Medeia (Eurípides)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Medeia (em grego, ΜΗΔΕΙΑ - MĒDEIA, na transliteração) é uma tragédia grega de Eurípides, datada de 431 a.C.

Nela foi apresentado o retrato psicológico de uma mulher carregada de amor e ódio a um só tempo. Medeia representa um novo tipo de personagem na tragédia grega, como esposa repudiada e estrangeira perseguida, ela se rebela contra o mundo que a rodeia, rejeitando conformismo tradicional. Tomada de fúria terrível, mata os filhos que teve com o marido, para vingar-se dele e automodificar-se. É vista como uma das figuras femininas mais impressionantes da dramaturgia universal.

Traduções[editar | editar código-fonte]

Das traduções do grego para o português, citam-se as brasileiras de Flávio Ribeiro de Oliveira e de J. A. A. Torrano (ambas em verso), e as portuguesas de Maria Helena da Rocha Pereira e de Cabral do Nascimento (em prosa).

  • OLIVEIRA, Flávio Ribeiro de. Medéia - Eurípides. São Paulo: Odysseus, 2007;
  • EURÍPIDES. Medéia. Trad. J. A. A. Torrano. São Paulo: HUCITEC, 1991;
  • EURÍPIDES. Medeia. Trad. Maria Helena da Rocha Pereira. Coimbra: INIC, 1991.
  • EURÍPIDES. Medeia. Trad. Cabral do Nascimento. Inquérito, 1973.
Euripides.jpg Peças de Eurípides
Ícone de esboço Este artigo sobre Teatro (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.