Grande Holanda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde maio de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
 
A visão mais comum da "Grande Holanda": uma união política entre Flandres e os Países Baixos.

Grande Holanda (em Holandês: Groot-Nederland ou Dietsland) é um ideal político utilizado por grupos políticos nacionalistas irredentistas que aspira unir todas as regiões falantes do holandês (Holanda, Flandres e Nord) em um único Estado.

Um cenário inclui uma (re) unificação dos Países Baixos e Flandres, que pode ser pensado como um possível Estado unitário, uma federação ou uma confederação. Dado este cenário seria unir o povo holandês, o termo Dietsland ( "Dutchland") é usado para descrever a unificação. A ideologia, também conhecida como o "reunificação holandesa", baseia-se no fato de que os holandeses e Belgas de língua neerlandesa (conhecido como Flamengos) partilham uma história comum, cultura e língua. Além de ter defensores na Holanda, na Bélgica (região de Flandres), também é grande o número de adeptos dessa idéia e dadas as dificuldades sentidas em formar um governo após as eleições belgas em 2007, a probabilidade de Flandres separar-se da Bélgica parece maior do que antes. O conceito de "Grande Holanda" é associada à organizações de direita, tanto na Holanda e na Bélgica, que utilizou parte da ideologia do movimento e de alguns dos seus símbolos para atingir seus próprios objetivos durante a II Guerra Mundial.

Outro cenário, denominado "Grande Países Baixos" (Heel-Nederland) ou "Toda a Holanda" envolve combinar todos os Países Baixos em uma única entidade, a "Netherlands". Essa ideologia deseja a criação de um estado, compreendendo todos os Países Baixos históricos (não apenas as áreas de língua neerlandesa). A principal proposta envolve unir a Bélgica, Luxemburgo e os Países Baixos (o que seria semelhante ao antigo Reino Unido dos Países Baixos). Outras versões incluem ainda o Norte da França (de preferência, Nord-Pas de Calais) e áreas de idioma holandês da Alemanha, indo mesmo ao extremo de incluir a África do Sul.

Ainda outra forma é o contemporâneo "Orangismo" que visa a restauração da família real holandesa (Casa de Orange-Nassau) para os Países Baixos.

Ver também[editar | editar código-fonte]