Diane von Fürstenberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diane von Fürstenberg em 2009, no Festival de TriBeCa.

Diane von Fürstenberg, nascida Diane Simone Michelle Halfin e que antes de divorciar-se do príncipe Egon von Fürstenberg atendia por Diane, princesa von Fürstenberg, (Bruxelas, 31 de dezembro de 1946) é uma economista e estilista belga naturalizada estadunidense. É considerada umas das mais importantes criadoras de moda dos anos 1970 e 1980.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Diane Simone Michelle Halfin nasceu em uma família judaica de classe média alta. Seu pai, Leon Halfin, nascido na Romênia e de nacionalidade russa, passou a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) na Suíça. Sua mãe, Liliane Nahmias, de nacionalidade grega, foi uma sobrevivente do Holocausto. Dezoite meses antes de Diane nascer, sua mãe foi enviada para Auschwitz.

Tendo estudado Economia na Universidade de Genebra.

Aos dezoito anos, Diane conheceu o príncipe Egon von Fürstenberg (1946-2004), o filho mais velho do príncipe Tassilo von Fürstenberg, membro da Casa de Fürstenberg e, como tal, da alta nobreza alemã, e de Clara Agnelli, uma herdeira da Fiat, cuja família tem ascendência na nobreza italiana. Eles se casaram em 1969 e tiveram dois filhos, o príncipe Alexander von Fürstenberg (que nasceu seis meses depois do casamento[1] ) e a princesa Tatiana von Fürstenberg, que nasceu em Nova York. Hoje, é avó de três netos.

O casamento dos Fürstenberg, embora não fosse feliz e bem aceito pela família do noivo por causa da religião da noiva, foi considerado dinástico e, por isso, Diane recebeu o título de princesa von Fürstenberg, de acordo com o livro Manual Genealógico dos Nobres (alemães): Casas Principescas (em alemão: Genealogisches Handbuch Des Adels: Fürstliche Häuser). Egon e Diane divorciaram-se em 1972. Desde então, ela não tem mais o título nobiliárquico de princesa von Fürstenberg, mas pode usar o nome, como o faz em sua profissão.

No começo dos anos 1980, Diane von Fürstenberg teve um caso com Alain Elkann, ex-marido de Margherita Agnelli (prima de Egon), e manteve uma boa relação com os três filhos dele, Ginevra, John e Lapo Elkann.

Em 2001, ela casou-se com Barry Diller, responsável pela criação da Fox Broadcasting Company ao lado do magnata Rupert Murdoch. Diane e Barry estavam romanticamente envolvidos desde os anos 1970, embora a relação tivesse seus intervalos. No ano seguinte, ela obteve cidadania estadunidense.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Referências

  1. Joyce Maynard, "The Princess Who is Everywhere", The New York Times, 16 February 1977
  2. Revista +Z, Porto Alegre, 7 de maio de 2008
  • No início da década de 80, a estilistista criou o famoso vestido "Wrap Dress"-vestido envelope- que prometia modelar a silhueta feminina com conforto e praticidade. Isso logo após sua separação e chegada a NY, costurando sozinha as peças em seu apartanento e com seus dois filhos pequenos. Chegou a vender 25 mil peças em uma semana, após ser apadrinhada por Diana Vreeland, editora chefe da revista Vogue americana na época.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]