Pouso Alto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pouso Alto
Panorama da cidade

Panorama da cidade
Bandeira desconhecida
Brasão de Pouso Alto
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 19 de outubro de 1878
Gentílico pousoaltense
Lema Pouso Alto: o fascínio das Minas Gerais nas Terras Altas da Mantiqueira
Prefeito(a) Paulo Mancilha Rangel
(2013–2016)
Localização
Localização de Pouso Alto
Localização de Pouso Alto em Minas Gerais
Pouso Alto está localizado em: Brasil
Pouso Alto
Localização de Pouso Alto no Brasil
22° 11' 38" S 44° 58' 22" O22° 11' 38" S 44° 58' 22" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião São Lourenço IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Itamonte, Itanhandu, São Sebastião do Rio Verde, São Lourenço, Caxambu e Baependi
Distância até a capital 422 km
Características geográficas
Área 261,211 km² [2]
População 6 213 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 23,79 hab./km²
Altitude 884 m
Clima tropical de altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,753 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 74 200,056 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 387,36 IBGE/2008[5]
Página oficial
Praça do Fórum, à noite
Expedição na Estrada Real
Igreja Matriz, à noite
Praça do Fórum
Panorama

Pouso Alto é um município na Microrregião de São Lourenço, no estado de Minas Gerais, no Brasil.

Pouso Alto já foi pouso de princesa e príncipe, como a princesa Isabel e o príncipe dom Pedro, que vieram inaugurar a antiga estação de trens, hoje instalada na cidade de São Sebastião do Rio Verde. Muitos poetas também pousaram por aqui: Júlio Ribeiro, Ribeiro Couto (autor de A Cabocla), Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade.

Pouso Alto integra o circuito turístico das Terras Altas da Mantiqueira, que inclui também os municípios de Alagoa, Itamonte, Itanhandu e Passa Quatro.[6]

De acordo com o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2010, sua população era estimada em 6 213 habitantes. Tem área de 261 quilômetros quadrados.

História[editar | editar código-fonte]

No século XVI, toda a região do sul do atual estado brasileiro de Minas Gerais era território disputado entre vários povos indígenas brasileiros: a oeste, situavam-se os caingangues; ao sudoeste, situavam-se os tupiniquins; a sudeste, situavam-se os tupinambás e, a leste, situavam-se os puris.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Listagem dos Circuitos Turísticos 34 pp. Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais. Página visitada em 15 de novembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.