Enrico Ferri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Enrico Ferri (18561929) foi um criminologista italiano, socialista e um estudante de Cesare Lombroso. Contudo, ao contrário da busca por fatores de ordem fisiológica, Enrico Ferri buscava ao estudar criminosos ponderar fatores econômicos e sociais. Ferri foi autor de Sociologia Criminal em 1884 e editor do periódico socialista Avanti!. Seu trabalho serviu de base para o código penal de 1921 da Argentina. Seus argumentos acerca da prevenção de crimes em detrimento da punição por eles foram mais tarde rejeitados por Benito Mussolini, após a subida do ditador ao poder.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ferri nasceu na Lombardia em 1856[1] , e inicialmente trabalhou como conferencista e, mais tarde, professor de direito penal, tendo sido aluno de Cesare Lombroso. Enquanto Lombroso pesquisava criminologia antropológica, Ferri se concentrava nas influências sociais e econômicas sobre os criminosos e os índices de criminalidade.

A pesquisa de Ferri o levou a postular teorias de que os métodos de prevenção de crimes deveria ser o pilar para o cumprimento da lei, em oposição à punição de criminosos após haverem cometido seus crimes. Ele se tornou o fundador da escola positivista, e pesquisou o positivismo psicológico e social em oposição ao positivismo biológico de Lombroso[1] .

Ferri, na época um radical, foi eleito para o parlamento italiano em 1886. Em 1893 ele se uniu ao Partido Socialista Italiano[1] e passou a editar o diário de notícias do mesmo, Avanti!. Em 1900 e 1904, ele discursou no Congresso contra os papéis dos ministros socialistas nos governos da burguesia.

Ferri era a favor da neutralidade italiana durante a Primeira Guerra Mundial, e foi reeleito como deputado do partido socialista em 1921. Na Itália pós-guerra, ele passou a apoiar o regime facista de Mussolini. Ferri morreu em 1929[1] .

Obras[editar | editar código-fonte]

8 Princípios de direito criminal

  • Socialismo e criminalità (1883)
  • Sociologia criminale (1884)
  • Socialismo e scienza positiva (1894)
  • "Discursos Forenses (defesas penais)"

Teorias Criminais[editar | editar código-fonte]

Ferri compartilhou da ênfase de Lombroso nas características psicológicas de criminosos. Contudo, ele se concentrou no estudo de características psicológicas, as quais acreditava contribuírem para o desenvolvimento do crime em um indivíduo. Essas características incluiam gírias, grafia, símbolos secretos, literatura e arte, assim como insensibilidade moral e "uma certa repugnância à idéia e execução da ofensa, antes de cometê-la, e a falta de remorso após realizá-la".[2]

Ferri argumentou que sentimentos, assim como religião, amor, honra, e lealdade, não contribuem para o comportamento criminal, pois essas idéias eram muito complicadas para terem um impacto definitivo no senso moral básico de uma pessoa, de onde Ferri acreditou brotar o comportamento criminal. Ferri argumentou que outro sentimentos, assim como ódio, busca do amor, e vaidade têm maiores influências, pois têm maior poder sobre o senso de moral da pessoa.

Ferri resumiu sua teoria definindo psicologia criminal como uma "defeituosa resistência a tendências e pecados criminais, devido a essa impulsividade mal controlada que caracteriza crianças e animais".[2]

Crenças políticas[editar | editar código-fonte]

Ferri frequentemente traçava comparações entre o Darwinismo e o socialismo, e contestou trabalhos particulares de Ernst Haeckel que ressaltaram contradições entre as duas escolas de pensamento. Ferri argumentou que, ao invés disso, o Darwinismo dava base ao socialismo com seus princípios científicos.[3]

Ferri via religião e ciência como sendo inversamente proporcionais. Assim, quando a força de um deles aumentava, a do outro caía. Ferri observou que darwinismo dava um golpe prejudicial à religião e as origens do Universo de acordo com a igreja, fazendo com que o socialismo subisse na comparação. Assim, Ferri argumentou que o socialismo foi uma extensão do darwinismo e da teoria da evolução.

Notas

  1. a b c d Biography from Marxist.org, acessado em 10 de março de 2007
  2. a b Criminal Sociology. Enrico Ferri (1905)
  3. Socialism and Positive Science. Enrico Ferri (1894)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]