Palotina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Palotina
"Capital Nacional da Soja"
"Joia do Oeste"
"Pólo da Agroindústria"
Bandeira de Palotina
Brasão de Palotina
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 25 de julho de 1960
Fundação 2 de dezembro de 1961
Gentílico palotinense
Lema "Palotina Continuando Progredindo"
Padroeiro(a) São Vicente Palotti
Nossa Senhora da Salete
Prefeito(a) Jucenir Leandro Stentzler (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Palotina
Localização de Palotina no Paraná
Palotina está localizado em: Brasil
Palotina
Localização de Palotina no Brasil
24° 17' 02" S 53° 50' 24" O24° 17' 02" S 53° 50' 24" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Oeste Paranaense IBGE/2008 [1]
Microrregião Toledo IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Leste: Assis Chateaubriand Oeste: Terra Roxa Sul:Maripá, Nova Santa Rosa Norte:Francisco Alves, Iporã
Distância até a capital 591 Km km
Características geográficas
Área 951,228 km² [2]
Distritos Floresta (distrito de Palotina)
São Camilo (distrito de Palotina)
População 32,988 (IBGE: Censo 2 010) hab. (PR: 64º) –  Censo IBGE/2011[3]
Densidade Erro de expressão: Operador ( inesperado hab./km²
Altitude 335 m
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,832 (PR: 7º) – muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 822 245,310 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 18 658,65 IBGE/2008[5]
Página oficial

Palotina é um município brasileiro do estado do Paraná. A população de acordo com o Censo 2010 é de 32.988 habitantes. Ocupa uma área de 651 km².

A economia é baseada na agricultura, agroindústria e prestação de serviços. A cidade conta com uma das maiores Agroindústrias do sul do país, a C-Vale Cooperativa Agroindustrial. Além disso também é cidade universitária, sendo a única no oeste do Paraná que possui um campus da Universidade Federal do Paraná, sendo que este possui os cursos de Agronomia, Ciências Biológicas, Medicina Veterinária, Tecnologia em Aquicultura, Tecnologia em Biocombustíveis e Tecnologia em Biotecnologia, atendendo assim a demanda de mercado por novos profissionais. A cidade possui também o menor índice de desistência escolar do país.[6] A cada cem alunos matriculados, apenas um não conclui o ensino fundamental.

Merecem destaque também o Lago Municipal e a Praça Amadeo Piovesan,a feira do produtor, além de tradicionais festas que ocorrem no município, como a Expo Palotina (festa organizada pelo município) e outras de menor destaque regional.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1940, através da Marcha para o Oeste, chegam os primeiros migrantes em Palotina, então Município de Guaíra, somando uma população de 10 habitantes.

Em 1950, acontecem novos deslocamentos da população do sul do país, resultando, desta forma, em 24 de junho de 1857, a criação do Distrito de Palotina, com uma população de 100 habitantes (Censo 1950).

Era o final do inverno de 1953. O dia exato, 3 de setembro. Neste dia, as colonizadoras Pinho e Terra Ltda e a Madeireira Rio Paraná trazem para a região da futura cidade de Palotina, seus primeiros moradores. Dos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul vieram Domingos Francisco Zardo, João Bortolozzo, Luis de Carli, Benardino Barbieri, Egydio João Clivati, Eugenio Leszczynski, Eurico Nenevê, Amado Vilaverde e Francisco Studzinski, entre muitos outros que não são devidamente reconhecidos mas que igualmente fizeram e fazem parte da fundação do município, cuja lista seria muito grande para citá-la neste espaço. Várias famílias e um destino: derrubar a mata, plantar erva-mate, abrir ruas, construir casas, fazer uma cidade. Como esperança e fé andam sempre juntas, no dia 6 de janeiro de 1954 foi rezada a primeira missa em um altar montado no que hoje é a Granja Possan, por padres Palotinos, que eram em bom número nas primeiras caravanas que aqui chegaram. Daí o nome da cidade.

Em 1960, exatamente no dia 25 de julho, ocorreu a emancipação política administrativa de Palotina. Com a emancipação, criaram-se os Distritos Administrativos e Judiciários de Maripá, Pérola Independente, Alto Santa Fé e São Camilo, com população de 3.469 habitantes (Censo IBGE).

Em 1970, o município perde a área de Alto Santa Fé para o município de Nova Santa Rosa e é criado o Distrito Administrativo da Vila Candeia, atingindo uma população de 43.005 habitantes (Censo IBGE).

Em 1980, ocorre a elevação da Vila Santo Antônio como Distrito Administrativo, com população de 28.248 habitantes (Censo IBGE).

Na década de 1990, com a elevação do Distrito de Maripá a município, englobando os Distritos de Pérola Independente e Candeia, acarreta uma perda de 30% do território do município de Palotina, totalizando nesta época 38.569 habitantes (Censo IBGE). Em 2000, este número baixa para 28.765 (Censo IBGE).

A origem do nome Palotina é uma homenagem aos padres palotinos, que marcaram presença no município, desde a derrubada das primeiras árvores. Foram testemunhas do desbravamento, dos conflitos e do desenvolvimento do município e agentes vivos na implementação da religiosidade que caracteriza o seu povo. Por esse motivo, foi escolhido como padroeiro do município, São Vicente Pallotti.

Relato de pioneiros[editar | editar código-fonte]

Alguns dos primeiros habitantes de Palotina vieram de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Não foram fáceis os primeiros tempos, como relata o pioneiro Santo Galante e sua esposa Égide Galante, que vieram de Concórdia, Santa Catarina, em 1955, ao padre Pedro Reginato, na coleta de dados para a elaboração do livro "História de Palotina", de 1979.

As dificuldades já começavam para chegar na região, uma viagem de três dias de caminhão da firma colonizadora. Chegando encontravam vários problemas, como a terra vermelha que entrava e sujava tudo, a falta de luz elétrica, os mosquitos, as doenças, como a malária e a falta de médicos, que os obrigava a buscar socorro em Guaíra, além do mato que cercava tudo, escondendo no seu interior ameaças de animais como onças, cobras, entre outros.

Mesmo assim, logo se adaptaram e o pioneiro começa a desenvolver suas atividades na cidade, abrindo a primeira alfaiataria e cultivando seus dois lotes de terra, onde construiu sua casa e cultivava uma horta, que "produzia de tudo". Posteriormente plantou uma lavoura de trigo em terras cedidas por amigos e também ampliou seus negócios, passando a comercializar tecidos e tintas.

Nesses primeiros tempos, a alimentação variava, sendo consumidos produtos trazidos com a mudança, como arroz, feijão e farinha de trigo, complementados por carne de caça, como tucanos, inhambu, jacu, pacas e veados, antes de cultivar as primeiras lavouras.

Logo, porém, a beleza do lugar superou essas dificuldades iniciais e a família se acostumou com o novo lar, permanecendo aqui até os dias atuais (2004).

Outro personagem importante da colonização de Palotina é Eugênio Leszcynski, que chegou na região em 1953, a serviço da colonizadora "Pinho e Terras", como agrimensor. Ele relata, principalmente, as dificuldades de locomoção, sendo obrigado a andar de bicicleta e a pé de Candeia (distrito do atual município de Maripá) até a vila de Palotina.

Chegando no seu destino, ficou morando numa casa de tábua bem rústica e iniciou seu trabalho de medição das terras, a partir dos rios Pioneiro e Santa Fé. Esse trabalho não era fácil, por causa das picadas que tinham que ser abertas na mata e também pelos animais e insetos a serem enfrentados, como onças, catetos, mosquitos e mutucas.

A alimentação era restrita a feijão cozido com banha e farinha de mandioca, ou com uma massa de farinha de trigo cozida com banha, e às vezes complementada com carne de anta e queixada.

Muitas vezes esse trabalho de medição exigia a permanência no interior da mata por uma semana inteira, levando a montagem de acampamentos provisórios com taquaras e folhas de coqueiro.

Os equipamentos obrigatórios para esse serviço eram o machado, a foice, o facão, a trena, a baliza, o teodolito, marcos feitos de madeira de lei, como angico, cabriúva, canjerana, ipê, guajuvira, e armas de fogo, como revólveres e espingardas, que tanto serviam para a defesa quanto para a obtenção de comida.

Eugênio gostou tanto do lugar, que findo seu trabalho de agrimensor, arrumou emprego numa casa comercial e permaneceu na cidade, onde se casou e permanece até hoje (2012).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Palotina é Subtropical Úmido (segundo a classificação de Köppen), com verões quentes e invernos frios ou amenos. Geadas são frequentes no período mais frio, podendo acontecer no período entre o fim de maio e o início de setembro. A média anual de temperatura é de 20°C.

Gráfico climático para Palotina
J F M A M J J A S O N D
 
 
170
 
32
22
 
 
151
 
33
22
 
 
137
 
30
19
 
 
99
 
26
15
 
 
152
 
24
12
 
 
111
 
20
9
 
 
82
 
22
9
 
 
77
 
24
12
 
 
138
 
24
13
 
 
207
 
28
14
 
 
165
 
30
17
 
 
167
 
31
20
Temperaturas em °CPrecipitações em mm
Fonte: IAPAR

Território[editar | editar código-fonte]

  • Altitude: 332 metros
  • Desmembrado: Guaíra - PR
  • Instalação: 3 de dezembro de 1961
  • Área terrestre: 647,284 km²
  • Distância da capital: 591,12 km

Aspectos geográficos[editar | editar código-fonte]

Coordenadas geográficas
  • 24º 12' latitude sul
  • 53º 50' 30 "longitude oeste (Greenwich)
Região fisiográfica

Palotina faz parte do terceiro Planalto ou Planalto de Guarapuava, estando localizada na Microrregião Extremo Oeste Paranaense.

Áreas
  • Área total – 647.430 km 2
  • Área urbana – 12.820 km 2
  • Área rural – 634.610 km 2
Limites
Vias de acesso
  • PR 182 – é saída para Maripá e Toledo ou para Francisco Alves.
  • PR 364 – é saída para Assis Chateaubriand ou Terra Roxa.
  • Distância da capital 612 km.
Relevo

Plano, não existindo altas montanhas ou precipícios.

Solo

Latossolo Vermelho eutrófico de textura muito argilosa.

Rios
  • Os principais são Rio São Pedro, Rio Azul, Rio Piquiri, Rio Pioneiro, Rio Santa Fé e Rio São Camilo.

O primeiro censo de Palotina foi realizado em 1970, mostrando que, naquela época, estavam residindo 43.005 pessoas no município, das quais, 5.252 estavam na zona urbana e 37.753 na zona rural. O censo da década seguinte já demonstrava a existência do êxodo rural e a migração de palotinenses para outras regiões, principalmente Mato Grosso, Rondônia e Paraguai. Em 1980, o IBGE registrou a existência de 12.364 moradores na zona urbana de Palotina e 15.875 na zona rural, totalizando 28.239 habitantes. O censo demográfico realizado em 1991, registrou uma população total de 31.598 habitantes, sendo 19.635 na zona urbana e 11.963 na zona rural. No censo realizado em 2000 registrava uma população total de 28.771 habitantes, sendo 20.771 na zona urbana e 8.000 na zona rural. Já o Censo 2010 registrou uma população de 28.692 habitantes, sendo 24.600 na zona urbana e 4.092 na zona rural.

Símbolos municipais[editar | editar código-fonte]

Bandeira municipal

Idealizada pelo professor Arthur Luponi, apresenta a cor branca, símbolo da paz, amizade, lealdade, verdade, pureza, felicidade, beleza, integridade, equidade e franqueza. A cruz latina é o símbolo da fé cristã, representada nas cores vermelha, branca e azul, alteradas em faixa. Em vermelho - símbolo de valor, domínio, magnanimidade, vitória, honra, caridade. Em branco - símbolo de paz, amizade, lealdade, verdade. Em azul - símbolo de justiça, perseverança, zelo, perfeição, dignidade. A estrela azul, de cinco pontas representa simbolicamente o município de Palotina.

Brasão de armas municipais

Idealizado pelo professor Arthur Luponi. O escudo de formato ibérico é em homenagem ao povo desbravador e formador da raça do município. A cor azul lembra a cor característica do céu. O metal prata para a faixa, a cruz latina e o cometa estilizado, por ser o símbolo da paz, amizade, lealdade, pureza, beleza, formosura, felicidade, franqueza, verdade e equidade.

A frase "Caritas Christi Urget Nos", - "A caridade de Cristo nos impele", é o lema em homenagem ao padroeiro do município, São Vicente Pallotti. O cometa estilizado indica esperança do sucesso. As quatro faixas onduladas em prata representam os quatro principais rios que banham o município: Piquiri, Pioneiro, Azul e São Camilo. O verde lembra os extensos campos cultivados, símbolo de esperança, abundância, posse e campo. A coroa de cinco torres é privativa de cidades. Os dois ramos de soja e os três de trigo representam as duas principais culturas agrícolas.

A inscrição "25 de julho de 1960" indica a data de criação do município e a inscrição "3 de dezembro de 1961", indica a data oficial de sua instalação.

Área político-administrativa[editar | editar código-fonte]

  • Número de eleitores: 21 007 pessoas
  • Prefeito: Jucenir Stenzler

Área social[editar | editar código-fonte]

  • População censitária - Total: 24.000 habitantes
  • População estimada - Total:28.000 habitantes
  • População economicamente ativa: 13.535 pessoas
  • População ocupada: 12.277 pessoas
  • Número de domicílios total: 8.910
  • Matrículas na pré-escola: 944 alunos
  • Matrículas no ensino fundamental: 4.413 alunos
  • Matrículas no ensino médio: 1.450 alunos
  • Matrículas no ensino superior: 348 alunos

Aspectos educacionais[editar | editar código-fonte]

O sistema educacional mantido pelo poder público em Palotina, teve início em 1956, com a criação da Escola Municipal Rural Wenceslau de Moraes, em São Camilo (atual Escola Municipal Jean Piaget).

Na mesma época já funcionava na zona urbana de Palotina a escola particular Mater Ter Admirábilis, criada pela Colonizadora Pinho e Terra, que posteriormente foi estadualizada com o nome de Escola Estadual Joaquim Monteiro Martins Franco, hoje, está municipalizada com o mesmo nome.

Em 1960 surge a primeira escola estadual em Palotina, o atual Colégio Estadual Santo Agostinho, e em 1962 a primeira escola municipal urbana, o atual Colégio Estadual Barão do Rio Branco.

No levantamento de dados sobre os primeiros estabelecimentos educacionais de Palotina, percebeu-se que os nomes predominantes eram e santos, políticos e escritores de renome.

Atualmente, têm-se privilegiado nomes de pioneiros ou personalidades que se destacaram no município, como Padre Vitorino Roggia, Celino Rocha de Araújo, Professora Terezinha Giron Agustini, Professora Shirley Saurin e Domingos Francisco Zardo.

Escolas rurais fechadas em Palotina[editar | editar código-fonte]

Ano - Quantidade
  • 1960/1970 - 11
  • 1970/1980 - 42
  • 1980/1990 - 16
  • 1990/2000 - 36
  • 2000/2003 - 5
  • Total - 108

Fonte: Secretaria Municipal de Educação.

Motivos[editar | editar código-fonte]

Êxodo rural e emancipação dos municípios de Nova Santa Rosa e Maripá. Intensificação da mecanização do solo, juntamente com a decadência da cultura de hortelã, o que gerou uma emigração intensa e um grande êxodo rural. Fechamento de escolas multisseriadas.

Economia[editar | editar código-fonte]

  • Número de estabelecimentos: 872
  • Número de empregos: MTE 2007 8.359
  • Produção de soja: IBGE 2007 139.310 toneladas
  • Produção de milho: IBGE 2007 172.400 toneladas
  • Produção de trigo: IBGE 2007 13.800 toneladas
  • Bovinos IBGE 2007: 17.210 cabeças
  • Eqüinos IBGE 2007: 200 cabeças
  • Galinhas: IBGE 2007 5.425.000 cabeças
  • Ovinos: IBGE 2007 2.260 cabeças
  • Suínos: IBGE 2007 39.100 cabeças
  • Valor adicionado - Produção primária: 215.975.051
  • Valor adicionado - Indústria: 346.948
  • Valor adicionado - Comércio/serviços: 100.830.176
  • Valor adicionado - Recursos/autos: 1.739.650
  • Valor adicionado - Total: 390.891.825
  • Receitas municipais: 20.737.209,10
  • Despesas municipais: 20.651.039,89

Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

  • Abastecimento de água: 8.649 unid. atend.
  • Atendimento de esgoto: 2.226 unid. atend.
  • Consumo de energia elétrica - Total: 84.958 mwh
  • Consumidores de energia elétrica - Total: 9.487

Indicadores[editar | editar código-fonte]

  • Densidade demográfica: 37,95 hab/km²
  • Índice de Desenvolvimento Humano - IDH: 0,832
  • PIB per capita IBGE/IPARDES: 18.941
  • Índice de Gini PNUD: 0,600
  • Grau de urbanização: 80,48%
  • Taxa de crescimento geométrico: 0,66%

Comunicação[editar | editar código-fonte]


Hospitais[editar | editar código-fonte]

  • Hospital Geral Prefeito Quinto Abraão Delazeri
  • Unidade Hospitalar Unimed
  • Hospital Unidade Unimed

Esporte[editar | editar código-fonte]

No passado a cidade de Palotina possuiu um clube no Campeonato Paranaense de Futebol, o Palotina Futebol Clube. [7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2011 Censo Populacional 2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2011). Visitado em 11 de dezembro de 2011.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. [1]
  7. http://www.rsssfbrasil.com//tablesfq/pr1989l2.htm