GRES Unidos de Bangu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Unidos de Bangu
2013 - Unidos de Bangu - 11.JPG
Fundação 15 de novembro de 1937 (76 anos)
Cores

Vermelho

Branco
Símbolo Pandeiro
Bairro Bangu
Presidente Rafael Marçal
Presidente de honra Thiago Pampolha
Patrono Renato Moura
Carnavalesco Petterson Alves
Intérprete oficial Marcelo Rodrigues
Diretor de carnaval Marcelo Chaves
Diretor de harmonia Beto Manfredo
Diretor de bateria Mestre Zumbi
Mestre-sala e porta-bandeira Bira e Janaína Manfredo
Desfile de 2015
Enredo "Imperium"
Horário 13 de Fevereiro
21:00
www.unidosdebangu.com.br

Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Bangu é uma escola de samba do Rio de Janeiro com sede no bairro de Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Foi fundada a 15 de novembro de 1937, sendo a mais antiga da Zona Oeste do Rio de Janeiro em atividade. É a madrinha da Acadêmicos de Santa Cruz. Já participou do Grupo Especial do carnaval carioca em 1958, 1959, 1960 e 1963. A escola é bicampeã da Série A do carnaval carioca, conquistando os títulos de 1957 e 1962.

História[editar | editar código-fonte]

A agremiação, a exemplo do Casino Bangu e o Bangu Atlético Clube, nasce de um grupo de operários da hoje extinta Fábrica Bangu. A Unidos de Bangu é a mais antiga da zona oeste do Rio de Janeiro.

As primeiras cores oficiais da escola foram o azul e o branco. A cor vermelha e branca somente foi adotada em 1966, em homenagem, após o segundo título do campeonato carioca conquistado pelo Bangu Atlético Clube. Participou em vários anos do, agora chamado, Grupo Especial. A escola nunca se firmou entre as grandes. Porém, sempre figurou nos grupos de acesso como uma escola carismática, de um povo feliz[carece de fontes?] que fazia do bairro de Bangu seu maior orgulho. Foi a primeira escola de samba do Brasil a ter vínculo informal com um clube de futebol (Bangu Atlético Clube).[carece de fontes?] Pioneirismos este muito copiado no Estado de São Paulo, como por exemplo, a Gaviões da Fiel (Corinthians), Mancha Verde (Palmeiras) e Dragões da Real (São Paulo).[carece de fontes?] Foi a primeira escola de samba a ter uma quadra coberta no Brasil.[carece de fontes?] Também foi a pioneira em adotar banheiros separados para homossexuais no Brasil. [carece de fontes?]

Sua quadra ficava localizada na Avenida Cônego de Vasconcelos, 1313, junto ao "paredão negro" (Bangu), que durante muitos anos foi um foco de resistência cultural, onde se jogava capoeira e dançava o jongo. Tendo sua bateria, oriunda da Estácio e as baianas, do Império Serrano. Pois a maioria dela morava na Serrinha, em Madureira.

Em 1957 a agremiação conquista seu primeiro título, o do segundo grupo com o enredo "Homenagem à aviação brasileira" conquistando 93 pontos.

Em 1958, na sua estreia no Grupo Especial a Unidos de Bangu fica na 12ª posição entre 18 agremiações com o enredo "Proclamação da República" conquistando 80 pontos.

Em 1959 a escola consegue seu melhor desempenho fechando na 8ª posição entre 17 escolas, o samba-enredo "O último baile da Corte Imperial" conquista 82,5 pontos dos jurados. Nesse carnaval a Unidos de Bangu ficou acima de escolas tradicionais como a Caprichosos de Pilares, Unidos da Tijuca e Unidos do Salgueiro. [1]

Em 1960 repetiu a mesma colocação, com 51 pontos, sendo rebaixada por ter ficado em último lugar entre 12 escolas.[2]

Após um terceiro lugar no ano seguinte, em 1962 vence novamente o segundo grupo, derrotando a Beija-Flor de Nilópolis nos critérios de desempate, voltando ao grupo principal pela última vez para 1963, quando fica em 9º lugar entre 10 escolas e é rebaixada com apenas 44 pontos.

Igor Vianna, compositor do samba, e Carlinhos Piloto, compositor e intérprete do samba 2013.
Ney Júnior, carnavalesco que levou a escola de volta à Sapucaí.

A Unidos de Bangu encerrou suas atividades após uma lastimosa administração, que dilapidou o patrimônio da escola. A quadra, que ficava na Fábrica Bangu, possuía usufruto, logo, com a paralisação da escola, a quadra teve que ser devolvida aos herdeiros da fábrica, que posteriormente venderam o imóvel.

Em novembro de 2012, após 15 anos de inatividade, a Unidos de Bangu voltou a desfilar, herdando a vaga da Independente de São João de Meriti[3] . Impulsionados pelo crescimento do bairro, alguns jovens se mobilizaram para a realização do desfile[4] . Logo na reestreia, foi a vice-campeã do Grupo C, conseguindo a promoção ao Grupo B, em 2014.

Em setembro de 2013, inaugurou sua nova quadra, na esquina da Rua Doze de Maio c/ Rua Santa Cecília[5] .

Para 2014 a escola contratou o jovem, mas experiente carnavalesco Ney Junior, levando para a avenida um enredo que exaltou o bairro de Bangu. Há poucas semanas do carnaval, o intérprete Igor Vianna, que havia gravado o áudio oficial do samba, deixou a agremiação, sendo substituído por Nino do Milênio e Lico Monteiro. Primeira escola a desfilar, a Bangu foi a campeã do grupo B, voltando à Sapucaí para 2015[6] . Após um bom tempo longe da Sapucaí, a agremiação trouxe o carnavalesco Petterson Alves, vindo da MUG, ainda terá uma dupla de intérpretes: Marcelo Rodrigues, ex-Cubango que dividirá o microfone principal com o consagrado Wander Pires, que defenderá a escola devido a Tatuapé desfilar no sábado, já que a escola de Bangu abrirá o desfile da Série A, na sexta[7] .

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Shirlene Machado de Souza Netto 1992-1993
Sem dados 1994-1998 [8]
Rafael Marçal final de 2012-atualidade [9]

Presidente de honra[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Thiago Pampolha final de 2012-atualidade

Patrono[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Renato Moura final de 2012-atualidade

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014 Marquinhos Marino e Rodrigo Sérgio Jacintho "Serginho Harmonia"[carece de fontes?] Flávio [9]
2015 Marcelo Chaves

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014 Carlos Fontinelle
2015

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014 Bira e Janaína Manfredo [9]
2015

Rainhas de bateria[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2013 Lucilene Caetano
2014 Monike Vieira
2015

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Unidos de Bangu
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
1957 Campeã 2 Homenagem à aviação brasileira Maza
1958 12° lugar 1 Proclamação da República
1959 8° lugar 1 O último baile da Corte Imperial
1960 8° lugar 1 Jóias da Primavera
1961 3° lugar 2 Os bandeirantes
1962 Campeã 2 Fragata de Dom Afonso Darcy de Jesus
1963 9° lugar 1 Brasil, pátria universal
1964 13° lugar 2 Jóias da poesia
1965 6° lugar 3 4° Centenário
1966 5° lugar 3 Viagem pitoresca e histórica do Brasil
1967 19° lugar 3 Os precursores da Abolição Josafá Pereira
1968 9° lugar 3 Vida Histórica de Vitor Meireles de Lima Dario de Souza
1969 14° lugar 3 Maria Quitéria, heroína da Independência Josafá Pereira
1970 7° lugar 3 Dr. Vital Brasil
1971 3° lugar 3 O Guarani, de José de Alencar
1972 Não desfilou 2 Um dos motivos da Independência
1973 3° lugar 3 Prodígio de café na economia brasileira John Rubens Ide
1974 14° lugar 2 Rio, pé de moleque
Compositor: Devanil Silva
Mestre Gego
1975 11° lugar 2 Emília no país da gramática
Compositores: Roberto Rodrigues e Frankiln Martins
Israel do Nascimento
1976 16° lugar 2 Festas e tradições de nossa gente
Compositores:Marujo, Nilton Leal e Jorge Melodia. Intérprete:Ubirajara Proença
Carlos de Azevedo
1977 5° lugar 3 Madame Satã na corte da Lapa boêmia Carlinhos D'Andrade e Ernesto Nascimento Ubirajara Proença
1978 3° lugar 3 Essa dupla é uma parada Ernesto Nascimento Ubirajara Proença
1979 5° lugar 2-A Brasil, batucai vossos pandeiros
Compositores:Afonso Mendes e G. Solano
Mestre Gego
1980 6° lugar 1-B A lenda de Juparanã, a lagoa encantada
Compositores: Élio, Hildo, Servilho, Wantuil e Wilson
Félix Bezerra
1981 7° lugar 1-B É hoje, a história do carnaval
Compositores:Batista do Parque, Totonho e Marcos Job
Félix Bezerra
1982 10° lugar 1-B Você sabe como é Félix Bezerra
1983 5° lugar 1-B Obrigado, Brasil - Fantasia Brasileira José Eugênio da Silva Sobrinho [10]
1984 6° lugar 1-B Atrás do trio elétrico Lacerda e José Eugênio Sobrinho [10]
1985 7° lugar 1-B É hoje só, amanhã não tem mais Félix Bezerra
1986 9° lugar 3 A procissão dos navegantes
Compositores:Martinho Devaneio, Waldeci e Wanderley.
Departamento Cultural Sobrinho [10]
1987 8° lugar 3 Tem que dar certo
1988 6° lugar 3 Rio que tem piranha, jacaré nada de costas César D'Azevedo
1989 9° lugar 3 As águas vão rolar César D'Azevedo e Roberto Costa
1990 7° lugar 3 O encanto da vida é recordar Marcio Machado e Guilherme Andrade
1991 5° lugar 3 Ginga Palmares e liberdade Comissão de Carnaval
(Sebastião Freitas, Tião Bengala e Márcio Machado)
1992 4° lugar 3 Troque a pilha e aumente o volume Adilson Nogueira
1993 5° lugar 3 Alerta, vamos sambar, aí vem a Emilinha
1994 7° lugar 3 Correio Nacional através dos tempos Ronaldo Calzalari
1995 6° lugar 1 Rosa, uma flor mulher
1996 6° lugar E Oh! Que saudades eu tenho
1997 5° lugar E Mocidade Independente, uma estrela do céu para brilhar em Padre Miguel Natan
Não desfilou de 1998 a 2012 [3] [4]
2013 Vice-Campeã C Nas lembranças da infância, um carnaval de esperança.
Compositores: Thiago Meiners, Igor Vianna, Evaldo Júnior, Arlindo Neto e Carlinhos Piloto.
Ricardo Paulino e Luciano Santos Carlinhos Piloto [3] [4]
2014 Campeã B Eternamente Bangu Ney Júnior Nino do Milênio
Lico Monteiro
[11] [12] [13]
2015 Série A Imperium Petterson Alves Marcelo Rodrigues [7] [14] [15]

Títulos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre GRES Unidos de Bangu
  • Grupo de Acesso (Série A): 1957 e 1962
  • Grupo B: 2014

Resultados no Grupo Especial[editar | editar código-fonte]

  • 1958: 12º lugar - 80 pontos
  • 1959: 8º lugar - 82,5 pontos (melhor resultado)
  • 1960: 8º lugar - 51 pontos (Rebaixada)
  • 1963: 9º lugar - 44 pontos (Rebaixada)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ARAÚJO, Hiram. Carnaval: seis milênios de história. Rio de Janeiro: Ed. Gryphus, 2003.

Referências

  1. Academia do Samba. Classificação 1959. Visitado em 01/12/2012.
  2. Academia do Samba. Classificação 1960. Visitado em 01/12/2012.
  3. a b c O Dia na Folia. Depois de 15 anos inativa, Unidos de Bangu voltará a desfilar. Visitado em 08/11/2012.
  4. a b c G1 (04/02/2013). Escola Unidos de Bangu volta a desfilar no Rio após 15 anos parada 20h31. Visitado em 05/02/2013.
  5. SRZD (23/09/2013). Unidos de Bangu promove feijoada e inaugura nova quadra 3h15. Visitado em 23/09/2013.
  6. Rodrigo Burgos, para o SRZD-Carnaval (06/03/2014). Unidos de Bangu vence no Grupo B e garante acesso à Série A 19h11. Visitado em 07/03/2014.
  7. a b Joice Hurtado, para o SRZD-Carnaval (16/04/2014). Unidos de Bangu aposta em infraestrutura e investimento para 2015 16h50. Visitado em 16/04/2014.
  8. Academia do Samba. Diretoria. Visitado em 11/05/2014.
  9. a b c Galeria do Samba. Carnaval de 2014 - Eternamente Bangu. Visitado em 11/05/2014. Cópia arquivada em 11/05/2014.
  10. a b c Sambario. Sobrinho. Visitado em 12/05/2013.
  11. Eduardo Hollanda - Carnavalesco (22/01/2014). Grupo de Acesso B: como será o desfile da Unidos de Bangu 11:50. Visitado em 22/01/2014.
  12. Rodrigo Burgos, para o SRZD-Carnaval (02/03/2014). Unidos de Bangu: escola abre desfiles do Grupo B 21h55. Visitado em 03/03/2014.
  13. Lico monteiro é o novo intérprete da Unidos de Bangu 19h11 (19/03/2014). Visitado em 19/03/2014.
  14. SRZD-Carnaval (21/05/2014). Unidos de Bangu apresenta equipe e enredo para o Carnaval 2015 02h04.
  15. O Dia na Folia (20/05/2014). 'Imperium': Unidos de Bangu levará viagem histórica para o Sambódromo 20h35.