Monte Carmelo (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Monte Carmelo
"Capital da Telha"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 6 de outubro
Fundação 1840
Gentílico carmelitano
Prefeito(a) Fausto Nogueira (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Monte Carmelo
Localização de Monte Carmelo em Minas Gerais
Monte Carmelo está localizado em: Brasil
Monte Carmelo
Localização de Monte Carmelo no Brasil
18° 43' 30" S 47° 29' 56" O18° 43' 30" S 47° 29' 56" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba IBGE/2008 [1]
Microrregião Patrocínio IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Abadia dos Dourados, Douradoquara, Grupiara, Estrela do Sul, Romaria, Iraí de Minas, Patrocínio, Coromandel.
Distância até a capital 484 km
Características geográficas
Área 1 353,677 km² [2]
População 45 799 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 33,83 hab./km²
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,768 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 677 869,073 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 14 794,50 IBGE/2008[5]
Página oficial

Monte Carmelo é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada, segundo dados do IBGE em 2010 é de 45.772 habitantes. A principal atividade econômica da cidade é a produção de telhas, tijolos, artefatos cerâmicos e também é destaque na produção de curtume e de embalagens e ainda na produção de café,onde há grãos de altíssima qualidade servindo o Brasil com o café do cerrado carmelitano. O município, juntamente com Araguari, Uberaba e Patrocínio, está no eixo de destaque da produção do melhor café do cerrado para exportação, no Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

A escolha da localidade se deu quando os bandeirantes estavam desbravando a região e como aqui é longe da costa onde havia gente, ou seja, mercado consumidor e fácil exportação, eles então estavam procurando alguma mercadoria que poderiam explorar e carregar facilmente para vender ou trocar.

Na época a região de Estrela do Sul, era conhecida pelo Rio Bagagem, onde as lavadeiras da região achavam diamantes na "flor d'água" e os bandeirantes como bons exploradores que eram, chegavam na região e conversavam com os moradores e esta história foi contada a eles. Então começaram a exploração onde já era o município de Bagagem (hoje Estrela Do Sul). Após o começo da exploração de diamantes o povoado cresceu rapidamente e conseqüentemente desorganizado e cheio de aventureiros e pessoas sem boa indole.

Os bandeirantes queriam encontrar um lugar um pouco afastado de Bagagem onde eles poderiam trazer suas famílias e então chegando na região onde hoje é Monte Carmelo, viram dois córregos (Mumbuca e Olaria) que possuíam boa quantidade e qualidade de água. Então as famílias foram povoando a região e passou a se chamar Carmo do Bagagem, um distrito ligado a Bagagem, todas as decisões e a administração do povoado estava subordinado a Bagagem.

O nome veio quando uma comitiva de carmelitas chegou na região e o povo queria mudar o nome da cidade que já não mais pertencia a Bagagem, mas por outro lado, não queriam que mudasse muito e estas carmelitas identificaram um morro (hoje conhecido como Igrejinha) que parecia com um morro de Israel chamado de Monte Carmel (carmel em árabe significa uvas de Deus).

A padroeira da cidade é Nossa Senhora do Carmo e a paróquia foi erguida em 1870.

1840: Início da povoação por garimpeiros[editar | editar código-fonte]

Os primeiros movimentos que deram origem ao povoado tiveram início em 1840.

Diversos moradores de São João del-Rei e Tamanduá (Itapecerica) e de outras cidades do pais, atraídos pela descobertas de garimpos diamantíferos em Bagagem (Estrela do Sul) e depois em Nossa Senhora D’Abadia de Água Suja (Romaria), migraram para Monte Castelo.

Por causa do ambiente dos garimpos, pouco recomendado à famílias e ainda, devido ao clima saudável e excelente água dessa região, estes pioneiros, deixavam aqui suas famílias e se dirigiam para os garimpos à cata de diamantes. Assim formou-se o povoado.

Fundadora: Clara Chaves[editar | editar código-fonte]

Contam os primeiros habitantes que nesta região havia uma fazendeira chamada Clara Chaves. Dona Clara era muito devota de Nossa Senhora do Carmo. Por isso, doou a área de uma légua quadrada (6 km x 6 km) à Nossa Senhora do Carmo, região onde estavam localizadas as famílias dos garimpeiros, para que aí se construísse uma capela em louvor à Santa. Nesta área iniciou o povoado, que pertenceu à freguesia de Araxá e posteriormente à de Patrocínio.

1870: Freguesia e ou Povoado de Carmo da Bagagem[editar | editar código-fonte]

Em 14 de setembro de 1870, o distrito de Bagagem emancipou-se eclesiasticamente de Patrocínio, tornando-se paróquia. Com isso, a freguesia de Nossa Senhora do Carmo também se desmembrou daquela paróquia, anexando-se à recém-criada paróquia da Bagagem, com denominação de arraial ou povoado de Carmo da Bagagem.

1882: Vila[editar | editar código-fonte]

Em 6 de outubro de 1882 pela lei provincial nº 2.927 a freguesia do Carmo da Bagagem foi levada à categoria da Vila.

1891: Confirmação do Distrito[editar | editar código-fonte]

Em 14 de setembro de 1891, pela lei estadual nº 2 é confirmado a criação do distrito.

1892: Elevação à categoria de cidade[editar | editar código-fonte]

Em 24 de maio de 1892, por força da Lei estadual nº 23, Carmo da Bagagem é elevada à cidade.

1893: Instalação Solene da Comarca[editar | editar código-fonte]

A Comarca foi criada pela lei estadual nº 11 de 13 de novembro de 1891, sendo instalada solenemente em 4 de abril de 1893, por Dr. Tito Fulgêncio Alves Pereira, seu primeiro Juiz de Direito, que se tornou um dos maiores nomes da magistratura mineira.

1896: Fronteiras com Patrocínio[editar | editar código-fonte]

Em 1896 a comarca do Carmo da Bagagem estabelece suas fronteiras com Patrocínio.

1900: Mudança de Nome[editar | editar código-fonte]

Em 25 de junho de 1900 pela lei estadual nº 286, Carmo da Bagagem passou a denominar-se Monte Carmelo.

O nome da cidade tem sua origem num monte situado próximo à sede, o qual se chama Monte Carmelo, devido sua semelhança com Monte Carmelo, morro existente na Palestina, perto de Nazareth.Esse morro nos arredores da cidade tem no seu cume uma capelinha em homenagem a São Jose.Todo ano no dia 19 de março celebra uma missa na capelinha.

1900: Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Nessa ocasião o município de Monte Carmelo abrangia cinco distritos de paz: Monte Carmelo (sede), Nossa Senhora D’Abadia de Água Suja, São Sebastião da Ponte Nova e Espírito Santo do Cemitério (Iraí de Minas), Santa Cruz do Boqueirão (Doradoquara).

1923: Criação ao Distrito de Douradoquara[editar | editar código-fonte]

Perdeu o distrito da sede parte de seu território com a criação do Distrito de Doradoquara (Ex-Santa Cruz do Boqueirão) o qual continuou a pertencer ao município contando com 5 distritos: Monte Carmelo (sede), Doradoquara, Iraí, Nossa Senhora D’Abadia de Água Suja, São Sebastião da Ponte Nova.

1938: Extinção do Distrito de São Sebastião da Ponte Nova[editar | editar código-fonte]

Pela Lei Estadual nº 148 de 17 de dezembro de 1938 o distrito de São Sebastião da Ponte Nova foi anexado ao recém-criado município de Nova Ponte, ficando o município composto apenas de 4 distritos: Monte Carmelo, Água Suja, Iraí e Doradoquara.

Mudança de denominação[editar | editar código-fonte]

  • 1944: O Distrito de Iraí passou a denominar-se Bagagem.
  • 1954: O Distrito de Bagagem voltou a chamar-se Iraí sendo-lhe acrescentado a esse nome a especificação – de Minas, ou seja, Iraí de Minas.

1963: Emancipação Política dos Distritos[editar | editar código-fonte]

Em 31 de dezembro de 1963 o município perdeu os distritos de Romaria (Ex-Água Suja), Iraí de Minas e Doradoquara, que passou a chamar-se Douradoquara.

Os mesmos tornaram-se sede de novos municípios pela divisão administrativa do Estado de Minas Gerais publicada no Órgão Oficial daquele dia.

Assim, o município de Monte Carmelo ficou com os distritos de Celso Bueno, Gonçalves, Buritis, Associação ACAPIM e Folhados.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município integra o circuito turístico do Triângulo Mineiro.[6]

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com várias instituições de ensino:

  • Seis escolas estaduais de ensino fundamental.
  • Três escolas estaduais de ensino médio.
  • Dois colégios particulares com ensino fundamental e médio.
  • Três instituições de Ensino Superior particular
  • Uma instituição de Ensino Superior pública

Campus da UFU[editar | editar código-fonte]

Em Monte Carmelo, está localizado um dos campi da Universidade Federal de Uberlândia. Inaugurado no primeiro semestre de 2011. Sendo ministrado os cursos de Agronomia, Engenharia de Agrimensura e Cartográfica e Sistemas de Informação, todos estes á modalidade Bacharelado.

Expansão

O campus de Monte Carmelo, está funcionando em instalações temporárias, cedidas pelo SESI. Os locais foram adaptados pela própria administração para comportar as atividades didáticas e administrativas do campi. Em paralelo, está sendo desenvolvido os projetos dos campi definitivos, que serão construídos em áreas doadas por cidadãos carmelitanos. Acredita-se que as atividades poderão ser transferidas para esses campi no segundo semestre de 2013. O projeto, segundo o Reitor Prof° Alfredo Júlio Fernandes Neto, não para por aqui. Cerca de 10 cursos de Bacharelado serão abertos, gerando muitos empregos e perspectiva para a cidade.

TvU sobre Monte Carmelo

Acessos[editar | editar código-fonte]

  • Principais rodovias que servem de acesso a Belo Horizonte: BR-381, BR-262, MG-187, MG-230, BR-365, MG-223, MG-190
  • Principais rodovias que servem ao município: MG-223, MG-190, BR-365, BR-352

Distância às principais cidades do Triângulo, de Minas Gerais e do Brasil[editar | editar código-fonte]

(TM - principal das regiões do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba)

(MG - principal de Minas Gerais)

(BR - principal do Brasil)

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. Listagem dos Circuitos Turísticos (PDF) p. 37. Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais. Visitado em 12 de fevereiro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.