Renúncia do papa Bento XVI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2013).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
O papa Bento XVI em 2007

A renúncia do papa Bento XVI foi anunciada na manhã do dia 11 de fevereiro de 2013, quando o Vaticano confirmou que ele renunciaria ao papado em 28 de fevereiro, às 20h.[1] A decisão de Bento XVI em renunciar ao cargo de líder da Igreja Católica o tornou o primeiro papa a abdicar do posto desde o papa Gregório XII, em 1415,[2] que o fizera durante a Grande Cisma do Ocidente, e o primeiro a renunciar sem pressão externa desde o papa Celestino V, em 1294[3] . Foi um gesto inesperado,[4] já que na história moderna os papas se mantiveram no cargo até a morte, para que só então fosse escolhido um sucessor.[4] O papa comunicou que sua saúde frágil era a razão de sua renúncia. O Conclave de 2013 elegeu seu sucessor, Francisco.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em 2010, Bento XVI deixou em aberto a possibilidade de uma renúncia de seu ministério em um livro escrito com Peter Seewald. Na obra, intitulada Luz do Mundo: O Papa, a Igreja e os Sinais dos tempos, afirmou que se "o papa não é mais fisicamente, psicologicamente e espiritualmente capaz [...] então tem o direito, e sob certas circunstâncias, a obrigação, de renunciar." Dois anos mais tarde, sua saúde começou a deteriorar-se por causa de problemas no coração, em razão disso ele foi incapaz de participar de inúmeros eventos públicos em comparação com os anos anteriores. O seu irmão, Georg Ratzinger, sabia desta decisão meses antes do anúncio e concordou que era um fato óbvio, porque "[ele] sentia cada vez mais velho e velho[...] . É um processo natural do envelhecimento [...] deseja mais tranquilidade para sua velhice".[5] [6] Em julho de 2012, o jornalista italiano Gianluigi Nuzzi, autor do livro Sua Santità. Le carte segrete di Benedetto XVI, afirmou: "É claro que há uma fadiga no Santo Padre em manter a Igreja unida ou, pelo menos, para o Vaticano." De acordo com o jornal L'Osservatore Romano, o Papa tomou a decisão de renunciar durante sua visita apostólica ao México e Cuba, em março de 2012.[7] Após a demissão, o Vaticano explicou que isso aconteceu devido principalmente a sua velhice, e não por causa de suas condições de saúde que são boas para uma pessoa dessa idade, uma declaração que vai de acordo com o anúncio feito pelo Pontífice.[8]

Pedido de Renuncia[editar | editar código-fonte]

Bento decidiu, em fevereiro de 2013 que, devido à sua idade avançada, iria renunciar.[9] [10] Ele terá 85 anos de idade na data prevista para a sua retirada do cargo.

Ele anunciou sua intenção de renunciar em língua latina na Sala del Concistoro do Palácio Apostólico, numa reunião de manhã cedo, em 11 de Fevereiro de 2013, que foi o Dia Mundial do Doente, um dia santo para o Vaticano. O encontro foi para anunciar a data da canonização de três mártires católicos, Antônio Primaldo e companheiros, Laura Montoya Upegui, e Maria Guadalupe Garcia Zavala. Na cerimônia, conhecida como o "Consistório para a canonização do mártires de Otranto ", ele disse aos presentes que tinha feito "uma decisão de grande importância para a vida da Igreja".[1] [11]

Em um comunicado, Bento citou sua fragilidade devido à idade avançada e às exigências físicas e mentais do papado. Ele também declarou que iria continuar a servir a Igreja "através de uma vida dedicada à oração". Em 17 de fevereiro de 2013, o Papa Bento XVI, falando em espanhol, pediu orações da multidão em frente à Praça de São Pedro, para si e para o novo papa.[12]

O conclave para escolher seu sucessor provavelmente irá começar em algum momento entre 15 de março e 20 de março de 2013.

Declaração de renúncia[editar | editar código-fonte]

Íntegra da Declaração de Renúncia:[13]
Cquote1.svg Caríssimos Irmãos,

convoquei-vos para este Consistório,não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idóneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste acto, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20,00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus.

Cquote2.svg

Vaticano, 10 de fevereiro de 2013.

BENEDICTUS PP. XVI"

Reações[editar | editar código-fonte]

  •  Canadá - O primeiro-ministro Stephen Harper divulgou um comunicado dizendo que Bento XVI "terá sempre um lugar especial no coração dos canadenses" e " Laureen e eu nos juntamos a todos os canadenses em desejando o bem para o Papa Bento no futuro".[14]
  •  França - O presidente François Hollande disse que Bento XVI merece "respeito", mas não comentou sobre o assunto especificamente por ser interno à Igreja Católica Romana.[15]
  •  Alemanha - A chanceler Angela Merkel elogiou-o como "um dos pensadores religiosos mais importantes de nosso tempo", mencionou seus esforços no diálogo intercultural e disse sobre a sua influência sobre ela: "As palavras do papa me acompanharão por um longo tempo." O secretário de imprensa do governo, Steffen Seibert, disse que estava "comovido e tocado", enquanto "o governo alemão tem o maior respeito pelo Santo Padre, pelo que ele tem feito, por suas contribuições ao longo de sua vida para a Igreja Católica. [...] Ele deixou uma assinatura muito pessoal como um pensador à frente da Igreja, e também como um pastor".[16]
  •  Irlanda - O presidente Michael D. Higgins também estendeu seus melhores desejos para o Papa renunciar, reconhecendo seu compromisso pessoal com a Igreja Católica . Taoiseach Enda Kenny elogiou a "liderança forte" do Papa Bento XVI e "um grande serviço à Igreja", tanto na Irlanda e em toda a o mundo depois da renúncia do pontífice.[17]
  •  Itália - O primeiro-ministro Mario Monti disse que estava "muito abalado com essa notícia inesperada".[18] [19] [20] [21] [22] [23] [24]
  • Filipinas - O presidente Benigno Aquino III disse que "foi preenchido com grande pesar como a notícia do anúncio de que o Papa Bento XVI pretende abandonar o ministério petrino em 28 de fevereiro deste ano." Ele também lembrou a gratidão "as muitas orações e palavras de conforto que o Papa Bento XVI dedicou a filipinos em tempos de calamidade e desafio, e as suas palavras de encorajamento e de testemunho em muitos eventos que uniram os católicos, como a recente canonização de San Pedro Calungsod".[25]
  •  Reino Unido - O primeiro-ministro David Cameron elogiou Bento XVI, dizendo: "eu envio os meus melhores desejos para o Papa Bento XVI após o anúncio de hoje. Ele tem trabalhado incansavelmente para fortalecer as relações da Grã-Bretanha com a Santa Sé. Sua visita à Grã-Bretanha em 2010 é lembrada com grande respeito e afeto." Ele acrescentou que o papa "fará falta como um líder espiritual de milhões".[26]
  •  Estados Unidos - O presidente Barack Obama elogiou Bento XVI, dizendo: "Em nome dos americanos em todos os lugares, Michelle e eu gostaríamos de ampliar o nosso apreço e orações de Sua Santidade o Papa Bento XVI. Michelle e eu calorosamente lembramos do nosso encontro com o Santo Padre em 2009, e eu tenho apreciado o nosso trabalho em conjunto ao longo destes últimos quatro anos". Ele acrescentou que desejava "o melhor para aqueles que em breve se reunirão para escolher o sucessor de Sua Santidade o Papa Bento XVI".
  •  Brasil - A presidente Dilma Rousseff disse respeitar a decisão do Papa Bento XVI e destacou a realização da Jornada Mundial da Juventude, em julho, no Rio de Janeiro, assim como a visita que ele fez ao Brasil, em 2007.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Davies in Rome, Lizzy. "Pope Benedict XVI resigns due to age and declining health", Guardian Media Group, 11 February 2013. Página visitada em 11 February 2013.
  2. Messia, Hada (11 February 2013). Pope Benedict to resign at the end of the month, Vatican says CNN. Página visitada em 11 February 2013.
  3. Father Raymond J. de Souza (12 February 2013). The Holy Father takes his leave The National Post. Página visitada em 12 February 2013.
  4. a b "Pope Benedict XVI in shock resignation", BBC News, BBC, 11 February 2013. Página visitada em 11 February 2013.
  5. "Georg Ratzinger sabía hace meses", El Economista, 11 de febrero de 2013. Página visitada em 11 de febrero de 2013.
  6. "Benedicto XVI busca tener "más calma" con su dimisión, asegura su hermano", NTN24, 17 de febrero de 2013. Página visitada em 19 de febrero de 2013.
  7. "Caída no influyó en renuncia de Benedicto XVI: Lombardi", Milenio.com, 14 de febrero de 2013. Página visitada em 14 de febrero de 2013.
  8. "Dimisión del Papa no fue por problemas de salud: Vaticano", El Tiempo, 12 de febrero de 2013. Página visitada em 17 de febrero de 2013.
  9. The future is God's L'Osservatore Romano (12 February 2013). Página visitada em 11 February 2013.
  10. "El Papa tomó la decisión de renunciar tras su visita a México y Cuba", 11/02/2013. Página visitada em 11 de fevereiro de 2013. (em Spanish)
  11. Pope Benedict XVI, citing deteriorating strength, will step aside Feb. 28 NBC News.
  12. Pope Benedict tells cheering crowd to pray 'for me and next pope' NBC News.
  13. Declaratio (em português) Libreria Editrice Vaticana. Página visitada em 22/02/2013.
  14. Prime Minister's Office (11 February 2013). Statement by the Prime Minister of Canada on the resignation of Pope Benedict XVI Prime Minister of Canada's Office. Página visitada em 13 February 2013.
  15. Pope Benedict merits 'respect', Hollande says The Local.
  16. German government "moved" by Pope Benedict's resignation Reuters (11 February 2013). Página visitada em 14 February 2013.
  17. Kenny pays tribute to Pope Benedict The Irish Times (11 February 2013). Página visitada em 12 February 2013.
  18. Stanglin, Doug. "World leaders surprised, but respect pope's decision", USA Today, February 11, 2013.
  19. http://www.pressconnects.com/article/20130211/APHEADS/302110027/World-reaction-Italian-PM-greatly-shaken-by-decision?nclick_check=1
  20. http://www.independent.co.uk/news/world/europe/benedict-xvi-the-revolutionary-pope-resignation-seen-as-eruption-of-modernity-8490481.html
  21. http://www.breakingnews.com/item/ahZzfmJyZWFraW5nbmV3cy13d3ctaHJkcg0LEgRTZWVkGITb9AwM/2013/02/11/italys-prime-minister-monti-says-he-is-greatly-shaken-by-the-news-of
  22. http://www.poughkeepsiejournal.com/article/20130211/NEWS/130211008/World-reaction-Italian-PM-greatly-shaken-by-decision?nclick_check=1
  23. http://www.bbc.co.uk/news/uk-21409149
  24. http://www.nydailynews.com/news/world/worlwide-leaders-react-pope-benedict-xvi-resignation-article-1.1260726?localLinksEnabled=false
  25. Statement of The Presidential Spokesperson on the Pope’s resignation
  26. Statement from Prime Minister David Cameron following the resignation of Pope Benedict XVI 10 Downing Street (11 February 2013). Página visitada em 12 February 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikinotícias
O Wikinotícias tem uma ou mais notícias relacionadas com este artigo: Papa Bento XVI anuncia renúncia