Larry Hagman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Larry Hagman
LarryHagman05Feb2006.jpg
Nome completo Larry Martin Hagman
Nascimento 21 de setembro de 1931
Weatherford, Texas
 Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos americano
Morte 23 de novembro de 2012 (81 anos)
Dallas, Texas
 Estados Unidos
Ocupação Ator
Cônjuge Maj Axelsson (1954-2012)
IMDb: (inglês) (português)

Larry Martin Hagman (Weatherford, 21 de setembro de 1931Dallas, 23 de novembro de 2012) foi um ator estadunidense.

Filho da atriz Mary Martin e do advogado Benjamin Jack Hagman. Em 1945, com apenas catorze anos, Hagman começou a beber fortemente, o que o conduziria a graves problemas de saúde para o resto da vida. Hagman desenvolveu uma reputação como um talentoso intérprete na escola, ao passo que em 1949, quando se graduou, sua mãe sugeriu que experimentasse a carreira de ator. Começou sua carreira em Dallas, Texas, trabalhando como assistente de produção e agindo em pequenos papéis no teatro de Margo Jones.

Em 1952, Hagman foi convocado pela Força Aérea dos Estados Unidos, durante a guerra da Coreia. Parados em Londres, ele passou a maior parte do seu serviço divertindo tropas do Reino Unido e em bases militares na Europa. Depois de deixar a Força Aérea em 1956, regressou a Nova York - onde morou por um tempo - e recebeu excelentes críticas por suas atuações.

O ator em 1973

Apesar de seu sucesso, sua carreira foi assombrada pela fama de sua mãe, que estava em ascensão, devido ao seu papel na TV estrelando Peter Pan. A estreia de Larry Hagman na Broadway ocorreu em 1958, em Comes a Day. Durante este período, apareceu em numerosos programas de televisão. Juntou-se ao elenco de The Edge of Night, onde permaneceu por dois anos. Em 1964, fez sua estreia no cinema no filme Ensign Pulver, de que também participou o então jovem desconhecido Jack Nicholson.

Jeannie é um Gênio[editar | editar código-fonte]

Depois de anos co-estrelando várias séries e de estrelar uma menos bem-sucedida no ano anterior, Hagman acertou em cheio em 1965, com o papel que caiu em suas mãos, depois de ser escolhido dentre vários atores em testes: o Major Anthony Nelson em Jeannie é um Gênio, ao lado de Barbara Eden.

Em seu primeiro ano, os executivos da NBC decidiram que a série não deveria ser filmada em cores, devido ao alto custo dessa técnica na época. Mas a partir da segunda temporada, ganhou cores e segui-se até 1970, onde terminou em sua quinta temporada, com o major finalmente se casando com Jeannie. É uma das séries mais lembradas na história da televisão mundial até hoje, e trouxe reconhecimento a Hagman, Barbara Eden e Bill Daily.

A série de tv voltou a passar nas telinhas no canal Nickelodeon a noite, em uma nova programação chamada Nick at Nite a partir das 22:00h

Dallas[editar | editar código-fonte]

No fim de 1977, depois de recusar o papel do Dr. Davi Banner em O Incrível Hulk, Hagman optou por abandonar a imagem de bom rapaz e assumiu o papel do vilão J.R. Ewing em uma das séries de maior sucesso em audiência e repercussão de todos os tempos: Dallas, produzida de 1978 a 1991 (um recorde de tempo, quatorze anos).

Depois de ler o script e escutar a sugestão de sua esposa, Hagman concluiu que o papel era perfeito para ele. Viveria J.R. Ewing, um homem poderoso a quem todos amaram e odiaram. Também estrelando o show, estavam atores experientes - Jim Davis, Barbara Bel Geddes -, promissores desconhecidos - Patrick Duffy, Victoria Principal - e Linda Gray, como a esposa de J.R., Sue Ellen, com quem fez uma parceria primorosa como o casal que "amava se odiar". Os dois viviam uma relação de ódio e poder.

Globalmente, o elenco começou muito bem. Hagman e Duffy se tornaram grandes amigos. Sua "química" em cena como irmãos foi convincente, e a rivalidade existente entre ambos proporcionou momentos emocionantes e igual notoriedade a Duffy, algo a que Hagman não tinha objeções.

Observados em mais de 90 países, o show foi um sucesso mundial e Hagman tornou-se uma das estrelas mais confiáveis da rede. Como a estrela do show, Hagman se apoiou em muitas das experiências da sua juventude, por crescer no Texas, e trouxe uma irascível profundidade a seu personagem. Embora J.R. tivesse relacionamento complexo de amor e ódio com sua família, Hagman desfrutavam de um descontraído e caloroso relacionamento com seus colegas de elenco, frequentemente contando piadas para diminuir a tensão causada pelos apertados horários de filmagem e cenas altamente carregadas emocionalmente. Dallas consagrou-se como uma série nunca vista igualmente na televisão.

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Em 2009, integrou o elenco da telenovela espanhola "Cómplices", produzida pela Antena 3 e atuou na série Icarly no Episódio : ICarly vai ao Japão .[1]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Larry Hagman casou-se com Maj Axelsson de origem sueca em 1954. O casal teve dois filhos: Heidi e Preston Hagman.

Em 2008, sua esposa apresentou sintomas do Mal de Alzheimer e seu estado vem piorando significativamente. O diagnóstico foi confirmado pelo seu irmão, Shelley Greenhut. Então Hagman optou por cuidar de sua esposa em casa para não deixá-la sozinha em função da doença[2] .

Em Outubro de 2011, o ator foi diagnosticado com câncer.

Morte[editar | editar código-fonte]

O ator faleceu às 16h20 do de 23 de novembro de 2012, em um hospital em Dallas, devido a complicações surgidas em sua luta contra o câncer, informou o diário "DallasNews" indicaram membros da família ao periódico.

Últimos trabalhos[editar | editar código-fonte]

Larry teve algumas participações especiais como em Donas de Casa Desesperadas e tinha recentemente ingressado no elenco principal de Dallas, a continuação da mítica série dos anos '80, no papel do seu famoso vilão J.R. Ewing. Contrariamente ao esperado por alguns, a série obteve um grande sucesso logo desde os primeiros episódios da primeira temporada que foi encomendada uma segunda temporada, a estrear em finais de janeiro de 2013. Larry faleceu a meio das filmagens da segunda temporada e um dos maiores desafios por parte dos produtores será a integração da morte de J.R. Ewing na trama, de uma maneira justa e com o impacto merecido[3] .

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Larry Hagman

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]