Epsilon Pegasi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ε Pegasi
Dados observacionais (J2000)
Constelação Pegasus
Asc. reta 21h 44m 11,2s[1]
Declinação 09° 52′ 30,0″[1]
Magnitude aparente 2,399[2]
Características
Tipo espectral K2 Ib[1]
Cor (U-B) 1,722[2]
Cor (B-V) 1,527[2]
Variabilidade variável irregular lenta tipo LC[3]
Astrometria
Velocidade radial 3,39 ± 0,06 km/s[1]
Mov. próprio (AR) 26,92 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) 0,44 mas/a[1]
Paralaxe 4,73 ± 0,17 mas[1]
Distância 690 ± 20 anos-luz
211 ± 8 pc
Magnitude absoluta –4,142[4]
Detalhes
Massa 11,7 ± 0,8[5] M
Raio 185[6] R
Gravidade superficial 1,01 (log g)[4]
Luminosidade 5 000[7] L
Temperatura 4 337[4] K
Metalicidade [Fe/H] –0,04[4]
Rotação 8 km/s[8]
Idade 20,0 ± 4,5 milhões[5] de anos
Outras denominações
Enif, 8 Peg, BD+09 4891, FK5 815, HD 206778, HIP 107315, HR 8308, SAO 127029.[1]
Epsilon Pegasi
Pegasus constellation map.png

Epsilon Pegasi (ε Peg, ε Pegasi) é a estrela mais brilhante da constelação de Pegasus, com uma magnitude aparente de 2,399.[2] É conhecida também pelo nome tradicional Enif, que é derivado da palavra árabe para nariz, devido à sua posição na constelação.[9] A distância a ela pode ser estimada usando medições de paralaxe da missão Hipparcos, dando um valor de 690 anos-luz (211 parsecs) da Terra, com uma margem de erro de 20 anos-luz.[1]

Epsilon Pegasi é uma estrela evoluída que está no estágio de supergigante, confome indicado pela classificação estelar de K2 Ib.[1] Estima-se que tenha 12 vezes a massa do Sol.[5] Seu diâmetro angular, após correções de escurecimento de bordo, é de 8,17 ± 0,09 milissegundos de arco,[10] o que, combinado com a distância, dá um tamanho enorme de 185 vezes o raio solar.[6] Está irradiando de sua atmosfera 5 000 vezes a luminosidade do Sol[7] a uma temperatura efetiva de 4 337 K.[4] Com essa temperatura, tem a coloração alaranjada típica de estrelas de classe K.[11]

Em algumas ocasiões, o brilho de Epsilon Pegasi aumentou radicalmente, ficando até mais brilhante que Altair, a estrela mais brilhante da constelação de Aquila.[9] É uma variável irregular lenta de tipo LC que varia entre +0,7 e +3,5 em magnitude.[3] Seu espectro mostra abundância de estrôncio e bário, o que pode ser resultado do processo S de nucleossíntese na atmosfera externa da estrela.[7] Tem uma velocidade peculiar relativamente alta de 21,6 km/s.[5]

Como uma supergigante, Epsilon Pegasi está no fim de sua vida, porém, como sua massa está na divisa entre estrelas destinadas a explodir ou não, não se sabe se irá explodir em uma supernova ou se tornar uma rara anã branca de neônio e oxigênio com menos da metade do tamanho da Terra.[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j SIMBAD query result - eps Peg. SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Página visitada em 24 de setembro de 2012.
  2. a b c d Cousins, A. W. J. (1984), "Standardization of Broadband Photometry of Equatorial Standards", South African Astronomical Observatory Circulars 8: 59, Bibcode1984SAAOC...8...59C 
  3. a b "eps Peg", General Catalogue of Variable Stars (Centre de Données astronomiques de Strasbourg), http://www.sai.msu.su/gcvs/cgi-bin/search.cgi?search=eps+Peg, visitado em 24 de abril de 2011 
  4. a b c d e Soubiran, C. et al. (2008), "Vertical distribution of Galactic disk stars. IV. AMR and AVR from clump giants", Astronomy and Astrophysics 480 (1): 91–101, doi:10.1051/0004-6361:20078788, Bibcode2008A&A...480...91S 
  5. a b c d Tetzlaff, N.; Neuhäuser, R.; Hohle, M. M. (janeiro de 2011), "A catalogue of young runaway Hipparcos stars within 3 kpc from the Sun", Monthly Notices of the Royal Astronomical Society 410 (1): 190–200, doi:10.1111/j.1365-2966.2010.17434.x, Bibcode2011MNRAS.410..190T 
  6. a b Lang, Kenneth R. (2006), Astrophysical formulae, Astronomy and astrophysics library, 1 (3 ed.), Birkhäuser, ISBN 3-540-29692-1, http://books.google.com/books?id=OvTjLcQ4MCQC&pg=PA41 . O raio (R*) é dado por:
    \begin{align} 2\cdot R_*
 & = \frac{(10^{-3}\cdot 211\cdot 8,17)\ \text{UA}}{0,0046491\ \text{UA}/R_{\bigodot}} \\
 & \approx 370,8\cdot R_{\bigodot}
\end{align}
  7. a b c Smith, Verne V.; Lambert, David L. (junho de 1987), "Are the red supergiants Epsilon Peg and 12 PUP victims of mild s-processing?", Monthly Notices of the Royal Astronomical Society 226: 563–579, Bibcode1987MNRAS.226..563S 
  8. Bernacca, P. L.; Perinotto, M. (1970). "A catalogue of stellar rotational velocities". Contributi Osservatorio Astronomico di Padova in Asiago 239 (1). Bibcode1970CoAsi.239....1B.
  9. a b c Kaler, James B. ENIF (Epsilon Pegasi). Stars. Página visitada em 24 de setembro de 2012.
  10. Richichi; Percheron, I.; Khristoforova, M. (fevereiro de 2005), "CHARM2: An updated Catalog of High Angular Resolution Measurements", Astronomy and Astrophysics 431: 773–777, doi:10.1051/0004-6361:20042039, Bibcode2005A&A...431..773R 
  11. "The Colour of Stars", Australia Telescope, Outreach and Education (Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation), 21 de dezembro de 2004, http://outreach.atnf.csiro.au/education/senior/astrophysics/photometry_colour.html, visitado em 16 de janeiro de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.