Gumbo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Shrimp gumbo.jpg

O Gumbo (pronuncia-se gambo) é o prato mais marcante da culinária Cajun da Louisiana (sul dos Estados Unidos). É um guisado ou uma sopa grossa, geralmente com vários tipos de carne ou mariscos, que se come com arroz branco, podendo constituir uma refeição completa[1] (em inglês).

A palavra "gumbo" é de origem incerta, havendo duas fontes prováveis. A primeira é a palavra Bantu "(ki)ngombo", que significa quiabo [2] [3] (um dos ingredientes utilizados para engrossar o molho). A outra fonte possível é a palavra Choctaw "kombo", que significa sassafrás (outro ingrediente utilizado para o mesmo efeito). [4] [5]

A forma mais comum de engrossar o gumbo é começar por criar um roux (a base do molho béchamel, mas mais escuro), feito de farinha de trigo tostada em gordura. São-lhe depois adicionados vegetais cortados (cebola, aipo e pimento são geralmente descritos como "a santíssima trindade" do gumbo) e, finalmente, as carnes, mariscos e enchidos (ex., salsicha andouille ou kielbasa, ambas semelhantes ao chouriço português).

Em vez do roux, alguns gumbos são engrossados com quiabo. Uma terceira forma de engrossar o molho do gumbo é com pó de sassafrás (também conhecido como "pó de filê"). Geralmente não se utiliza quiabo e sassafrás no mesmo prato, mas qualquer um dos dois pode ser utilizado em adição a um roux. Na maior parte dos gumbos modernos, o pó de sassafrás é servido à parte, para que cada um ponha a quantidade que desejar.

Referências

  1. SouthernGumboTrail.com - História do gumbo
  2. Oxford American Dictionaries
  3. The Chambers Dictionary, 1994, ISBN 0-550-10255-8
  4. http://www.nanps.org/featuredplants.aspx?article=sass1.html
  5. Indians, Settlers, and Slaves in a Frontier Exchange Economy, 1992, ISBN 978-0-8078-2014-8, P. 110.