Jimmy Eat World

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde junho de 2013). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Jimmy Eat World
JimmyEatWorldinDC.jpg
Jim Adkins do Jimmy Eat World em concerto no 9:30 Club em Washington, D.C.
Informação geral
Origem Mesa, Arizona
País  Estados Unidos
Gênero(s) Rock alternativo
Pop punk
Power pop
Punk revival
Punk rock (começo)
Período em atividade 1992 – atualmente
Gravadora(s) Interscope Records
DreamWorks Records
Capitol Records
RCA Records
Página oficial http://www.jimmyeatworld.net
Integrantes Jim Adkins
Tom Linton
Rick Burch
Zach Lind

Jimmy Eat World é uma banda americana de rock formada em 1992.[1] [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado no começo dos anos 90, lança seu álbum de estréia, auto-intitulado, via gravadora independente Wooden Blue Records. A repercussão é mínima, principalmente pela sonoridade ainda não muito bem definida, um híbrido entre o hardcore, o emo e o indie rock. Jimmy Eat World se apresentou no casamento de Tom DeLonge, guitarrista e vocalista do Blink-182, também guitarrista e vocalista do Angels and Airwaves.

Já, em 1996 o grupo encontra seu direcionamento musical e lança o álbum Static Prevails, via Capitol Records. Segundo o vocalista Jim Adkins, em uma nota no fórum da banda, eles não se consideram uma banda emo. A banda conseguiu grande notoriedade na cena indie, e assim sendo, lançou dois discos de forma independente: 'Singles - compilação de todos os singles do início da carreira - e um split EP com o grupo de pop-rock Jebediah, ambos lançados pelo selo independente Big Wheel Creation.

Em fevereiro de 1999 é lançado Clarity, no qual havia uma canção de 16 minutos de duração. O disco não emplaca no mainstream, porém no underground a banda caminha para os mais altos patamares que uma banda pode chegar. Como a Capitol Records não dava muita atenção à banda[carece de fontes?], o Jimmy Eat World larga a Capitol Records e é contratado pela Dreamworks, gravadora de propriedade do cineasta Steven Spielberg e casa de bandas como Papa Roach e AFI.

Agora, dentro de uma major, o grupo lança em 2001 o álbum Bleed American, com canções como "Sweetness", "A Praise Chorus" e "The Middle" - esta última, música de trabalho do disco. Na época dos atentados de 11 de setembro ao World Trade Center, o título do disco (que significa algo como "Sangrem, Americanos") foi retirado da arte da capa, fazendo assim o CD ser conhecido como Self-Titled.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Powerstation (2011). JIMMY EAT WORLD The Powerstation. The Powerstation. Página visitada em 20 de agosto de 2012.
  2. Leahey, Andrew. Biography: Jimmy Eat World Allmusic.. Página visitada em 24 de outubro de 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]