Lepidium sativum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Como ler uma caixa taxonómicaLepidium sativum
Lepidium sativum

Lepidium sativum
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Género: Lepidium
Espécie: L. sativum
Nome binomial
Lepidium sativum
Linnaeus

O agrião de jardim, agrião, agrião-da-índia, agrião-mouro, mastruço ou mastruço-ordinário (Lepidium sativum) é uma planta herbácea anual da família Brassicaceae, utilizada como planta medicinal, além de ser utilizado na alimentação humana. De crescimento rápido, é apreciado pelo seu sabor levemente picante e aromático (próprio da sua família botânica).

Descrição[editar | editar código-fonte]

A sua flor é alaranjada. As folhas da base têm longos pecíolos. As folhas que acompanham o caule são lineares. O comprimento das pétalas é o dobro do das sépalas. O fruto é uma silíqua suborbicular estreitamente alada na parte superior.

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

É uma planta originária do Egipto e da Ásia ocidental. É subespontânea em Portugal (ilhas e continente). É cultivada em hortas e jardins de todo o mundo.

Uso pelo ser humano[editar | editar código-fonte]

Rebentos jovens cultivados

Uma investigação levada a cabo pelo cientista José Baptista, da Universidade dos Açores, mostrou que o uso das sementes desta planta, tradicional entre os açorianos, tem, efectivamente, propriedades benéficas no tratamento do reumatismo e da artrite, por conter ácidos gordos insaturados com uma acção imunomoderadora do sistema imunológico, além de conter fitoesteróis que regulam as interleucinas, ajudando a manter os níveis certos de glucosamina nas articulações, mantendo-as lubrificadas.

Considera-se que tem efeitos benéficos também na regulação do ácido úrico, tuberculose, raquitismo, pedras nos rins, cistites e diminui o efeito tóxico do consumo de tabaco. É ainda indicado como digestivo e diurético. Supõe-se igualmente que beneficia o funcionamento do fígado.

É costume utilizar-se o seu suco, fervido com a mesma quantidade de leite, para curar catarro e reumatismo. Para combater a bronquite, mistura-se com mel.

Como qualquer agrião, esta planta é também utilizada em saladas, sopas, refogados e purés, usando-se principalmente as folhas dos rebentos jovens. É rico em vitamina A, vitaminas do complexo B, vitamina C, fósforo, ferro, iodo e enxofre.

Ícone de esboço Este artigo sobre rosídeas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.