Anã azul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma anã azul é uma classe hipotética de estrelas que se desenvolve a partir de uma estrela anã vermelha após esta ter esgotado muito seu abastecimento de combustível de hidrogênio. Uma vez que estrelas anãs vermelhas fundem lentamente seu hidrogênio e são totalmente convertidas (permitindo uma maior percentagem do seu abastecimento de hidrogénio total a ser fundida). O universo não está velho o suficiente para qualquer anã azul ter se formado ainda. Sua existência é previsto com base em modelos teóricos.[1]

Estrelas aumentam a sua luminosidade à medida que envelhecem, e uma estrela mais luminosa deve irradiar energia rápida para manter o equilíbrio. Estrelas maiores do que as anãs vermelhas aumentam seu tamanho e tornam-se gigantes vermelhas com superfícies maiores. Ao invés de expansão, no entanto, anãs vermelhas são previstos para aumentar a sua taxa de radiação, aumentando a temperatura de sua superfície e se tornar "mais azuis". Isso ocorre porque as camadas superficiais do anãs vermelhas não se tornaram significativamente mais opacas, com o aumento da temperatura.[1]

Anãs azuis podem evoluir para anãs brancas uma vez que seu combustível de hidrogênio é completamente limitado.[1]

Referências

  1. a b c Adams, F. C.; P. Bodenheimer, G. Laughlin. (2005). "M dwarfs: planet formation and long term evolution". Astronomische Nachrichten 326 (10): 913–919. DOI:10.1002/asna.200510440. Bibcode2005AN....326..913A.