Remanescente de supernova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Remanescente da Supernova de Kepler, SN 1604.

Remanescente de supernova é um invólucro de gás, composta com os restos mortais de uma estrela que foi destruida por uma violenta explosão, supernova, marcando a morte desta.[1] Esta violenta explosão gera uma onda de choque e ejeta o material estrelar da antiga estrela que se afasta a grande velocidade do núcleo estelar chegando a atingir velocidades de 3.000 km/s levando consigo, tudo que estiver em seu caminho, no meio interestelar.[2]

O choque do material ejetado pode aquecer o gás interestelar a temperaturas superiores a 10 milhões de kelvin, levando-o ao estado de plasma. [3] Emitem bastante brilho e a mais famosa é a nebulosa do Caranguejo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.