Soyuz TMA-8

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Soyuz TMA-8
Insígnia da missão
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 3
Lançamento 30 de Março de 2006
TBD UTC
Baikonur LCl
Aterrissagem 23 de Setembro de 2006
TBD UTC
TBD
Órbitas ~2 800
Duração ~185 dias
Imagem da tripulação
Da esquerda para direita: Pontes, Williams e Vinogradov
Da esquerda para direita:
Pontes, Williams e Vinogradov
Navegação
Último
Último
Soyuz TMA-7 patch.svg Soyuz TMA-7
Soyuz TMA-9 Soyuz TMA-9 Patch.png
Próximo
Próximo

Soyuz TMA-8 foi a vigésima-nona missão tripulada à Estação Espacial Internacional. Foi lançada do Cosmódromo de Baikonur em 30 de março de 2006, levando a bordo o cosmonauta russo Pavel Vinogradov, o astronauta norte-americano Jeffrey Williams, integrantes da Expedição 13 na estação orbital, e Marcos Pontes, o primeiro cosmonauta brasileiro, o primeiro lusófono e o primeiro da América do Sul a ir ao espaço.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Tripulação lançada na Soyuz TMA-8: (30 de março de 2006)

Tripulação retornada na Soyuz TMA-8: (23 de setembro de 2007)

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

Missão[editar | editar código-fonte]

A Missão Centenário, como foi designado o lançamento, permanência no espaço e retorno do cosmonauta brasileiro à ISS, recebeu este nome em homenagem ao centenário do vôo de Santos Dumont no 14 Bis, ocorrido no dia 23 de outubro de 1906.

A Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos) assinaram um acordo para realizar a missão, que custou ao governo brasileiro vinte milhões de dólares.[1]

Os membros da Expedição 13 substituíram o grupo da Expedição 12, formado por William McArthur e Valery Tokarev, que retornaram à Terra, junto com Marcos César Pontes a bordo da nave Soyuz TMA-7, missão anterior que havia levado a tripulação da Expedição 12 e, desde então, estava acoplada à ISS.

Antes de chegarem até á Iss a tripulação descobriu a existência de água no interior do B.O,causada por uma diferença de temperatura entre a cápsula de reentrada e o B.O.O problema não era crítico,mas como os experimentos estavam alojados dentro do B.O eles poderiam ser danificados pela água.A tripulação encontrou a solução graças a uma frase que o Marcos Pontes disse em tom de brincadeira:"Era bom se tivéssemos um tubo extra para conectar a ventilação da cápsula com o B.O.,mas a única coisa que temos são as pernas de nossas calças".Eles solucionaram o problema com 2 macacões extras,amarrando as pernas esquerdas para evitar vazamento e unindo as pernas direitas com alguns elásticos em torno de um tubo de papelão (capa de um manual) enrolado e colocado no interior da junção.Uma das extremidades do "tubo" ficou na saída da ventilação da cápsula e a outra,no interior do B.O. [2]

A aterrisagem da Soyuz TMA-7 aconteceu em 8 de abril de 2006.

O tenente-coronel da Aeronáutica Marcos Pontes realizou 155 órbitas e a duração total de sua missão foi de 9 dias, 21 horas e 17 minutos, durante os quais empreendeu diversos experimentos científicos, inclusive a observação de crescimento de feijão em microgravidade, encomendada por estudantes secundários de escolas públicas brasileiras.

No seu retorno à Terra em setembro de 2006, a tripulação da TMA-8 trouxe com ela a turista espacial Anousheh Ansari, que havia passado sete dias na estação, após subir com a tripulação da Soyuz TMA-9, que substituiu Vinogradov e Williams.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Thouvenot, Delphine. Brazil's President In Moscow Signs Deal For Joint Space Mission SpaceDaily. Página visitada em 23/06/2012.
  2. Pontes, Marcos. Missão Cumprida: A História completa da primeira missão espacial brasileira (em português). 1 ed. [S.l.]: McHilliard, 2011. Capítulo: 67. , 559 pp. p. 276 e 277. ISBN 978-85-65213-01-2
  3. NASA. "Space Station Crew Back on Earth", NASA, 2005-09-28. Página visitada em 2007-08-12.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]