Édgar Vivar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde fevereiro de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Edgar Vivar
Édgar Vivar como o seu personagem Sr. Barriga.
Nascimento 28 de dezembro de 1948 (65 anos)[1]
Cidade do México
 México
Ocupação Ator
Atividade 1964 - presente
IMDb: (inglês)


Édgar Vivar (Cidade do México, 28 de dezembro de 1948[1] ) é um ator mexicano e médico. [2] É muito conhecido por ser o intérprete dos personagens Senõr Barriga e Ñoño no seriado mexicano El Chavo del Ocho e El Botija em Los Caquitos. Édgar também teve outras participações em programas de Chespirito.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira artística em 1964 e participou de cerca de 40 obras, que compreenderam autores vanguardistas e mexicanos; mas em 1970, quando realizava rádio-teatros, foi chamado por Roberto Gómez Bolaños para participar de seus programas cômicos. Foi então que conseguiu popularidade com os personagens Senhor Barriga, Nhonho e Botijão.

No teatro atuou em "Marcelino pan y vino" onde fazia o Frei Antonio e também atuou em "En Roma el amor es broma" e em comédias musicais como " La casita del placer". Atuou na comédia "Einstein y Picaso en un cafe de Paris" ,onde interpretou Sagot. Em 1976 protagonizou o musical "La Novicia Rebelde" (A Noviça Rebelde), e por mais de seis anos realizou "La Pastorela de Tepoztlán". Além do êxito que alcançou com Chespirito, participou em várias telenovelas, entre as quais se destacam "Mundo de Juguete" e "Alguna vez tendremos alas" (1997), com produção de Florinda Meza, onde fazia o papel de Sebastian Medina. Filmou uma nova versão de "Zapata" que foi dirigida por Alfonso Arau, o mesmo dos filmes "Como agua para Chocolate" e "Calzonzin inspector". No cinema participou de filmes como "¿No Oyes Ladrar los Perros?", "En el Cine", "El Chanfle", "Don Ratón y Don Ratero" e a produção estrangeira "In and Out".

Participou da zarzuela "Luisa Fernanda", em um papel cômico com tons musicais. Com esta zarzuela fez uma turnê por Miami, Boston e outros lugares dos Estados Unidos. Também fez incursões profissionais na música, já que participou de um espetáculo produzido pelo "Teatro de Bellas Artes de México " e na escola de Zarzuela de Madrid onde cantou com Plácido Domingo. Em 2000, trabalhou numa cara produção da Televisa, chamado "Plaza Sesamo 2000" (Vila Sésamo), onde interpretava um personagem chamado Don Boni onde também havia um tema de Edgar chamado "La Radio" que se incluiu neste programa e viajou com o genial "Circo de Noño y el Sr. Barriga", um circo montado por Édgar em 1985. Seu circo tem equilibristas, cães amestrados, contorcionistas e ainda os monólogos de Nhonho e o Senhor Barriga. Em 1997 viajou ao Chile e instalou seu circo no centro comercial de Santiago. Édgar está muito ligado ao Chile porque sua bisavó nasceu na cidade nortenha de Antofagasta.

Em 1998 foi à Argentina com seu circo e se apresentou em Calchaqui e na rua 12 de Outubro, em Quilmes. Retirou-se dos palcos por problemas respiratórios, chegando até a ser internado. Tudo correu bem e em 2001 assumiu um cargo na Associação Nacional de Intérpretes (ANDI), um cargo muito renomado.

Em 2006, ele atuou no filme Bandidas, vivendo o gerente de um dos bancos assaltados pelas protagonistas vividas Salma Hayek e Penélope Cruz - neste filme, em decorrência da morte do dublador Mário Vilela poucos meses antes, seu personagem teve a voz de Gilberto Baroli.

Em 2007 interpretou Dr. Balaban, um cientista paranormal, no filme O Orfanato, de Juan Antonio Bayona.

Em 2008, o ator fez uma cirurgia em Monterrey, no México, para emagrecer através do implante de um marcapasso gástrico.[4] [5]

Além de ator, Édgar Vivar é formado em medicina, mas trabalhou apenas dois anos como médico.[6]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 2003, Édgar Vivar veio ao Brasil pela primeira vez e esteve no programa "Falando Francamente" apresentado por Sônia Abrão no SBT, já em excelente estado de saúde, e onde também recebeu muitas homenagens dos chavesmaníacos, e de boa parte de funcionários da emissora, em especial a apresentadora do Bom Dia & Cia na época, Jackeline Petkovic se emocionou muito ao conhecer o personagem que a fez crescer em vários sentidos pessoais.

Conheceu também no mesmo dia, o seu dublador no Brasil, Mário Vilela, sendo que este dublador veio a falecer de Diabetes no dia 1º de dezembro de 2005.

Ainda em sua visita ao Brasil, o ator declarou que nunca foi amigo de Carlos Villagrán. Carlos assistia a entrevista pela TV e ficou muito chateado porque sempre se considerou um grande amigo de Édgar.

Em 2006, deu entrevista exclusiva à Rádio Jovem Pan, de São Paulo, para falar sobre a vitória do México em seu primeiro jogo na Copa do Mundo da Alemanha, contra o Irã, por 3 a 1[7]

No dia 24 de abril de 2010 esteve no Brasil, com Carlos Villagrán, onde participaram do Programa do Ratinho em uma série de dois episódios. Ambos também estiveram no "2º Festival da Boa Vizinhança" evento destinado a fãs de Chaves e Chapolin, que foi organizado pelo Fã-Clube Chespirito Brasil. A equipe de produção do Pânico na TV presenteou o ator com um cheque ficticio como pagamento de 14 meses de aluguel, ficando extremamente emocionado.

No dia 15 de Setembro de 2011, foi entrevistado pelo programa Agora é Tarde, da Rede Bandeirantes.

No dia 18 de Setembro de 2011, participou do evento 4FunFest que aconteceu no mesmo dia.

No dia 24 de setembro de 2011, esteve em Belo horizonte para participar de uma apresentação de comédia no Teatro Alterosa.

No dia 26 de março de 2012, Édgar foi ao Programa do Ratinho, onde mostrou cenas inéditas do seriado El Chavo del Ocho.

No dia 29 de março de 2012, esteve no programa Agora é Tarde, onde participou do quadro mesa vermelha.

No dia 22 de julho de 2012, Édgar esteve em Porto Alegre-RS, onde apresentou seu show "Seu Barriga é Jovem Ainda", no Opinião (Porto Alegre).

No dia 25 de julho de 2012, o humorista fez uma visita ao Memorial do Sport Club Corinthians Paulista, sendo fotografado, inclusive, com a taça da Copa Libertadores da América de 2012, conquistada pelo Corinthians.

No dia 30 de setembro de 2013, fez um show no Teatro da UCS, em Caxias do Sul.

No dia 14 de maio de 2014, foi entrevistado no programa The Noite com Danilo Gentili e ainda aproveitou para divulgar o seu novo jogo, o '' Chaves Kart ''

No dia 11 de agosto de 2014 esteve ao vivo no aniversário da comediante Tatá Wernec no Programa Tudo Pela Audiência, apresentado por Tatá Wernec e Fábio Porchat.

Dublagem[editar | editar código-fonte]

As vozes da versão brasileira dos personagens de Édgar Vivar foram feitas por:

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • 1970 - 1995: Chespirito, série mexicana de televisão (Botijão em " EL Chompiras, O gordo e papéis diversos)
  • 1973 a 1979: El Chapulín Colorado série mexicana de televisão
  • 1973 a 1979: El Chavo del 8, série mexicana de televisão (Sr. Barriga, Ñoño)
  • 1974: Mundo de juguete, telenovela mexicana escrita pelo argentino Abel Santa Cruz (1915-1995)
  • 1979: El Chanfle, filme de Roberto Gómez Bolaños, com todo o elenco de El Chavo (Dr. Nájera)
  • 1982: El Chanfle II, idem ao anterior (Dr. Nájera).
  • 1983: Don Ratón y don Ratero, filme mexicano de Roberto Gómez Bolaños
  • 1983: El más valiente del mundo, filme mexicano de aventuras
  • 1984: Frankenstein's Great Aunt Tillie, filme cómico estadunidense (Feldwebel Erstarren)
  • 1987: Escuadrón sida, filme cómico mexicano, com Ramón Aguirre
  • 1988: Musica de viento, filme, comédia dramática de Roberto Gómez Bolaños
  • 1992: Gordo, comédia mexicana em curtametragem (19 min.) de Enrique Arroyo (Gordo)
  • 1997: Alguna vez tendremos alas, telenovela mexicana (Sebastián Medina)
  • 1998: ¿Qué nos pasa?, série satírica de televisão (dois episódios)
  • 1998: Navidad fabuloja (programa de televisão de 30 minutos) (Rei mago)
  • 2000: No contaban con mi astucia, programa de televisão mexicano (Édgar Vivar)
  • 2002: De pe a pa, série de televisão mexicana (Édgar Vivar)
  • 2004: El show del vampiro, curtametragem de animação mexicano (voz do vampiro Max).
  • 2005: Amarte así, telenovela mexicana (Don Pedro).
  • 2005: Aplausos, série de televisão mexicana (Édgar Vivar)
  • 2005: Chespirito: 35 años en el corazón de México, programa mexicano em homenagem (Édgar Vivar)
  • 2006: Bandidas, filme com Salma Hayek e Penélope Cruz (gerente do banco)
  • 2007: El orfanato, filme de Guillermo del Toro (dr. Balabán)
  • 2008: All Inclusive, filme chileno (taxista)

Referências

  1. a b Biografia de Édgar Vivar (Em espanhol). Visitado em 01 de dezembro de 2014.
  2. Amanda Serra (14/09/2011). "Preferi ser ator em tempo integral do que médico em meio período", conta Sr. Barriga (em português) Uol.com. Visitado em 30 de novembro de 2014.
  3. Édgar Vivar em Chespirito (em inglês) Chespirito.org. Visitado em 13 de fevereiro de 2012.
  4. 'Seu Barriga', da série 'Chaves', faz cirurgia para emagrecer O Globo (22 de janeiro de 2008).
  5. El actor que interpretó al "señor Barriga" se sometió a una cirugía para adelgazar (em espanhol) Clarín. Visitado em 12 de fevereiro de 2012.
  6. Amanda Serra (14/09/2011). "Preferi ser ator em tempo integral do que médico em meio período", conta Sr. Barriga (em português) Uol.com. Visitado em 30 de novembro de 2014.
  7. [1].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.