Katarina Witt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Katarina Witt
Katarina Witt em 2009
Patinação artística
Representante  Alemanha Oriental
 Alemanha
Nascimento 3 de Dezembro de 1965 (48 anos)
Berlim, Staaken
Nacionalidade Alemanha alemã
Compleição Altura: 1,66 m
Treinador anterior Jutta Muller
Clube SC Karl-Marx-Stadt
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Sarajevo 1984 Individual
Ouro Calgary 1988 Individual
Campeonato Mundial
Ouro Ottawa 1984 Individual
Ouro Tóquio 1985 Individual
Ouro Cincinnati 1987 Individual
Ouro Budapeste 1988 Individual
Prata Copenhagem 1982 Individual
Prata Genebra 1986 Individual

Katarina Witt (Berlim Oriental, 3 de dezembro de 1965) é uma ex-patinadora alemã. Ela ganhou duas medalhas olímpicas em 1984 e 1988, além do Campeonato Mundial em 1984, 1985, 1987 e 1988 e seis campeonatos europeus consecutivos, de 1983 a 1988.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Criada na antiga Alemanha Oriental, seu pai era gerente de uma fábrica de produtos agrícolas e sua mãe era uma fisioterapeuta. Seu irmão também era um atleta, mas depois estudou Fisioterapia como a mãe. Desde cedo ela quis ser patinadora, sempre pedia à mãe, Kathe, que a deixasse praticar o esporte e todos os dias, após a escola, passava por um ringue de patinação.

Com a aquiescência de Kathe, Katarina conseguiu ser aceita pela prestigiada Karl-Marx-Stadt Sports School, depois freqüentando uma escola para crianças superdotadas no esporte, a Kinder- und Jugendsportschule. Ela foi treinada profissionalmente pelo mestre Jutta Müller a partir de 1970. Em 1984, ela ganhou medalha de ouro nas Olimpíadas de Los Angeles e foi eleita a atleta do ano na Alemanha Oriental.

Em 1977, ela recuperou o título mundial que havia perdido no ano anterior e obteve a melhor perfomance de sua carreira ao dançar no gelo ao som de Michael Jackson. Em 1988, ela novamente se sagrou campeã olímpica e no mesmo ano inicou uma série de apresentações nos Estados Unidos e na Europa, ao lado do patinador e também medalhista olímpico Brian Boitano. O sucesso estrondoso dessas apresentações fez com que pela primeira vez o Madison Square Garden fosse vendido para um show no gelo.

Em 1989, ela se tornou atriz e estelou o filme sobre patinação Carmen on Ice, conquistando no ano seguinte o Emmy de melhor atriz.

Em 1994, ela voltou a ser treinada por Müller e voltou a competir nas Olimpíadas de Inverno em Lillehammer. Entretanto, ela estava mais comemorando a reunificação da Alemanha do que esperando obter uma medalha. Mesmo assim terminou em sétimo lugar e ganhou o prêmio Golden Camera pelo seu retorno. Aproveitou também para fazer uma homenagem a Sarajevo, onde ela obteve sua primeira vitória olímpica.

Ainda em 1994, publicou sua autobiografia: My Years between Compulsories and Freestyle. Em 1995, foi incluída no World Figure Skating Hall of Fame e em 1996 estrelou o filme Jerry Maguire.

Em 1998, fez um ensaio para a revista Playboy. Em 1999, foi eleita a atleta feminina favorita dos Estados Unidos e a patinadora favorita do século XX. A revista Time a considerou a mais bela face do Socialismo e, de fato, seu sex appeal era inegável, servindo-se ela de trajes ousados para a patinação artística e de figurinos temáticos/teatrais, o que por vezes lhe acarretou punições, mas também alargou os limites do esporte.

Em 2005, ela publicou Only with Passion, um romance no qual aconselha jovens patinadoras, baseada na sua experiência. Desde 2006, ela possui seu programa na TV alemã, chamado Estrelas no Gelo.

Em 2007, foi convidada de honra de um torneio de patinação em Istambul chamado Dance on Ice e foi apresentadora do Live Earth Concert, em Hamburgo.

Trívia[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Kati, como é conhecida, era vigiada constantemente pela polícia secreta da Alemanha Oriental, a Stasi, que formou um arquivo de 4.000 páginas sobre ela.
  • O esporte a ensinou a ter metas e a bloquear as outras coisas.
  • Ela só entendeu o significado do estrelato quando viajou pelos Estados Unidos.
  • Após ganhar a segunda medalha de ouro, ela se tornou a primeira atleta profissional da Alemanha Oriental, com permissão do Governo, que ficou com a maior parte do dinheiro.
  • Kati afirma que sempre entrou no ringue para vencer, não para competir.
  • Afirma também que um ringue vazio, sem público, é desmotivador.

Desempenho[editar | editar código-fonte]

Evento 1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1994
Olimpíadas de Inverno
Campeonato Mundial 10º
Campeonato Europeu 14º 13º
Campeonato da Alemanha Oriental -
Campeonato Alemão

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Katarina Witt