Lumen Fidei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O brasão pontifício de Francisco.

Lumen Fidei (em latim) ou Luz da Fé (em português), é o nome da primeira encíclica do Papa Francisco, assinada em 29 de junho de 2013, na Solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo, publicada a 05 de julho de 2013, quase quatro meses depois do início do seu pontificado.[1]

A encíclica centra a sua temática na e conclui uma trilogia de seu predecessor, o Papa Bento XVI, que já havia escrito sobre a esperança e a caridade, as outras virtudes teologais, nas encíclicas Deus Caritas Est, Spe Salvi e Caritas in Veritate.
Francisco assumiu, de fato, o trabalho de Bento XVI que, antes de sua renúncia ao papado, já tinha completado o primeiro rascunho do texto, ao qual foram adicionadas algumas contribuições do papa argentino.

O texto procura apresentar a como uma luz que dissipa as trevas e ilumina a maneira como o ser humano é. A encíclica é dividida em quatro capítulos, aos quais se acrescenta uma introdução e uma conclusão. Eles traçam a história da fé da Igreja (desde o chamado de Deus a Abraão e a Israel até a ressurreição de Cristo), a relação entre razão e fé, o papel da Igreja na transmissão da fé e o efeito da fé nas sociedades, em busca da construção de um bem comum. Conclui com uma oração à Virgem Maria, que é apresentada como um modelo de fé pelo seu "sim" ao chamado de Deus.(Lucas 1:38)

Os quatro capítulos da encíclica são:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Encíclica na íntegra.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.