Quico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde junho de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Quico / Kiko
Carlos Villagrán Eslava como Quico (o Kiko) de El Chavo del Ocho.jpg
Quico em 2010
Língua original Espanhol
Morada Apartamento 14 da Vila do Chaves, com sua mãe, Dona Florinda
Idade 9
Origem  México
Cabelo Preto
Olhos Pretos
Dublagem Nelson Machado Filho
(Na série original (1984-1992) e em todas as aparições do personagem em outras séries, exceto na animada)
Sérgio Stern
(no desenho animado)
Temporada(s) 1972-1978
Série El Chavo del Ocho, El Chapulín Colorado, Federrico, Niño de Papel, Kiko Botones, ¡Ah qué Kiko!
Primeira aparição "A Moeda Perdida" (1972), sketch mais antigo de Chaves em que Quico aparece
Última aparição "A Escolinha do Professor Girafales" (1978)
Interpretado por Carlos Villagrán
Projecto Televisão  · Portal Televisão

Quico (às vezes também grafado Kiko), cujo nome completo é Frederico Matalascayando y Corcuera, ou Frederico Bardón de la Regueira (ambos são considerados convenientes, por não se saber exatamente qual dos dois é o correto), é um personagem fictício da série de televisão infantil mexicana El Chavo del Ocho, interpretado por Carlos Villagrán - até a atualidade identificado e famoso pelo seu personagem.[1]

Filho de Dona Florinda (Florinda Meza) e de Frederico (Carlos Villagrán), um marinheiro que falece durante uma viagem, Quico é um garoto metido e mimado pela mãe, sendo alvo de gozação por parte das outras crianças e de outros inquilinos da vila. Por suas trapalhadas, é chamado por Chaves de "burro". É também conhecido por suas bochechas protuberantes, que lhe valeram o apelido de bochechas de buldogue velho.

Descrição pessoal[editar | editar código-fonte]

Quico é um garoto de nove anos de idade, bastante mimado por sua mãe, Dona Florinda, que adora zombar das crianças, especialmente de Chaves e Chiquinha, se exibindo com seus brinquedos. De vez em quando, Chaves desaparece com seus brinquedos e isso gera discussões entre os dois. Quico sempre espera ansiosamente por ganhar uma "bola quadrada".

Mora no nª 14, com sua mãe, Dona Florinda, que o superprotege, principalmente quando é beliscado pelo vizinho Seu Madruga, que sempre é acusado de qualquer coisa que tenha feito a Quico, mesmo que a atitude não tenha sido cometida por ele.

Tem uma prima chamada Pópis (vivida por Florinda Meza, que também interpreta Dona Florinda), que é bastante semelhante a ele: ambos são vaidosos e não muito inteligentes.

Seu melhor amigo é Chaves, porém, o relacionamento dos dois mistura de amizade, inimizade e rivalidade. Quico, que herdou a arrogância de sua mãe, adora zombar de Chaves, o que gera brigas entre os dois. Porém, os dois mantém uma grande amizade.

Relação com alguns personagens[editar | editar código-fonte]

Chaves (El Chavo): Apesar de ser o melhor amigo de Chaves, Quico é bastante egoísta e invejoso ao se relacionar com ele. Sempre que ele observa Chaves com algum brinquedo, por pura inveja ele corre para casa e de lá traz um brinquedo semelhante, porém melhor. E ainda sempre se diverte negando seus lanches a Chaves (que está sempre faminto), assim como seus brinquedos. Sua maneira de agredir Chaves é sempre com um soco no rosto, o que Chaves geralmente retribui com três socos (que nocauteiam Quico).

Chiquinha (La Chilindrina): Sua relação com Chiquinha não é muito diferente da dele com Chaves, pois também apesar de serem amigos e companheiros de brincadeiras, Quico também se diverte bastante ao negar suas coisas à pobre menina, além de às vezes bater nela e puxar seu cabelo (entretanto Chiquinha às vezes costuma se defender e revidar às agressões). Chiquinha porém, por ser bastante esperta, às vezes tira vantagem dele pela falta de inteligência (assim como com Chaves).

Seu Madruga (Don Ramón): Por sempre obedecer sua mãe, que insiste que ele não deve se aproximar de Seu Madruga, a quem Dona Florinda considera uma gentalha, e Seu Madruga não o suportar devido às bobagens que ele (Quico) faz e também que diz, os dois estão quase sempre em lados opostos. Quico costuma atazanar o pobre homem com gracinhas (desconcentrando-o), rindo dele (ao Seu Madruga cometer um ato falho) ou agredindo Chiquinha, o que tira Seu Madruga do sério e o leva a [[beliscar]] Quico. Seu Madruga, culpado ou inocente, sempre é punido por Dona Florinda por tudo o que acontece de ruim com Quico. Sua frase tradicional ao lidar com Seu Madruga é sempre Gentalha, gentalha!. É bastante incomum ver os dois em harmonia. Mesmo com todas estas desavenças mútuas, o Quico é defendido pelo Seu Madruga sempre que Chaves tenta agredi-lo, mesmo sabendo que Dona Florinda raramente escuta suas explicações e Quico, por sua vez, raramente declara à sua mãe que Seu Madruga é inocente.

Dona Florinda: Possuem uma boa relação de mãe e filho. Dona Florinda sempre dá tudo o que Quico pede (dinheiro, doces, brinquedos, etc.), e sempre sai em defesa do filho quando este sofre agressões ou insultos, e quase sempre Seu Madruga é quem leva a culpa por tudo. Sua frase e conselho para Quico é sempre o mesmo: Vamos tesouro, não se misture com essa gentalha! Dona Florinda chama Quico de Frederico quando está zangada por causa de alguma coisa errada que ele fez.

Professor Girafales: Girafales possui com Quico uma relação diferente da que possui com seus demais alunos, já que é tido como namorado de Dona Florinda. Girafales às vezes traz consigo, além das flores que sempre compra para Florinda, um brinquedo ou animal de estimação para Quico, afim de conquistar também a simpatia do enteado, o qual em troca o chama acidentalmente de "papi" (geralmente corrigindo para "professor"), acreditando que terá em Girafales, o pai que sempre lhe fez falta. Mesmo assim, o professor ainda não escapa das piadas e apelidos por meio de Quico, e assim como com outras crianças, Girafales ainda tem de aguentar as asneiras ditas pelo garoto, se irritando igualmente com o mesmo.

Senhor Barriga e Dona Clotilde: A relação dele para com os dois é a mesma das outras crianças, os chamando de gordo e bruxa (respectivamente) e fazendo piadas relativas a obesidade (Sr. Barriga) e a velhice (D. Clotilde). Como seus amigos, Quico costuma temer Dona Clotilde por pensar que ela é uma bruxa.

Nhonho: São bem amigos e muitas vezes Quico se identifica mais com Nhonho do que com Chaves (devido a condição social de ambos), uma vez em que usa o mesmo para fazer ciúme ao pobre garoto (Nhonho costuma agir de forma semelhante fazendo uso de Quico) além de tentar tirar vantagem do garoto obeso ser filho do dono da vila. Em outras situações, costumam disputar a amizade de Chaves e também disputar para quem tem os melhores brinquedos e quem é o melhor nos esportes.

Pópis: Têm uma boa relação entre primos, além do fato de possuírem características semelhantes: São vaidosos e não muito inteligentes, geralmente cometendo gafes e caindo nas armações de outras crianças (assim como acontece com Chaves também). Ambos são extremamente mimados por Dona Florinda, mas como Quico é mais mimado (por ser filho dela), geralmente acaba possuindo melhores brinquedos e adora negá-los a Pópis. Ela por sua vez geralmente toma vantagem dessa situação, sendo a maior aproveitadora dos brinquedos do primo.

Patty: Quico é apaixonado por Patty desde que esta se mudou para a vila e faz de tudo para impressioná-la. Ele e Chaves costumam disputar o amor da bela garota da escada (que inicialmente reside no apartamento do primeiro pátio, mas posteriormente se muda para o pátio do chafariz) da mesma forma que Seu Madruga é apaixonado por Glória, a tia da mesma. Na série animada e em outras mídias esse amor é melhor enfatizado. Apenas em cenas na escolinha, Quico parece não demonstrar interesse nela.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

O primeiro episódio em que Quico se faz presente em Chaves é "A Moeda Perdida", de 1971.

Em 1973, Quico chegou a substituir Chiquinha (María Antonieta de las Nieves, que estava grávida na época e deu à luz uma filha), usando suas falas. Na época, foram criados os personagens Nhonho e Pópis.

Em 1978, Quico saiu do seriado em definitivo. Uma das razões alegadas foi o fato de Villagrán ter brigado com Roberto Gómez Bolaños (criador e protagonista da série), devido ao fato de Quico ter superado Chaves em popularidade. Outra razão teria sido o fato de Villagrán ter namorado Florinda Meza (intérprete de Dona Florinda), que passou a namorar Bolaños (com quem está casada até hoje). Com a saída de Quico, Chiquinha (Maria Antonieta de las Nieves) passou a substituí-lo e entraram dois novos personagens: Jaiminho, o Carteiro (Raúl Chato Padilla) e Dona Neves (também vivida por Maria Antonieta), além de Pópis (Florinda Meza), Nhonho (Edgar Vivar) e Godinez (Horacio Gómez Bolaños) terem ganhado mais importância.

Villagrán criou e atuou em outras séries com o personagem. Ramón Valdéz (Seu Madruga) participou de seu programa em 1981, ¡Ah qué Kiko!, quando Seu Madruga saiu do seriado El Chavo del Ocho.

No desenho animado de Chaves, Quico atua como substituto de Chiquinha[carece de fontes?], que não aparece no desenho.

Bordões[editar | editar código-fonte]

  • "Mamãããããe!" (chamando a sua mãe, depois que o batem ou o desrespeitam)
  • "Você vai ver, eu vou contar tudo pra minha mãe" (ameaça para quando o batem ou o desrespeitam)
  • "Ele me bateu/beliscou!" (quando alguém, na maioria das vezes Chaves, o bate ou belisca. Ele diz isso à sua mãe, que sempre confunda a pessoa com o Seu Madruga)
  • "Sim, mamãe! Gentalha, gentalha!" (depois que a sua mãe o pede para ir para casa e "não se misturar com essa gentalha", ele faz isso empurrando Seu Madruga)
  • "Da parte de quem?" (quando perguntam onde está a sua mãe)
  • "Você Quer?" (a oferecer uma guloseima para Chaves) Chaves responde que sim e ele diz: "Compra!"
  • "Você não vai com a minha cara?" (quando o desrespeitam)
  • "Que coisa, não?" (Quando comete uma coisa sem querer)
  • "Táa legal!" (quando ele concorda com algo, diz isso num tom animado)
  • Professor." (Quico chamando o Professor Girafales quando esse o enforca, o puxando pela argola de sua camisa, mas avisa isso também ao Seu Madruga)
  • "Tá me enforcando/ O senhor tá me enforcando." (Quico avisando o Professor que o estava enforcando, depois desse ser chamado)
  • "Ai, cale(m)-se, cale(m)-se, cale(m)-se, você(s) me deixa(m) loooouco!" (quando alguém fica repetindo alguma coisa e ele se irrita; apesar de ser o "dono" da frase, ela é também repetida em algumas ocasiões por outros personagens, como Chaves e Seu Madruga)
  • "Não deu" (Quando fala algo que não agrada aos outros)
  • Quando lhe perguntam: O que te importa?" Ele diz: "Boca torta!" ou "Coma torta"
  • "Diz que sim, diz que sim, vai… Siiiim?" (persuasão)
  • "Ah-rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr" (choro)
  • "Por isso eu digo que…"
  • "Ah bom, então assim, sim" (frase compartilhada com seu amigo Chaves)
  • "Esperem só até eu ganhar minha bola quadrada!"
  • "Com licencinha..."
  • "O que será que ele/ela quis dizer?" (Quando não entende o que os amigos dizem, também usada algumas vezes por Nhonho e por Seu Madruga no episódio "O Castigo da Escola")
  • "Me chamou de Frederico?" (Ele pergunta quando a sua mãe o chama de Frederico no momento em que ela se zanga com ele)
  • "É que você só me chama de Frederico quando está braba/zangada." (Ele diz isso para a sua mãe quando ela se irrita com ele)
  • "Que mau que eu sou!"

Roupas[editar | editar código-fonte]

Quico sempre esteve com seu terninho de marinheiro e em nenhum episódio ele aparece com outra roupa (somente no episódio de Acapulco e em outras séries que Quico fez parte). Mas uma coisa que Quico sempre mudou foi seu boné:

  • 1972-1973 - O boné do Quico neste ano tinha as seguintes cores: branco,vermelho e azul escuro; usava meias brancas e uma gravata parecendo um laço.
  • 1973 - O boné do Quico nestes anos tinha as seguintes cores: azul marinho, azul claro e vermelho; além da meias brancas e uma gravata nova, mais parecida com a de marinheiro.
  • 1973-1977 - O boné do Quico nestes anos tinha as seguintes cores: amarelo, azul escuro e vermelho; agora as meias passam a ser amarelas.
  • 1978 - O boné do Quico neste ano tinha as seguintes cores: preto, vermelho e amarelo (este boné também é muito usado na série "Ah! Que Quico!"); as meias e a gravata são as mesmas das temporadas anteriores.

Dubladores[editar | editar código-fonte]

No Brasil, Quico foi dublado por Nelson Machado, que é consagrado até hoje pela voz do personagem. Porém, no desenho animado, foi substituído por Sérgio Stern.[2]

Referências

  1. Ator de "Chaves" diz que personagem Quico surgiu no improviso. Folha.com. Página visitada em 29 de novembro de 2010.
  2. Dublador de Kiko explica por que não participou dos episódios inéditos de Chaves (em português). Terra. O fuxico (10 de janeiro de 2014). Página visitada em 23 de maio de 2014.