Soyuz T-10-1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Soyuz T-10-1
Sinal de chamada Okean (Oceano)
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 2
Lançamento 26 de Setembro de 1983
19:37:49 UTC
Baikonur LC1
Aterrissagem 26 de Setembro de 1983
19:43:02 UTC
Baikonur
Duração 5m 13s
Navegação
Último
Último
Cosmos 1443-Salyut 7-Soyuz T-9 Patch.gif Soyuz T-9
Soyuz T-10
Próximo
Próximo

Soyuz T-10-1 (também chamada de Soyuz-T 10a no Ocidente), foi uma missão do programa Soyuz que nunca foi ao espaço.

O veículo de lançamento foi destruído na plataforma pelo fogo; entretanto o foguete de escape da nave foi ejetado do foguete principal dois segundos antes de explosão do veículo, salvando a vida dos tripulantes.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Lançados

Parâmetros da Missão[editar | editar código-fonte]

Fatos da missão[editar | editar código-fonte]

Pouco após a decolagem planejada, o combustível vazou ao redor da base do veículo de lançamento da Soyuz e inflamou-se. O controle do lançamento ativou o sistema de escape mas os cabos de controle já haviam sido queimados, e o grupo não podia ativar os sistemas de escape sozinho. Vinte segundos depois a torre de controle foi finalmente capaz de ativar o sistema de escape por rádio comando, no momento em que o foguete estava envolto em chamas. Explosivos dispararam para separar o módulo de descida do módulo de serviço.

Após isto o motor do sistema de escape disparou, espurrando o módulo orbital e o módulo de descida, livre dos foguetes e com uma aceleração de 14 a 17 G (137 a 167 m/s²) por cinco segundos. Dois segundos após a ativação do sistema de escapa o foguete explodiu, destruindo o complexo de lançamento (que havia antes lançado Sputnik 1 e Vostok 1). Quatro estabilizadores em formato de raquetes no exterior da cápsula abriram e o módulo de descida se separou do módulo orbital a uma altura da 650 m, caindo livre da cápsula.

O módulo de descida descartou sua proteção térmica, expondo os foguetes de aterrisagem de combustível sólido, e liberando um paraquedas de abertura rápida. A aterrissagem ocorreu a cerca de quatro quilômetros do local do lançamento.

Ver também[editar | editar código-fonte]