Magnavox Odyssey²

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Magnavox Odyssey²
Odyssey2 w box.jpg
Fabricante Magnavox/Philips
Tipo Console de videogame
Geração 2ª geração
Lançamento Estados Unidos julho de 1978
União Europeia dezembro de 1978
Japão setembro de 1982
Brasil maio de 1983
Descontinuado 20 de março de 1984
Mídia Cartucho
CPU Intel 8048
Controladores 1 a 2 Joysticks
Antecessor Odyssey 100

Odyssey² foi um videogame fabricado pela Magnavox e lançado no mercado em 1978 pela Philips. O sistema chegou no Brasil em maio de 1983. Pelo fato do primeiro console Odyssey não ter sido lançado oficialmente no Brasil, a Philips optou por vender seu sucessor no país apenas como "Odyssey", sem o número; isto gera certa confusão entre jogadores brasileiros e os dos demais países do mundo.

A Philips traduziu alguns jogos para o português, o jogo K.C.'s Krazy Chase! (um clone de Pac-Man) foi lançado no Brasil como "Come-Come"[1] e o jogo Pickaxe Pete foi lançado como "Didi na Mina Encantada" (protagonizado pelo personagem Didi Mocó de Renato Aragão)[2] .

História[editar | editar código-fonte]

Odyssey².

Depois do relativo sucesso de suas plataformas Pong, a Magnavox resolveu dar seguimento ao seu Odyssey e lançar a sua segunda geração de consoles. A Magnavox estava voltada para o desenvolvimento do Odyssey² desde o Odyssey 4000 e agora seus esforços se concretizavam no novíssimo Odyssey² (1978).

Pode-se dizer que, pelo menos na Europa e nos EUA, o Odyssey² foi popular. Não vendeu tanto como o Atari 2600 ou o Mattel Intellivision, ficando com o terceiro lugar. Um diferencial era seu teclado "embutido", que permitia uma gama de jogos diferentes dos lançados pela Atari.

Em termos de mercado o Odyssey² não chegou a competir diretamente com o Atari 2600 ou o Intellivision, pois ambos tiveram um marketing mais elaborado e com um suporte de jogos melhor do que o do Odyssey², embora a plataforma tenha conseguido um grande número de fãs no Brasil. Outro fato que contribuiu para maior disseminação de outras plataformas foi a grande pirataria e produtos copiados — jogos, cartuchos e consoles — o que não aconteceu com o Odyssey.

Outras denominações para o mesmo console[editar | editar código-fonte]

  • Magnavox Odyssey² na América do Norte.
  • Philips Videopac G7000 na Europa.
  • Philips Odyssey no Brasil.
  • Kōton Odyssey² no Japão.

Propriedades técnicas[3] [editar | editar código-fonte]

  • Processador: Intel 8048; clock: 1.79 Mhz.
  • Memória RAM: 256 bytes; 64 bytes no processador
  • Memória de vídeo(VRAM): 256 bytes
  • Gráficos: Intel 8244 custom Audio/Video IC; 16 cores possíveis; 4 sprites suportados;
  • Som: Intel 8244 custom Audio/Video IC
  • Resolution: 280x192
  • Sprites: 4
  • Sound: 1-channel mono
  • Game Media: 2K programmable game card

Emulação[editar | editar código-fonte]

Há um emulador open source de Odyssey² chamado O2EM. Inclui emulação a G7400 Philips Videopac entre outras funcionalidades. O emulador funciona em Linux, Microsoft Windows, MS-DOS e outras plataformas. O2EM, (que originalmente não era open source) foi criado em 1997 pelo programador Daniel Boris e reforçada por Andre Rodrigues de La Rocha.[4] O emulador multi-plataforma open source MESS tem suporte para Odyssey², e é o único emulador para emular o módulo de expansão de voz sem usar samples.


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.