Educação no Peru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Educação no Peru
Flag of Peru.svg
Responsável

Recursos nacionais para educação ()
Alfabetização () 87.9%
Índice de educação  0.885 (73º no mundo)
PISA 
Leitura
Matemática
Ciência



Diplomas
 • Educação secundária
 • Educação superior


Proporção Aluno x Professor ()
 • Educação primária
 • Educação secundária


A educação no Peru é obrigatória e gratuita nas escolas públicas dos níveis da educação infantil, primária e secundária.[1] É também gratuita nas universidades públicas para estudantes que não possuem condições de pagar e que tenham um rendimento acadêmico satisfatório.[1] A educação está sub a jurisdição do Ministério da Educação, que está encarregado de formular, implementar e supervisionar a política educacional nacional.[2] Na Escola meninas e meninos passam aulas separadas em salas diferentes

História[editar | editar código-fonte]

Culturas pré-incas[editar | editar código-fonte]

Não existem registros escritos nem orais sobre algum sistema educativo organizado nas culturas pré-incas. No entanto, o nível de evolução que alcançaram algumas delas demonstra de maneira indireta a sua existência. Cada cultura, devido a suas vantagens competitivas e especialização em um campo específico, desenvolveu uma maneira ideal de treinamento. Assim é possível explicar, por exemplo, os trabalhos em ourivesaria, cerâmica e tecidos que se conservam até os dias atuais e cuja técnica foi aperfeiçoada com o passar do tempo.

Incas[editar | editar código-fonte]

A educação formal, segundo Inca Garcilaso de la Vega, foi fundada por Inca Roca, o segundo Inca da lista de Garcilaso, e difundida por Pachacútec. Ela foi desenvolvida exclusivamente para a elite real e posteriormente para os filhos dos chefes conquistados. A educação era voltada para a criação de administradores e governantes. Os amautas eram os professores, homens ilustres na filosofia e moral. O conteúdo ensinado se baseava na aritmética e astronomia, necessários para uma organização econômica baseada na agricultura. A educação era estrita e com práticas de castigo

Colônia[editar | editar código-fonte]

Na colônia era necessário cristianizar os povos vencidos e transformá-los em seus subordinados leais. A educação era predominantemente religiosa, já que estava a cargo das diferentes ordens religiosas e sacerdotais. O objetivo era reeducar os índios adultos e dar instruções às crianças e jovens em formação, doutrinando-os e ensinando-os os rudimentos da vida social européia para utilizá-los em benefício do Estado. Esta foi a educação elementar. Havia outras instâncias na educação, como a Universidad Mayor de San Marcos (fundada em 12 de maio de 1551), às quais só tinham acesso a casta aristocrática. No entanto, os índios em geral não tinham acesso à educação formal, só restando a educação informal.

Sistema educacional[editar | editar código-fonte]

Legislação[editar | editar código-fonte]

  • Lei Geral da Educação
  • Lei Universitária nº 23733
  • Lei de Promoção da Inversão Privada na Educação nº 822
  • Lei do Sistema Nacional de Avaliação, Certificação e Reconhecimento da Qualidade Educativa nº 28741.

Educação infantil[editar | editar código-fonte]

A educação infantil se inicia a partir dos 3 anos. Seu objetivo é potencializar períodos sensitivos, que são os momentos oportunos nos quais as crianças assimilam com maior facilidade determinados aprendizados. Assim a criança é o protagonista de sua aprendizagem, junto com os agentes internos e externos, que lhe proporcionam condições ótimas para o desenvolvimento de suas capacidades.

Educação primária[editar | editar código-fonte]

A educação primária possui duração de 6 anos, divididos em três ciclos de 2 anos cada. A matrícula das crianças normalmente é feita aos 6 anos de idade.

Educação secundária[editar | editar código-fonte]

A educação secundária dura 5 anos, e é um dos níveis mais difíceis de passar com satisfação.

Educação superior[editar | editar código-fonte]

A educação superior pode ser cursada nas institutos superiores tecnológicos, ou nas universidades.

Os institutos superiores tecnológicos, públicos ou privados, oferecem cursos de 3 anos, e emitem certificado de Profissional Técnico que possui um reconhecimento menor que o emitido pelas universidades.

Cobertura e Qualidade[editar | editar código-fonte]

Escolas em áreas rurais estão associados com menos conhecimento médio de alunos. [3]

A lei nº 28740, do Sistema Nacional de Qualidade, Avaliação e Certificação (SINEACE), é um sistema que promove a qualidade educativa no país mediante o estabelecimento de organismos operadores que avaliam a qualidade educativa das instituições, desde o nível básico ao tecnológico e universitário.

Peru ocupa a última posição entre os 65 países que participaram do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA). Peru também participou nas avaliações de 2001 e 2009, neste último teste, classificado em penúltimo lugar na ciência e na terceira a partir do fundo em matemática e compreensão de leitura.[4] Peru ocupa a última posição em educação de qualidade, caiu dois lugares na educação: 63-65.[5] [6]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Flag-map of Peru.svg Peru
História • Política • Forças Armadas • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Bandeira • Portal • Imagens