Voyager 2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde abril de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Current event marker.png
Este artigo ou seção contém material sobre uma missão espacial atual.
As informações podem mudar durante o progresso da missão.
CELstart-rocket.png
Voyager 2
Voyager.jpg
A sonda espacial Voyager
Operação NASA/JPL
Tipo de missão Sobrevoo e coleta de dados
Sobrevoo de Júpiter, Saturno, Urano, e Netuno
Lançamento 20 de agosto de 1977
Local do Lançamento Cabo Canaveral, Flórida, Estados Unidos
Veículo de Lançamento Titan IIIE/Centaur
Duração da missão 37 anos, 3 meses e 29 dias
Designação COSPAR 1977-076A
Site Página da Missão
Massa 721.9 kg


Voyager 2 é uma nave robótica norte-americana lançada pela NASA a 20 de Agosto de 1977 da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida. Aproximou-se dos quatro planetas gigantes do Sistema Solar, produzindo valiosíssimos resultados científicos e as melhores fotografias daqueles corpos e dos seus satélites obtidas até então. Tornou-se o quarto artefato humano a ultrapassar a órbita de Plutão em 1989, e em 2005 encontrava-se a uma distância de cerca de 75 UAs da Terra.

Utilizou uma técnica de auxílio à navegação que utiliza a atração gravítica dos planetas aos quais se aproxima. Esta técnica permite às sondas receberem uma aceleração e uma alteração de direção por forma a serem colocadas numa nova direção que as leve a um novo destino. Desta forma, as sondas podem ser construídas de forma mais leve (não necessitam de tanto combustível para aceleração e mudanças de direção) mas implica uma grande precisão nas aproximações aos planetas a visitar.

A sonda aproximou-se de Júpiter em 9 de julho de 1979 a uma distância de 570.000 quilômetros. Ela descobriu alguns anéis ao redor de Júpiter, assim como a atividade vulcânica na lua Io. Dois novos satélites de pequeno porte, Adrastea e Metis. foram encontrados orbitando. Um terceiro satélite novo, Tebe, foi descoberto entre as órbitas de Amalteia e Io. A sonda em seguida visitou Saturno em 25 de janeiro de 1981 a uma distância de 101.000 quilômetros da superfície do planeta. Em seguida, ela visitou Urano em 24 de janeiro de 1986.

Uma das novidades foi a descoberta de onze satélites naturais (Cordélia, Ofélia, Bianca, Cressida, Desdemona, Juliet, Portia, Rosalind , Belinda, Perdita e Puck) e de um anel ao redor de Urano. Também descobriu-se que o Pólo Sul de Urano estava apontado diretamente para o sol. Depois de visitar Urano, a sonda dirigiu-se em direção a Neptuno até que chegou lá em agosto em 1989, também chegando a pesquisar o satélite natural de Netuno Tritão. Após a passagem pela órbita de Plutão a Voyager 2 iniciou a sua saída do Sistema Solar.

A sonda tem anexado a sua parte externa um disco fonográfico feito de ouro intitulado "Sounds of the Earth" (Sons da Terra), com 1h30min de música e alguns sons da natureza do planeta Terra. O disco traz instruções de uso e a frase "For makers of music of all worlds and all times" (Para os fazedores de música de todos os mundos e todos os tempos). O objetivo deste disco é levar dados da Terra para uma possível civilização exterior.

Em Maio de 2010, a sonda alcançou a distância de 92 UA do Sol a uma velocidade de 3,3 UA por ano (15,4 Km/s), localizando-se na constelação de Telescópio. Prevê-se que, depois de 2030, a sonda perderá o contato com a Terra.

A sonda deverá ainda percorrer um grande espaço vazio antes de chegar a outros corpos celestes. Em torno de 14 mil anos ou mais, a exemplo da sua sonda-irmã Voyager 1, ela emergirá da Nuvem de Oort em direção ao espaço interestelar absoluto (totalmente fora da influência do campo gravitacional do Sol), desde que não haja nenhum anteparo físico (detritos ou corpos celestes) para impedi-la. Em torno de 296.000 anos, ela passará a 4,3 anos-luz da estrela Sirius, a estrela alfa da constelação de Cão Maior.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre exploração espacial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.