Erwin Kräutler

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Erwin Kräutler, CPPS
Bispo da Igreja Católica
Prelazia do Xingu
Dom Erwin Krautler

Título

Bispo Prelado do Xingu
Hierarquia
Papa Francisco
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 3 de julho de 1965
Ordenação episcopal 25 de janeiro de 1981
Lema episcopal SERVUS CHRISTI JESU
Servo de Cristo Jesus
Dados pessoais
Nascimento Áustria Koblach
12 de julho de 1939 (75 anos)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Erwin Kräutler, C.PP.S (Koblach, 12 de julho de 1939) é um religioso austríaco, missionário da Congregação do Preciosíssimo Sangue, bispo católico, atual bispo prelado do Xingu, no estado do Pará.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu na Áustria, em 12 de julho de 1939; fez escola primária em Koblach (1945-1951) e Feldkirch (1951-1958). Em 1958 a 1959 ingressou na Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue, em Schellenberg, Principado de Liechtenstein. Em Salzburgo realizou seus estudos de Filosofia (1959-1962) e Teologia (1959-1965).

Em 3 de julho de 1965 foi ordenado presbítero em Salzburgo. No mesmo ano foi enviado como missionário ao Pará, onde seu tio Eurico Kräutler era bispo.

Atividades antes do episcopado[editar | editar código-fonte]

O Padre Erwin foi vigário cooperador de Altamira (1965-1979); pároco de São Francisco Xavier de Souzel (1979-1980); reitor da Escola Apostólica São Gaspar, Altamira, (1967-1974); professor de Filosofia Educacional e Psicologia Educacional no Instituto Maria de Mattias, Altamira (1966-1980);ecônomo da Prelazia do Xingu; encarregado pastoral de Vila Vitória. Recebeu a cidadania brasileira em 1981.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

  • 2 de novembro de 1965 - Partida da Áustria para o Brasil.
  • 25 de novembro de 1965 - Chegada em Belém, Pará.
  • 21 de dezembro de 1965 - Chegada em Altamira, Pará.
  • 1966-1980 - Professor de Ensino Religioso, Psicologia e Filosofia da Educação e Inglês no Instituto Maria de Mattias, Altamira.
  • 7 de julho de 1978 - Naturalizado brasileiro.
  • 1968-1980 - Ecônomo da Prelazia do Xingu.
  • 25 de janeiro de 1981 - Ordenação Episcopal em Altamira, Pará.
  • 7 de novembro de 1980 - Nomeação para bispo-coadjutor da Prelazia do Xingu.
  • setembro de 1981 - Sucessão a Dom Eurico como bispo do xingu pleno iure
  • 1983-1991 - Presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI).
  • 1992 - Delegado da CNBB na IV Conferência Episcopal Latinoamericana e do Caribe em Santo Domingo.
  • 1997 - Delegado da CNBB no sínodo da América no Vaticano
  • 1995 a 2003 - Membro da Comissão Episcopal Pastoral da CNBB Nacional, responsável pela dimensão missionária
  • 9 de novembro de 2006 - Assume interinamente a presidência do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) em virtude do falecimento de Dom Franco Masserdotti
  • 31 de maio de 2007 - Delegado da CNBB na V. Conferência Episcopal Latinoamericana e do Caribe em Aparecida, Brasil
  • 1 de agosto de 2007 - Eleito presidente do CIMI por mais um quadriênio.
  • 6 de outubro de 2011 - Reeleito presidente do Conselho Indigenista Missionário.

Episcopado[editar | editar código-fonte]

Em 7 de novembro de 1980, o Papa João Paulo II nomeou o padre Erwin Kräutler para a função de prelado coadjutor da Prelazia do Xingu. Recebeu a ordenação episcopal em Altamira, no dia 25 de janeiro de 1981, pelas mãos de Dom Carmine Rocco, Dom Alberto Gaudêncio Ramos e de Dom Eurico Kräutler.[1]

Em 2 de setembro de 1981, aos 42 anos de idade, é nomeado bispo prelado do Xingu com o lema Servus Christi Jesu (Servo de Cristo Jesus).

Atividades durante o episcopado[editar | editar código-fonte]

Foi bispo coadjutor do prelado do Xingu (1981); bispo prelado do Xingu pleno iure a partir de 1981. Foi presidente do Conselho Indigenista Missionário (1983-1991); membro da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB, responsável pela dimensão missionária (1995-1998). Foi delegado à Assembléia Especial do Sínodo dos Bispos para a América por eleição da Assembléia da CNBB e confirmado pelo Papa João Paulo II (1997). Novamente Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB, responsável pela dimensão missionária (1999-2003).

Dom Erwin atuou com a irmã Dorothy Stang e prossegue na mesma luta pelos direitos das comunidades camponesas e indígenas e pela preservação ambiental na região amazônica; denunciou a exploração sexual de adolescentes por políticos; denunciou a emasculação e assassinato de meninos no estado; vem denunciando a atuação de latifundiários, grileiros, madeireiros e fazendeiros com práticas de trabalho escravo e de destruição ambiental; tem aberto espaço na sua diocese para o debate sobre a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, que ameaça atingir comunidades indígenas e camponesas, mas, segundo ele, é de interesse de madeireiros e grandes empresários.[2]

Segundo o bispo, é comum ouvir em Altamira que, enquanto ele viver, a usina não sai. Ele também acredita que há pessoas diretamente ligadas ao assassinato da irmã Dorothy que também estão envolvidos no empreendimento[3] .

Dom Erwin vem sendo ameaçado e agredido inúmeras vezes há muitos anos devido à sua atuação[4] . Em 1987, um acidente de carro suspeito quase lhe tirou a vida numa rodovia, e provocou a morte do padre Salvatore Deiana, que o acompanhava. Suspeita-se que este acidente tenha sido forjado. Atualmente, Dom Erwin Krautler é presidente do Cimi (Conselho Indigenista Missionário)[5] e vive sob a proteção de policiais militares do estado do Pará.

Sua atuação também foi reconhecida por diversas entidades por meio de prêmios de direitos humanos e títulos doutor honoris causa que recebeu.

Em 2007, participou da Conferência de Aparecida.

Dom Kräutler foi concelebrante da ordenação episcopal de Dom Jacinto Bergmann

Premiações e menções honrosas[editar | editar código-fonte]

  • 2010
  • 2009
    • Grande Insígnia de Ouro com a Estrela da Ordem do Mérito por serviços prestados à República da Áustria
  • 2008
    • Prêmio Verde das Américas, categoria Direitos Humanos, Fórum “Greenmeeting” 2008 com apoio da ONU e OEA e lideranças indígenas nacionais e internacionais
  • 2007
    • Medalha Chico Mendes, concedida por “Tortura Nunca Mais”, Rio de Janeiro
  • 2006
  • 2005
    • Viktor-Frankl-Preis, Viktor-Frankl-Fonds da Cidade de Viena, Áustria.
  • 2004
    • Prêmio GlobArt, GLOBArt Connecting Worlds of Arts and Sciences, Áustria.
  • 2002
    • Prêmio Konrad Lorenz, Governo da Áustria, pela defesa do Meio-ambiente.
  • 2001
    • Anel de Honra do Município de Koblach, Áustria.
  • 1996
    • Cidadão honorário da Ourilândia do Norte, concedido pela Câmara Municipal de Ourilândia do Norte (PA).
  • 1993
    • Doutor honoris causa em Teologia, concedido pela Fakultät Katholische Theologie der Otto-FriedrichUniversität (Bamberg, Alemanha).
  • 1992
    • Prêmio Dr. Toni Ruß, concedido pelo jornal Vorarlberger Nachrichten (Áustria).
    • Cidadão honorário de Altamira, concedido pela Câmara Municipal de Altamira.
    • Prêmio Dr. Karl Renner, concedido pela cidade de Viena.
    • Doutor honoris causa em Teologia, concedido pela Theologische Fakultät Luzern (Lucerna, Suíça).
    • Doutor honoris causa em Ciências Sociais e Econômicas, concedido pela Leopold-Franzens-Universität (Innsbruck, Áustria).
  • 1991
    • Prêmio Dr. Bruno Kreisky de direitos humanos (Viena).
  • 1989
    • Prêmio Binding, pelo engajamento na proteção do meio ambiente, concedido pelo Principado de Liechtenstein.
  • 1988
    • Prêmio Oscar Romero de Direitos Humanos, concedido pela KMB (Organização dos Homens Católicos da Áustria).

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Lebenswelten und Problemfelder in Amazonien heute. Wiener Vorlesungen: Band 124. Picus Verlag. Viena: 2006.
  • Dom Erwin. Interviews von Verena Daum mit Bischof Erwin Kräutler. Fotos: Miro Kuzmanovic. Verlag Bucher. Hohenems: 2006.
  • My life ist like the Amazon. From a Bishop‘s Journal. C.PP.S. Ressources 17. The Messenger Press. Cincinnati, Ohio: 1994.
  • Die Nacht ist noch nicht vorüber. Der Bischof vom Amazonas als Anwalt der Menschen. Verlag Herder. Freiburg/B.: 1994. (Band 1781)
  • Kirche mit indianischem Antlitz - eine Utopie? Wiener Vorlesungen: Band 21. Picus Verlag. Viena: 1993.
  • Mein Leben ist wie der Amazonas. Aus dem Tagebuch eines Bischofs. Otto Müller Verlag. Salzburgo: 1992.
  • Verlag Herder. Freiburg/B.: 1994. (Band 8815)
  • 500 Jahre Lateinamerika - kein Grund zum Feiern. Wiener Vorlesungen: Band 15. Picus Verlag. Viena: 1992.
  • Testemunha de Resistência e Esperança. Discursos de Itaici em defesa dos povos indígenas. Dom Erwin Krautler. CIMI. Brasília: 1991.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Erwin Kräutler (em inglês). Visitado em 2 de outubro de 2010.
  2. Glüsing, Jens. (5 de julho de 2007). Bishop to Plead With Benedict XVI to Help Amazon Poor. Der Spiegel, acesso em 22 de junho de 2010
  3. CHIARETTI, Daniela. (9 de abril de 2010). Altamira, cidade abandonada na Amazônia. Jornal Valor Econômico
  4. Folha de S.Paulo. (11 de abril de 2008). CNBB cobra proteção para bispos no Pará. Caderno Brasil
  5. EcoDebate. (30 de abril de 2010). Dom Erwin Kräutler diz que a discussão sobre Belo Monte está apenas começando, acesso em 22 de junho de 2010
  6. Dom Erwin ganha Prêmio Nobel Alternativo CNBB. Visitado em 2 de outubro de 2010.


Precedido por
Eurico Kräutler, CPPS
Brasão episcopal.
Bispo da Prelazia do Xingu

1980 - atualidade
Sucedido por
-
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Erwin Kräutler