Risperidona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde agosto de 2007). Ajude e colabore com a tradução.
Estrutura química de Risperidona
Risperidona
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
4-[2-[4-(6-fluorobenzo[d]isoxazol-3-il)-
1-piperidil]etil]-3-metil-
2,6-diazabiciclo[4.4.0]deca-1,3-dien-5-ona
Identificadores
CAS 106266-06-2
ATC N05AX08
PubChem 5073
DrugBank APRD00187
Informação química
Fórmula molecular C23H27N4FO2 
Massa molar 410,485 g/mol
Farmacocinética
Biodisponibilidade 70% (oral)
Metabolismo Hepático (mediado por CYP2D6)
Meia-vida 3 a 20 horas
Excreção Renal
Considerações terapêuticas
Administração Oral e injeção intramuscular de liberação prolongada
DL50  ?

Risperidona é um antipsicótico atípico desenvolvido pela Janssen Farmacêutica. Usa-se mais frequentemente no tratamento de psicoses delirantes, incluindo-se a esquizofrenia. Porém a risperidona, como os demais antipsicóticos atípicos, é também utilizada para tratar algumas formas de transtorno bipolar, psicose depressiva, transtorno obsessivo-compulsivo e Síndrome de Tourette. Nos Estados Unidos da América ela também foi aprovada para o tratamento sintomático de irritabilidade em crianças e adolescentes autistas.[1] Geralmente para tratamento de transtornos do espectro autista se utilizam doses menores que para o tratamento da esquizofrenia e outras formas de psicoses.

Efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

Risperidone's receptor profile

Efeitos colaterais comuns são: insônia, náusea, ansiedade, tontura, hipotensão, rigidez muscular, dor muscular, sedação, tremores, aumento da salivação, aumento de peso e dificuldade de raciocínio (no tratamento a longo prazo), desordem extrapiramidal (movimentos involuntários), dor de cabeça, rinite - inflamação da membrana da mucosa nasal, síncope, arritmia cardíaca, galactorréia, ginecomastia - desenvolvimento excessivo da glândula mamária no homem, amenorréia, menorragia, disfunções ejaculatória e eréctil.

Farmacologia[editar | editar código-fonte]

Risperidona é um potente bloqueador da dopamina, inibindo o funcionamento dos seus receptores. Risperidona também atua como um antagonista do 5-HT2A, e pode ser usado para bloquear rápida e eficientemente os efeitos do 5-HT2A de drogas como o LSD. Contudo, o uso de anti-psicóticos em pessoas sobre a influência do LSD é alegado como extremamente desagradável. Por isso, Valium é mais recomendado para reduzir os efeitos colaterais do LSD. Seus efeitos são discutidos pela comunidade científica, sendo elevada a resposta placebo, provavelmente indicando uma resolução natural dos sintomas.[2] [3] [4]

Marcas Comerciais[editar | editar código-fonte]

Riss 1, 2 e 3 mg - Eurofarma.
Esquidon 1, 2 e 3 mg - Merck.
Respidon 1, 2 e 3 mg - Torrent do Brasil.
Ripevil 1, 2 e 3 mg - Dr. Reddys.
Risleptic 1, 2 e 3 mg - Arrow.
Risperdal 0,25 , 0,5 , 1, 2 e 3 mg - Janssen-Cilag.
Risperidon 1, 2 e 3 mg - Cristália.
Viverdal 2 mg - União Química.
Zargus 1, 2 e 3 mg - Biosintética

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FDA (October 2 2006). FDA Approves the First Drug to Treat Irritability Associated with Autism, Risperdal. Press release. Página visitada em 2006-10-02.
  2. RAMOS, Melissa Guarieiro; ROCHA, Fábio Lopes. Eficácia e segurança dos antipsicóticos atípicos nas demências: uma revisão sistemática. J. bras. psiquiatr., Rio de Janeiro, v. 55, n. 3, 2006 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852006000300008&lng=en&nrm=iso>. access on 27 June 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852006000300008.
  3. Stephan Heres, John Davis, Katja Maino, Elisabeth Jetzinger, Werner Kissling e Stefan Leucht. Why Olanzapine Beats Risperidone, Risperidone Beats Quetiapine, and Quetiapine Beats Olanzapine: An Exploratory Analysis of Head-to-Head Comparison Studies of Second-Generation Antipsychotics (em inglês). The American Journal of Psychiatry. Página visitada em 2006.
  4. T. Scott Stroup, Jeffrey A. Lieberman, Joseph P. McEvoy, Marvin S. Swartz, Sonia M. Davis, Robert A. Rosenheck, Diana O. Perkins, Richard S.E. Keefe, Clarence E. Davis, Joanne Severe, John K. Hsiao e outros. [http://psychrights.org/research/digest/nlps/AJPCATIE2AtypicalsEffectivenessSTROUP.pdf Effectiveness of Olanzapine, Quetiapine, Risperidone, and Ziprasidone in Patients With Chronic Schizophrenia Following Discontinuation of a Previous Atypical Antipsychotic] (em inglês). Psychrights. Página visitada em 2006.