Private equity

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Private equity é um tipo de atividade financeira realizada por instituições que investem essencialmente em empresas que ainda não são listadas em bolsa de valores, com o objetivo de alavancar seu desenvolvimento. Esses investimentos são realizados via Fundos de Private Equity.[1] [2]

Principais formas de atuação[editar | editar código-fonte]

  • Venture capital: investimento na fundação de uma empresa nova ou expansão de uma empresa pequena;
  • Buy-out: aquisição de parte significativa ou até mesmo o controle de uma empresa mais madura em seu estágio de desenvolvimento;
  • Situações extraordinárias: investimento em empresas que passam por dificuldades financeiras ou sofrem mudanças impactantes, tais como mudanças regulatórias e de tendências do mercado.

Private Equity geralmente são realizados em empresas emergentes de maior porte com grande potencial. Em sua maioria são constituídos em acordos contratuais privados entre investidores e gestores, não sendo oferecidos abertamente ao mercado e sim através de colocação privada.

As maiores gestoras de fundos de private equity do mundo em 2007[editar | editar código-fonte]

As maiores gestoras de fundos de private equity de Portugal em 2013[editar | editar código-fonte]

As maiores gestoras de fundos de private equity do Brasil em 2011[editar | editar código-fonte]

Algumas das maiores firmas de "private equity" do Brasil são:[3]

As maiores gestoras de fundos de private equity do mundo em 2009[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Leonardo Attuch (17 Agosto 2007). A dupla que não para de comprar empresas (em Português) Isto é Dinheiro - Terra.com. Visitado em 10 Dezembro 2014.
  2. Giuliana Napolitano (27 Julho 2007). Cada cérebro vale 90 milhões de Reais (em Português) Revista Exame. Visitado em 10 Dezembro 2014.
  3. Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]