Designer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde setembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O designer [dizáiner][1] é um profissional que desempenha atividade especializada de caráter técnico-científico, criativo e artístico para elaboração de projetos de design passíveis de serialização ou industrialização que atendam, tanto no aspecto de uso quanto no aspecto de percepção, a necessidades materiais e de informação visual.

Em inglês, o termo se refere a qualquer indivíduo que esteja ligado a alguma atividade criativa ou de projeto.

Esse anglicismo foi adotado no final do século XX no Brasil com o objetivo de universalizar as profissões ligadas ao projeto. Isso tem ocorrido e a maioria das universidades preferem o termo "designer" pelo fato de o termo "projeto" já existir e ser um sinônimo muito próximo do termo "design".

Profissão[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a profissão do designer é reconhecida, porém não regulamentada. Existe um projeto de lei que está em tramitação no Senado Federal propondo a regulamentação da profissão. Atualmente, o projeto se encontra na Comissão de Assuntos Sociais e deverá ser votado em caráter terminativo.

Apesar de a legislação permitir que qualquer cidadão exerça a atividade mesmo sem regulamentação, normalmente isto é feito por profissionais formados em cursos superiores de design ou desenho industrial que possuam portaria e reconhecimento do MEC (Ministério da Educação e Cultura) para tal. Existem várias instituições de ensino em design com habilitações específicas como design gráfico, design de produto, design de interiores ou design de moda.

Associações de designers[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. 2008. p. 424.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]