindo do espaçoporto localizado na ilha de Curaçao. Este protótipo tem a previsão de ficar pronto por volta de 2023 e o valor do passeio é de 100 mil dólares.

Lista de turistas espaciais[editar | editar código-fonte]

Charls Simonyi, empresário norte-americano de origem húngara, o único a ir ao espaço duas vezes como turista.

Esta é uma lista de todas as pessoas até 2009 – que estiveram no espaço como turistas.

Pela nave Soyuz[editar | editar código-fonte]

  1. Estados Unidos Dennis Tito: 28 de abril a 6 de maio de 2001
  2. África do Sul Mark Shuttleworth: 25 de abril a 5 de maio de 2002
  3. Estados Unidos Gregory Olsen: 1º a 11 de Outubro de 2005
  4. Estados Unidos Irão. Anousheh Ansari: 18 a 29 de setembro de 2006
  5. Estados Unidos Hungria. Charles Simonyi: março de 2007
  6. Estados Unidos Irão. Richard Garriott: outubro de 2008
  7. Estados Unidos Hungria. Charles Simonyi: Março de 2009 (primeiro a ir duas vezes ao espaço como turista)
  8. Canadá Guy Laliberté: outubro de 2009[1]
  9. Reino Unido Sarah Brigtman: previsto para setembro de 2015

Lista de futuros turistas espaciais brasileiros confirmados[editar | editar código-fonte]

Pela nave SpaceshipTwo Virgin Galactic previsto a partir de 2017[editar | editar código-fonte]

  1. Brasil Australia. Wilson da Silva [2]
  2. Brasil Reino Unido Bernardo Hartogs
  3. Brasil Marcos Roberto Palhares[3]
  4. Brasil Marcelo Magalhães Sampaio
  5. Brasil Mayumi Hatano
  6. Brasil Reynaldo Ansarah

Pela nave Lynx XCOR Space Expedition previsto a partir de 2020[editar | editar código-fonte]

  1. Brasil Angela Takesawa
  2. Brasil Marco Aurélio Gorrasi
  3. Brasil Pedro Henrique Dória Nehme
  4. Brasil Luigi Cani [4]

Lista das empresas[editar | editar código-fonte]

Durante quase quinze anos, muitas empresas e organizações estão colaborando em projetos civis para enviar pessoas para o espaço:[5]

Lista das empresas no Brasil[editar | editar código-fonte]

Agência Marcos Pontes

Sanchat Tour

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre exploração espacial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.