Onicofagia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Unhas roídas.
Unha do polegar roída.

Roer unhas (também conhecido pelo seu termo técnico onicofagia ou roeção de unha) é o hábito de morder as unhas dos dedos das mãos ou pés durante períodos de nervosismo, ansiedade, estresse, fome ou tédio. Também pode ser um sinal de desordens mentais ou emocionais. As crianças começam a roer as unhas por volta dos quatro ou cinco anos de idade. O termo onicofagia crônica é utilizado clinicamente.

Efeitos colaterais negativos[editar | editar código-fonte]

Roer unhas pode resultar num transporte de germes que vivem embaixo da superfície da unha até a boca. De fato, as ferramentas usadas por manicures potencialmente afetam o humano de modo similar. Se essas ferramentas forem utilizadas em pessoas diferentes, elas podem espalhar fungos, bactérias ou vírus. Como muitos patógenos têm a habilidade de viver dentro da unha, o hábito de roer unhas pode potencializar as chances de danos à saúde.

Um roedor de unhas compulsivo pode roer não só a unha, mas também a pele ao seu redor e a cutícula, possivelmente rompendo a pele. Uma pele rompida é suscetível a infecções oportunistas de micróbios e vírus. Esses patógenos podem se espalhar entre os dedos pela boca.

Roer unhas também pode ser negativo por restringir o uso das mãos. Um roedor de unhas compulsivo pode ter sua habilidade para trabalhar restringida (por exemplo, escrever, digitar, desenhar, tocar instrumentos de corda, dirigir) por causa dos estragos feitos às unhas ou à pele em volta.

Um longo hábito de roer unhas pode ocasionar desgaste do esmalte dos dentes incisivos, podendo gerar cáries nessas áreas.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Medicação[editar | editar código-fonte]

Algumas medicações têm se mostrado eficazes para a roeção de unhas. As medicações utilizadas para tratar o problema incluem potentes anti-depressivos [carece de fontes?]. Estas medicações são também utilizadas para tratar tricotilomania e includem: clomipramina, fluoxetina, sertralina, paroxetina, fluvoxamina, citalopram, escitalopram, nefazodona e venlafaxina. Pequenas doses de medicamentos anti-psicóticos são utilizados no tratamento da esquizofrenia como: risperidona, olazapina, quetiapina, ziprasidona, e aripiprazola podem ser utilizada em conjunto com os anti-derpressívos. É importante salientar que o uso de anti-psicóticos para tratar a onicofagia não quer dizer que o paciente sofra de psicose.

Uma outra opção é o uso da vitamina B (inositol) [carece de fontes?]. Ela reduz a vontade de roer unha ao aumentar a atividade de serotonina no cérebro [carece de fontes?]. A serotonina pode estar relacionada à desordens do sistema nervoso.

Terapia comportamental[editar | editar código-fonte]

Alguns pacientes acharam a terapia comportamental ser benéfica por si própria ou como um complemento à medicação. A primeira terapia consiste no Treinamento de Reversão de Hábito (TRH), um processo de quatro partes que busca "desacostumar" a pessoa do hábito e possivelmente substituí-lo por outro hábito mais construtivo. Além do TRH, a terapia de Controle de Estímulo é usada tanto para identificar quanto para eliminar os estímulos que freqüentemente geram a vontade de roer unhas.

Uma combinação de medicação e terapia tem obtido melhores respostas para os sintomas.

Outros tratamentos[editar | editar código-fonte]

Existem várias formas de terapia de aversão para ajudar as pessoas a parar de roer suas unhas. Estas incluem métodos como cobrir as unhas com substâncias de gosto ruim (às vezes na forma de um esmalte especial) ou usar uma fita de borracha no pulso e pedir para que amigos e familiares (ou até mesmo a própria pessoa) a puxem quando verem a pessoa roendo as unhas. Para alguns é eficaz substituir o hábito de roer unhas pelo de mascar chicletes. Alguns métodos (incluindo os anteriormente citados) podem funcionar pois fazem com que a pessoa tome consciência de suas ações e procure outras coisas para fazer. Fazer uma anotação dos horários de quando a pessoa for roer as unhas e também é uma maneira de encontrar a origem do problema.

Parte das pessoas que roem as unhas fazem tratamento ortodôntico para bruxismo, por exemplo e usam uma placa de acrílico que as impossibilitam de roer suas unhas com os dentes. Isso pode ter um efeito colateral de ajudar o indivíduo a superar seu hábito de roer unhas.

Alguns roedores de unha, entretanto, acham a efetividade de todos esses métodos e medicamentos ser fraca. Para eles, é necessária uma grande determinação para acabar com o hábito. Algumas das táticas que eles acham úteis é imaginar uma nota mental para parar, e prometer que não vai mais roer, além de fazer o fim do hábito ser uma das promessas de ano novo.

Assim como outros hábitos nervosos, o de roer unhas pode ser às vezes um sintoma de problemas emocionais. Nesses casos, resolver o problema emocional pode ajudar a diminuir ou até mesmo eliminar o hábito.

Algumas pessoas acham a terapia de hipnose um tratamento benéfico.

Fatos[editar | editar código-fonte]

  • O ato de roer unhas é, de acordo com a teoria Freudiana, um sintoma de fixação oral [carece de fontes?]
  • É uma ação considerada um tanto embaraçante em algumas culturas.
  • É às vezes relacionado à raiva reprimida contra os pais.
  • É uma parafunção, um acto não fisiológico.
  • Pode estar relacionado a distúrbios e desordens temporomandibulares.[1]

Referências

  1. rrinacio

Veja também[editar | editar código-fonte]