Ovo Fabergé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ovo imperial "Transiberiano", 1900
Ovo imperial "folhas de trevo", 1902
"Pedro, o Grande", 1903

Os ovos Fabergé são obras-primas da joalharia produzidas por Peter Carl Fabergé e seus assistentes no período de 1885 a 1917 para os czares da Rússia. Os ovos, cuidadosamente elaborados com uma combinação de esmalte, metais e pedras preciosas, escondiam surpresas e miniaturas encomendados e oferecidos na Páscoa entre os membros da família imperial. Disputados por colecionadores em todo o mundo, os famosos ovos de Páscoa criados pelo joalheiro russo são admirados pela perfeição e considerados expoentes da arte joalheira.

História[editar | editar código-fonte]

Fabergé e seus ourives desenharam e construíram o primeiro ovo em 1885. Ele foi encomendado pelo czar Alexandre III como um presente de Páscoa para sua esposa Maria Feodorovna.[1] Exteriormente ele parecia um simples ovo de ouro esmaltado, mas ao abri-lo, revelava-se uma gema de ouro, que dentro de si possuía uma galinha, que por sua vez continha um pingente de rubi e uma réplica em diamante da coroa imperial. Tais características lembram os bonecos matrioska.

A imperatriz Maria ficou tão impressionada com o presente, que Alexandre acabou por nomear Fabergué como o "fornecedor da corte" e passou a encomendar um ovo por ano, sob a determinação de que este fosse único e contivesse uma surpresa. Seu filho, Nicolau II, deu sequência à tradição e anualmente presenteava sua esposa, Alexandra Feodorovna.

Cinqüenta ovos imperiais foram produzidos para os czares Alexandre III e Nicolau II,[2] ademais, outras dessas jóias também foram encomendadas por membros da nobreza.

Assim que um tema era escolhido, uma equipe de artesãos - dentre os quais Michael Perkhin, Henrik Wigström e Erik August Kollin - começava a trabalhar no projeto. Dezenas de clientes particulares apareceram com fama despertada pelos ovos imperiais.

Materiais[editar | editar código-fonte]

Os materiais utilizados por Fabergé incluíam os metais prata, ouro, cobre, níquel, paládio e platina que eram combinados em proporções variadas a fim de produzirem diversas cores. Além de utilizar a técnica de esmaltagem plique-à-jour assim como pedras preciosas como rubi, quartzo, diamante, jade, ágata.

Lista de Ovos Fabergé "Imperiais"[editar | editar código-fonte]

  • 1885 Galinha
  • 1886 Galinha com pendente de safira †
  • 1887 Relógio da serpente azul (encontrado em 2014)
  • 1888 Querubim e carruagem†
  • 1889 Necessaire †
  • 1890 Palácios dinamarqueses
  • 1891 Memória de Azov
  • 1892 Diamantes incrustados
  • 1893 Cáucaso
  • 1894 Renascimento
  • 1895 Botão de rosa
  • 1895 Doze monogramas
  • 1896 Miniaturas giratórias
  • 1896 Retratos de Alexandre III †
  • 1897 Coroação
  • 1897 Pelicano de ouro
  • 1898 Lírios do vale
  • 1898 Muget †
  • 1899 Relógio bouquet
  • 1899 Amores perfeitos
  • 1900 Transiberiano
  • 1900 Galinho
  • 1901 Cesto de flores silvestres
  • 1901 Palácio Gatchina
  • 1902 Folhas de trevo
  • 1902 Empire Nephrite†
  • 1903 Pedro, o Grande
  • 1903 Jubileu Dinamarquês†
  • 1906 Kremlin de Moscovo
  • 1906 Cisne
  • 1907 Grinaldas de rosas
  • 1907 Troféu do amor
  • 1908 Palácio de Alexandre
  • 1908 Pavão
  • 1909 Iate
  • 1909 Comemorativo de Alexandre III†
  • 1910 Colunas
  • 1910 Alexandre III equestre
  • 1911 15º Aniversário
  • 1911 Loureiro
  • 1912 Czarevich
  • 1912 Napoleónico
  • 1913 Tricentenário Romanov
  • 1913 Inverno
  • 1914 Mosaico
  • 1914 Catarina a Grande ou Grisaille
  • 1915 Cruz vermelha com tríptico da ressurreição
  • 1915 Cruz vermelha com retratos imperiais
  • 1916 Ovo militar em aço
  • 1916 Ordem de São Jorge
  • 1917 Madeira de Karelia - encomendado apenas
  • 1917 Constelação - encomendado apenas
† Desaparecido

Ovos Fabergé Kelch[editar | editar código-fonte]

  • 1898 Galinha
  • 1899 Painel de Doze
  • 1900 Pinha em Cone
  • 1901 Floração de Maçã
  • 1902 Rocaille
  • 1903 Bonbonnière
  • 1904 Chantecler Kelch

Outros ovos Fabergé[editar | editar código-fonte]

  • 1885-1891 Esmaltado listrado Azul
  • 1902 Duquesa de Marlborough
  • 1902 Rothschild
  • 1907 Youssoupov
  • 1914 Nobel Ice
  • 1885-1889 Ressurreição
  • 1899-1903 Flores Primaveris

Localização[editar | editar código-fonte]

Localização atual dos ovos Fabergé Número
- Imperial: 42
Coleção Viktor Vekselberg, Rússia (antes B. C. Forbes) 9
Palácio do Arsenal do Kremlin, Moscou, Rússia 10
Virginia Museum of Fine Arts, Richmond (Virgínia), Estados Unidos 5
Cheekwood Botanical Garden and Museum of Art, Nashville (Tennessee), Estados Unidos 3
Royal Collection, Londres, Reino Unido 3
Fundação Edouard e Maurice Sandoz, Suíça 2
Hillwood Museum, Washington, DC, Estados Unidos 2
Walters Art Museum, Baltimore, Estados Unidos 2
Museu de Arte de Cleveland, Cleveland, Estados Unidos 1
Coleção de Alberto II de Mónaco, Monte-Carlo, Mônaco 1
Governo de Qatar 1
Coleção privada, Estados Unidos 3
- Kelch: 7
Coleção de Viktor Vekselberg, Rússia (antes Forbes) 2
Royal Collection, Londres, Reino Unido 1
Coleção privada 4
- Outros: 8
Coleção de Viktor Vekselberg, Rússia (antes Forbes) 2
Museu de Arte de Cleveland, Cleveland, Estados Unidos 1
Fundação Edouard e Maurice Sandoz, Suíça 1
Museu Nacional Russo, Moscou, Rússia 1
Coleção privada 3

História recente[editar | editar código-fonte]

Dos 65 conhecidos ovos Fabergé grandes[3] , apenas 57 existem até hoje. Dez dos Ovos Imperiais de Páscoa estão expostos no Palácio do Arsenal do Kremlin, Moscou, Rússia. Dos 50 Ovos Imperiais, só 42 sobrevivem.

Dos oito ovos Imperiais desaparecidos, há fotos apenas de dois[4] ; um de 1903, o da Realeza da Dinamarca, e um de 1909, comemorativo de Alexandre III da Rússia.

Um único dos Ovos da “Ordem de St. George”” feitos em 1916, foi tirado da Rússia bolchevique pela Imperatriz Consorte Dagmar da Dinamarca. Os demais ovos dessa série ficaram em Petrogrado.

Após a Revolução Russa de 1917 a ‘’Casa Fabergé’’ foi nacionalizada pelos bolcheviques, a família Fabergé fugiu para a Suíça, onde Peter Carl Fabergé faleceu em 1920.[5] Todos os palácios da Dinastia Romanov foram saqueados e os seus tesouros foram removidos por ordem de Vladimir Lenin e levadas para o Palácio do Arsenal do Kremlin.[5]

Visando obter moedas estrangeiras, Joseph Stalin vendeu diversos Ovos Fabergé em 1927, depois que seu valor foi avaliado por ‘’Agathon Fabergé’’, irmão mais jovem do ourives. Entre 1930 e 1944, quatorze dos Ovos Imperiais deixaram a Rússia. Muitos dos ovos foram comprados por ‘’Armand Hammer’’, presidente da Occidental Petroleum e amigo pessoal de Lenin e cujo pai havia fundado o Partido Comunista dos Estados Unidos da América e também por ‘’Emanuel Snowman’’ da ‘’Wartski’, famosos antiquários de Londres/.

Depois da coleção do Palácio do Arsenal do Kremlin, o maior acervo dessas jóias foi colecionado por Malcolm Forbes e exposto em Nova Iorque. Num total de nove Ovos e mais cerca de 180 outras peças feitas por Fabergé, a coleção foi colocada em leilão na Sotheby's em fevereiro de 2004 pelos herdeiros de Forbes. Antes mesmo início do leilão, toda a coleçao foi comprada pelo magnata e oligarca russo da era pós-soviético de nome Victor Vekselberg por uma soma da ordem de 90 a 120 milhões de dólares. [6]

Em Novembro de 2007, um relógio “Fabergé”, denominado pela casa de leilões Christie's como ‘’Fabergé Rothschild’’ foi vendido por quase 9 milhões de £ (incluindo a comissão) [7] O preço alcançado no leilão bateu trêsrecordes, como mais caro:

  • equipamento de medição de tempo;
  • objeto de origem russa
  • objeto feito por Fabergé

Essa venda ultrapassou o preço de 9,6 milhões de dólares de um leilão de 2002, essea do Ovo Fabergé “Inverno” datado de 1913.[8] [9]

Terceiro ovo[editar | editar código-fonte]

O terceiro dos 50 ovos de Páscoa, avaliado em 24 milhões de euros, foi descoberto em 2014 num mercado de rua nos EUA.

A peça é composta por um relógio Vacheron Constantin, que se encontra no seu interior, mede cerca de 8,2 cm de altura e foi oferecida na Páscoa pelo czar Alexandre III à mulher, Maria Fiodorovna, em 1887.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Mmieks - Fabergé Eggs
  2. The Fabergé Imperial Easter Eggs,by Fabergé, Skurlov, Proler, London, 1997, p. 90. ISBN 0-903432-48-X
  3. Os 50 Ovos Imperiais Fabergé entregues, O “Karelian Birch”, os 7 Ovos Kelch, o da Duquesa de Marlborough, o dos Rothschild, o Youssoupov, Nobel, o da Ressureição, o das Flores Primaveris e o Azul Esmaltado e Listrado -
  4. Egg Hunting, Pro Division - Forbes.com
  5. a b Faberge Eggs - the fate of the eggs
  6. Energy Tribune
  7. O relógio foi previamente documentado e isso foi publicado em L'Objet 1900 por Maurice Rheims, plate 29
  8. http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/7116956.stm Fabergé egg sold for record £8.9m, BBC News, 28 November 2007
  9. Bloomberg.com: Muse Arts

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Sigrid Barten: Carl Fabergé. Kostbarkeiten russischer Goldschmiedekunst der Jahrhundertwende. Museum Bellerive, Zürich 1989, ISBN 3-907065-33-6
  • Christopher Forbes: Fabergé, die kaiserlichen Prunkeier. Prestel, München 2003, ISBN 3-7913-3019-5.
  • Géza von Habsburg: Fabergé - Cartier. Rivalen am Zarenhof. Hirmer, München 2003, ISBN 3-7774-9830-0.
  • Marina Lopato, Géza von Habsburg: Fabergé, imperial jeweller. Thames & Hudson, London 1993, ISBN 0-500-09239-7.
  • Elsebeth Welander (Hrsg.): Carl Fabergé. Goldsmith to the tsar. Nationalmuseum, Stockholm 1997, ISBN 91-7100-539-0.
  • Will Lowes and Christel Ludewig McCanless: Fabergé Eggs, A Retrospective Encyclopedia. Scarecrow Press, Lanham, Maryland, and London 2001, ISBN 978-0-8108-3946-5.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ovo Fabergé
Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.