Hubert Dreyfus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hubert Lederer Dreyfus
Dreyfus 2011
Nascimento 15 de Outubro de 1929
Nacionalidade Estado-unidense
Ocupação Professor, filósofo,
Influências
Influenciados
Principais interesses Fenomenologia, Existencialismo, Folosofia da Psicologia e da Literatura, Filosofia da inteligência artificial

Hubert Lederer Dreyfus (15 de Outubro de 1929) é um filósofo norte-americano. É professor na Universidade de Berkeley.

Seus pricipais interesses incluem fenomenologia, existencialismo e a filosofia da psicologia e da literatura, bem como as implicações filosóficas da inteligência artificial.[1] Dreyfus é conhecido pela sua exegese de Martin Heidegger.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dreyfus nasceu em Terre Haute, Indiana, de Stanley S. e Irene Lederer Dreyfus. Ele estudou na Universidade de Harvard, conseguindo três graus acadêmicos, um BA em 1951, um MA em 1952 e um PhD em 1964[2] , sob a supervisão de Dagfinn Føllesdal. Ele é considerado um dos melhores intérpretes do trabalho de Michel Foucault, Maurice Merleau-Ponty, mas especialmente de Martin Heidegger. O seu Being-in-the-World: Um comentário a Ser e tempo de Martin Heidegger," Divisão 1, é considerado por alguns, que tentam ensinar Heidegger a Licenciados, como a interpretação modelo, sobre a mais significativa contribuição de Heidegger para a filosofia. Ele também co-escreveu Michel Foucault: Beyond Structuralism and Hermeneutics, e traduziu para o inglês Sense and Non-Sense de Merleau-Ponty. Dreyfus é o autor do controverso livro de 1972 What Computers Can't Do, revisto pela primeira vez em 1979, e novamente em 1992 com uma nova introdução e um novo titulo What Computers Still Can't Do. Embora tenha passado a maior parte da sua carreira de professor em Berkeley, Dreyfus também leccionou na Universidade Brandeis (de 1957 a 1959), no Massachusetts Institute of Technology (de 1960 a 1968),Universidade de Frankfurt e no Hamilton College. O seu trabalho filosófico influenciou Richard Rorty, Charles Taylor, [[John Searle], e o seu antigo aluno John Haugeland, entre outros. Em 1965, enquanto leccionava no M.I.T., Dreyfus publicou Alchemy and Artificial Intelligence, um ataque ao trabalho de Allen Newell e Herbert A. Simon, dois dos mais importantes investigadores no campo da Inteligência Artificial. Dreyfus não só questionou os resultados que eles tinham obtido, bem como o seu pressuposto fundamental ( que a inteligência consiste na manipulação de simbolos fisicos de acordo com regras formais), e argumentou que o projecto da Inteligência Artificial estava condenado a fracassar. Em 1965 ele frequentou a Rand Corporation enquanto trabalho em inteligência artificial, estava a ser desenvolvido lá. O seu irmão Stuart Dreyfus, recebeu um Ph.D. em Matemática Aplicada, em Harvard, e é professor de Engenharia Industrial na Universidade de Berkeley.

Obras[editar | editar código-fonte]


Prémios e Honras[editar | editar código-fonte]

  • Doutoramento Honoris Causa pela Unniversidade Erasmus, Roterdão, Holanda, 1998
  • Membro da Academia Americana das Artes e Ciências, 2001 [3]

O professor Dreyfus marca presença no filme documental de Tao Ruspoli Being in the World[4]

Referências

  1. HUBERT L. DREYFUS at Berkeley. Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  2. Currículum Vitae. Página visitada em 24-10-2012.
  3. HUBERT L. DREYFUS Awards and Honours. Página visitada em 24-10-2012.
  4. Being in the World. Página visitada em 24-10-2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia / um filósofo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.