Estatura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

A estatura é a medida da altura de um ser humano. As medidas de altura possuem muitas unidades de medida, porém as mais comuns são em metros/centímetros e em pés/polegadas.

Determinantes de crescimento e altura[editar | editar código-fonte]

O estudo do crescimento humano é conhecido como auxologia. Crescimento e altura há muito são reconhecidos como uma medida de saúde do indivíduo. Genética é um fator importante na determinação da altura dos indivíduos, mas é muito menos influente no que se refere às populações. Média é cada vez mais utilizada como uma medida de saúde e bem-estar (padrão de vida e qualidade de vida) das populações. Existe um cálculo para determinar a média de altura final de um indivíduo:

  • altura do pai + altura da mãe + 13 cm (- 13 cm para o sexo feminino) e divide-se o resultado por 2, resultando na altura alvo, subtrai-se 8 cm desse valor e adiciona-se 8 cm ao mesmo para se obter o intervalo da altura final.
  • exemplo (para um indivíduo do sexo masculino):
    178 cm + 165 cm + 13 cm = 356 cm/2 = 178 cm, logo a altura final é de 170 cm a 186 cm.

Diversos fatores como a alimentação, doenças, problemas como obesidade, exercícios físicos, poluição, padrões de sono, clima e até mesmo o estado emocional do indivíduo podem afetar o crescimento. Logo a altura é determinado por uma combinação de genética e fatores externos.

Na passagem da infância para adolescência é um período crítico onde fatores externos, principalmente a alimentação e exercícios físicos têm grande efeito sobre o crescimento.

Exercícios físicos em excesso são desaconselháveis para crianças, pois causam a liberação precoce da testosterona, o que aumenta a calcificação dos ossos, fazendo com que o esqueleto amadureça mais cedo, retardando o crescimento.

Além disso, a saúde da mãe durante toda a sua vida, especialmente durante a gravidez tem um papel a desempenhar. A saúde da mãe durante a gravidez é importante, como é um período crítico para o embrião, apesar de alguns problemas que afetam a altura durante este período possam ser resolvidos, verificando se as condições de crescimento na infância serão boas, tais cuidados podem ou não verificar se haverá problemas de diferentes graus no crescimento dos descendentes.

Ainda assim a relação exata entre altura e alimentação, genética e ambiente é complexa e incerta.

Raça e altura[editar | editar código-fonte]

A população indígena americana, original das planícies, estava entre as populações mais altas do mundo na época. Hoje vários países, incluindo muitos países da Europa, já ultrapassaram a média dos E.U.A, mais notavelmente a Holanda e a Alpes Dinaricos, que hoje possuem respectivamente uma média de 1,83 m e 1,86 m para homens jovens. Dada como uma importante razão para a tendência de aumento da altura em partes da Europa é a adequada nutrição e assistência médica, que são relativamente bem distribuídos. Alterações na alimentação, bem como um aumento geral na qualidade dos cuidados de saúde e qualidade de vida são os fatores citados nas populações asiáticas. A desnutrição é conhecida por causar a baixa estatura nos norte-coreanos, alguns povos africanos, antigos povos europeus, e outras populações.

O povo Dinka, do Sudão, tem sido descrito como o mais alto do mundo, com altura média para os homens de 1,90 m e 1,80 m para as mulheres.[1] Um exemplo notório é Manute Bol, que, com 2,31 m, foi o jogador mais alto da NBA. Os Dinka são caracterizados como tendo pernas longas e o tronco esguio, uma adaptação às condições climáticas quentes.[2] No entanto, um estudo de 1995 suscita dúvidas sobre tal título dos Dinka, em uma nova constatação a altura média dos homens em um único local, seria de 1,76 m [3] .

Adultos do conhecido povo dos Pigmeus têm uma altura média aproximada de 1,50 m.

Processo de crescimento[editar | editar código-fonte]

Crescimento em estatura, determinada por seus vários fatores, resulta do alongamento dos ossos por meio de divisões celulares principalmente regulada pelos hormônios do crescimento (STH), que é segregado pela glândula pituitária. O hormônio opera na maioria dos tecidos do organismo, tem muitas outras funções, e continuará a ser produzido ao longo da vida, com níveis máximos coincidindo com os picos de velocidade do crescimento, e vão gradualmente diminuindo após a adolescência. Durante as duas primeiras horas de sono é quando é produzido a maior quantidade de STH. Exercícios físicos também promovem a secreção. A boa alimentação e a dosagem correta de exercícios físicos são muito importantes para a secreção regular e correta do hormônio .

A coluna é muito importante em determinar a altura final, ela é composta de 33 vértebras, porém somente 24 são permanentemente móveis e nunca se fundirão. Discos de cartilagem estão entre esses ossos, o tamanho dessas cartilagens influencia o comprimento da coluna. Há 22 discos de cartilagem que totalizam 25% da altura.

As pernas e os braços são feitos de osso muito rígido, que quando sofrem tensão suficiente, criam-se lacunas microscópicas. Durante o sono, o tecido ósseo é reparado através de um processo em que as células do tecido, chamadas osteoblastos, sintetizam matriz óssea formada de mucopolissacarídeos, sais de carbonato de cálcio e carbonato de fósforo, fazendo assim com que os ossos aumentem o comprimento.

Anormalidades de altura[editar | editar código-fonte]

Desvios do padrão[editar | editar código-fonte]

A maior parte das variações de altura entre as populações é de motivo genético. Baixa estatura e alta estatura geralmente não são uma preocupação quanto à saúde. Se o grau de desvio do normal é significativo, pode então atribuir o problema a causas externas.

Existem várias doenças e enfermidades que causam anomalias do crescimento, sendo as mais notáveis o gigantismo (muito raro), resultante de alterações na glândula pituitária sofridas na infância, e o nanismo, que tem várias causas. O turco Sultan Kösen é atualmente considerado o homem mais alto do mundo, com 2,51 m. O homem mais alto na história moderna foi Robert Pershing Wadlow de Alton, Illinois, que nasceu em 1918 e chegou a 2,72 m, morreu em 1940. O homem mais alto do mundo que não teve o crescimento causado por nenhuma anomalia é Bao Xishun , com 2,36 m.

O Food and Drug Administration (FDA), em 2003, aprovou o uso do STH como tratamento para os desvios de padrão de altura significativos. Este tratamento consiste em doses STH em pacientes que tem problemas patológicos que impedem ou afetam a produção normal do hormônio.

Decréscimo na fase adulta[editar | editar código-fonte]

Há vários fatores que influenciam na estatura de um ser humano adulto, entre eles postura, doenças ósseas como osteoporose, fratura espinhal e a pressão gravitacional sofrida pela coluna durante o dia, entre outros.[4] [5]

A má postura, por exemplo, pode subtrair de dois a quatro centímetro da altura do indivíduo, isso devido à falta de posicionamento correto do corpo (ereção do troco), levando à altura real do indivíduo a ficar "disfarçada" em virtude do vício postural.[6] Já no caso da pressão sofrida pela gravidade do dia a dia, esta leva uma pessoa a "encolher" em média 125 milímetros (1,25 cm), já que os 23 discos gelatinosos da coluna são em 88% constituídos de água.[4] Por exemplo, uma pessoa que acorda com 170 centímetros, termina o dia com pouco mais de 168.[6] À noite as vértebras voltam a se expandir com o bombeamento de líquidos para a região espinhal.[4] A fratura espinhal pode também diminuir de modo definitivo a altura de uma pessoa adulta entre dois e seis centímetros.[5]

Após os 40, em virtude do encurtamento dos ossos e músculos, perde-se em média, a cada década, um centímetro e meio na altura,[4] [6] e aos 80 a maioria dos homens perdeu em média cinco centímetros de sua estatura, enquanto as mulheres perderam oito.[4] [7] O humorista brasileiro Jô Soares alegou em duas entrevistas (primeiro com Cláudia Raia, depois com Carla Candiotto) que perdeu desde sua juventude quatro centímetros na estatura (de 1,70 metro na juventude foi para 1,66 após os sessenta anos).

Influência da altura no indivíduo[editar | editar código-fonte]

De um modo geral a altura não pode ser atribuída como causadora de melhor saúde e longevidade. Estudos feitos não encontraram nada que sugira que uma altura acima ou abaixo da média, dentro dos padrões normais, esteja associada a uma melhor saúde (Samaras & Elrick, 1999 [8] ). Os que sofrem de gigantismo podem ter vários problemas médicos, incluindo problemas cardiovasculares, devido ao aumento da carga sobre o coração para abastecer o corpo com o sangue, e o aumento do tempo que leva o cérebro para se comunicar com as extremidades. Robert Wadlow, cresceu durante toda sua vida. Em muitas das imagens do final de sua vida, Wadlow pode ser visto quase sempre usando uma bengala de apoio. Sofria de problemas de circulação nas pernas, por serem muito compridas, comprometendo o tato na região, o que o fazia não notar certos ferimentos de imediato, o que causou uma infecção, que acabou causando a sua morte.

Influência da altura no esporte[editar | editar código-fonte]

Altura frequentemente desempenha um papel importante no esporte, Para os esportes onde este poderia ser um fator contribuinte, a estatura específica pode ser útil (embora certamente não em todos os casos), uma vez que em geral está ligada ao sistema de alavancas da biomecânica, influenciando na velocidade de movimento, dependendo também da construção física em geral, aptidão e capacidade individual.
Por último, existem vários desportos onde o tamanho é irrelevante, e outros em que pode variar, sendo um fator específico para determinados cargos.

Basquete[editar | editar código-fonte]

No basquete profissional, jogadores considerados baixos são geralmente bem acima da média de altura em relação à população geral. Os armadores, os menores jogadores, medem cerca de 1,83 m a 1,91 m. A média de altura para os pivôs, os maiores jogadores, é de 2,08 m a 2,18 m, e cerca de 2,01 m para as posições restantes. O longo alcance dos membros proporcionado pela altura elevada é crucial no basquete.

Futebol[editar | editar código-fonte]

No futebol, um goleiro alto têm maior vantagem pois terá uma melhor área de cobertura e poderá saltar e defender chutes altos facilmente, de modo que raramente, ou nunca, vê-se um goleiro de baixa estatura no nível profissional. No entanto, goleiros não muito altos terão mais facilidade em chegar ao chão para defender chutes rasteiros. Nas posições de ataque, altura nem sempre é importante, com alguns dos melhores jogadores do mundo como, Romário e Maradona apresentando baixa estatura e em muitos casos, ganhando uma vantagem com seu baixo centro de gravidade. Altura elevada é geralmente considerada vantajosa para zagueiros e centroavantes.

Futebol americano[editar | editar código-fonte]

No futebol americano, um quarterback alto tem maior vantagem porque tem uma visão mais ampla do campo ao longo dos jogadores da sua linha ofensiva e da defesa dos adversários, tendo melhores condições para um bom lançamento. Wide receivers altos poderão saltar mais alto para receber passes com mais precisão, porém, essa vantagem encontra seus limites quando a demasiada altura comprometer a velocidade e a agilidade, extremamente necessárias para um receptor.

Tight ends geralmente têm mais de 1,93 m, e além de precisarem ter grande massa corporal para bloquear, precisam ser bons receptores, a altura lhes dá essa vantagem, e já que precisam correr rotas mais curtas, não necessitam de muita velocidade. Defensive backs mais baixos são normalmente utilizados devido à sua maior agilidade, como a habilidade de mudar de direções rapidamente.

Os linemen tendem a medir no mínimo 1,85 m e freqüentemente medem mais de 2 m, quanto mais altos maior será a massa corporal que poderão construir e mais eficazes serão em suas funções. Entre os linebackers encontra-se a maior irrelevância de altura no futebol americano, com jogadores de 1,78 m a 1,98 m, já que o principal requisito nessa posição é a combinação de força e rapidez.

Running backs baixos estão em vantagem porque sua menor estatura geralmente os tornam mais ágeis e mais difíceis de alcançá-los em velocidade e derrubá-los com precisão. Além disso, eles podem facilmente esconder-se por detrás dos grandes jogadores da linha ofensiva, dificultando para a defesa ter uma reação no início do jogo. Assim, na NFL e na NCAA, running backs com menos de 1,83 m são mais comuns que exemplares com mais de 1,91 m. Barry Sanders, considerado por alguns como o melhor running back da história do futebol americano, é um exemplo clássico de tal vantagem, medindo apenas 1,73 m. No entanto, Jim Brown, outro running back frequentemente considerado o melhor de todos os tempos, media 1,88 m, demonstrando os benefícios conferidos pelo maior poder e influência que fornece a altura.

Artes marciais mistas[editar | editar código-fonte]

No MMA , lutadores mais altos têm maior vantagem quanto a envergadura e alcance de golpes de trocação. Por outro lado, lutadores mais baixos tendem a ser mais fortes que os adversários mais altos de mesmo peso, e muitas vezes têm maior vantagem na luta agarrada. Fedor Emelianenko, considerado o melhor lutador de MMA de todos os tempos,[9] tem 1,83 m de altura, e os adversários que derrotou são quase que exclusivamente mais altos que ele, sendo o exemplo mais notável Hong-Man Choi, de 2,18 m, derrotado por Fedor por finalização com uma chave de braço.

Natação[editar | editar código-fonte]

Nadadores altos com os braços longos são capazes de alcançar um melhor efeito de alavanca e aceleração na água, e também a resistência a água diminui com o aumento da estatura (ver Número de Froude), reduzindo a intensidade da força de arrasto hidrodinâmico que se opõe ao deslocamento do nadador. Michael Phelps, com 1,93 m, ganhou oito medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 2008. A altura média dos 8 finalistas dos 100 metros estilo livre na final olímpica nos E.U.A foi de 1,96 m. Outro exemplo é Michael Gross, nadador alemão da década de 1980, com 2,01 m, foi ganhador de três medalhas de ouro em Jogos Olímpicos.

Hóquei no gelo[editar | editar código-fonte]

Embora a história da NHL seja preenchida com jogadores mais baixos que alcançaram grandeza (Theo Fleury de 1.65m) e já de estatura média como Martin St. Louis, de 1.75m e Sidney Crosby, de 1.80m, mais tarde, jogadores acima de 1.80m e mais de 90 kg passaram a ser mais utilizados, devido a terem maior alcance e serem capazes de realizar a punição corporal necessária.

Ginástica artística[editar | editar código-fonte]

Na ginástica artística, é vantajoso ser menor. Um baixo centro de gravidade pode dar a um atleta melhor equilíbrio. Um pequeno atleta também pode ter um tempo mais fácil de manipular seu corpo no ar.

Altura adulta média em todo o mundo[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão as médias de altura para adultos por país. (Os estudos originais e as fontes devem ser consultadas para obter detalhes sobre a metodologia e as medidas exatas.)

 

País Altura
média masculina 1.75
Altura
média feminina 1.65
Grupo de idadetoda a populaçao Método Ano Fonte
África do Sul 169,0 cm
(5' 6.5")
159,0 cm
(5' 2.5")
25-64 1998 [10]
Alpes Dináricos 185,6 cm
(6' 1")
170,7 cm
(5' 7.2")
17 [11]
Alemanha 179,8 cm
(5' 10.8")
166 cm
(5' 5.5")
População Inteira [12] [13]
Alemanha 181.3 cm
(5' 11.1")
167 cm
(5' 5.7")
18-19 2010 Erro de citação: </ref> de fecho em falta, para o elemento <ref>
Austrália 178,4 cm
(5' 10.25")
163,9 cm
(5' 4.5")
18-24 Medição [14]
Áustria 179,6 cm
(5' 10.7")
167,1 cm
(5' 5.8")
21-25 Entrevista 1997–2002 [15]
Barein 165,1 cm
(5' 5")
154,2 cm
(5' 0.9")
19+ Medição 2002 [16]
Bélgica 178,0 cm
(5' 10")
166,0 cm
(5' 5.5")
18-24 Medição
Brasil 170,0 cm
(5' 7")
160,0 cm
(5' 3.5")
Adultos (total) Medição 2011-2012 [17]
Brasil 172,0 cm
(5' 8")
160,0 cm
(5' 3")
Adultos (urbano) Medição 2003-2004
Brasil 177,8 cm
(5' 9.75")
167,3 cm
(5' 6")
18 (urbano) Medição 2008-2009
Camarões 170,6 cm
(5' 7.2")
161,3 cm
(5' 3.7")
Adultos (urbano) Medição 2003 [18]
Canadá 174,0 cm
(5' 8.5")
161,0 cm
(5' 3.4")
Adultos Medição 2005 [19]
Coreia do Norte 165,6 cm
(5' 5.2")
154,9 cm
(5' 1")
20-39 Medição 2005 [20]
Coreia do Sul 173,9 cm
(5' 8.7")
161,1 cm
(5' 3.5")
19 Medição 2007 [21]
Chile 171,0 cm
(5' 7.5")
159,0 cm
(5' 2.5")
17+ Medição 2008 [22] [23]
Colômbia 170,6 cm
(5' 7.2")
158,7 cm
(5' 2.4")
18–22 Medição 2002 [24]
R.P.China 172,7 cm
(5' 8")
162,5 cm
(5' 4")
Adultos (urbano) Medição 2008 [25]
Dinamarca 180,6 cm
(5' 11.1")
19 2006 [26]
Catalunha, Espanha 173,0 cm
(5' 8")
164 cm
(5' 4.6")
18 Medição 2004 [27]
Madrid, Espanha 177,0 cm
(5' 9.7")
164 cm
(5' 4.6")
18 Medição 2004 [27]
Estados Unidos 175,8 cm
(5' 9.2")
162,0 cm
(5' 3.8")
20+ Medição 1999-2002 [28]
Estados Unidos 178,2 cm
(5' 10.2")
164,1 cm
(5' 4.6")
20-39 (Caucasianos) Medição 1999-2002 [28]
Estados Unidos 177,8 cm
(5' 10.0")
164,0 cm
(5' 4.6")
20-39 (Afro-americanos) Medição 1999-2002 [28]
Estados Unidos 169,7 cm
(5' 6.8")
158,1 cm
(5' 2.3")
20-39 (Latino-americanos) Medição 1999-2002 [28]
Estônia 179,1 cm
(5' 10.5")
17 [29]
Filipinas 163,5 cm
(5' 4.4")
151,8 cm
(4' 11.8")
20-39 Medição 2003 [30]
Finlândia 178,2 cm
(5' 10")
164,7 cm
(5' 4.7")
15-64 Entrevista 2004 [31]
França 174,1 cm
(5' 8.5")
161,9 cm
(5' 3.7")
20+ Medição 2001 [32]
França 177,0 cm
(5' 9.7")
164,6 cm
(5' 4.8")
20–29 Medição 2001 [32]
Gana 166,0 cm
(5' 6.2")
158,5 cm
(5' 2.2")
25–29 Medição 1987–1989
Grécia 178,1 cm
(5' 10 ")
165.5 cm
(5' 5.2")
18-26 Medição 2006 [33]
Hong Kong 173,4 cm
(5' 8.3")
158,8 cm
(5' 3.0")
19-20 Medição 2005 [34]
Iraque 165,5 cm
(5' 5.1")
155,8 cm
(5' 1.3")
18–44 Medição 1999–2000 [35]
Irão 170,3 cm
(5' 7.1")
157,2 cm
(5' 1.9")
21+ Medição 2005 [36]
Islândia 181,7 cm
(5' 11.5")
167,6 cm
(5' 6")
20 [37]
Israel 175,6 cm
(5' 9")
162,8 cm
(5' 4")
20-22 1980-2000 [38]
Itália 175,0 cm
(5' 9.3")
162,0 cm
(5' 4.2")
20 1994-2000 [39]
Índia 164,5 cm
(5' 4.8")
152,0 cm
(4' 11.8")
20 (urbano) Medição 2005–2006 [40] [41]
Indonésia, Java 162,0 cm
(5' 3.9")
151,0 cm
(4' 11.5")
19–23 Medição 1995 [42]
Jamaica 171,8 cm
(5' 7.6")
160,8 cm
(5' 3.3")
Adultos Medição 1994–1996

[43]

Japão 172,11 cm
(5' 8")
158.84 cm
(5' 2")
25-29 Medição 2008 [44]
Lituânia 181,3 cm
(5' 11.3")
167,5 cm
(5' 5.9")
18 2005 [45]
Malawi 166 cm
(5' 5.3")
155,0 cm
(5' 1.0")
16–60 (urbano) Medição 2000 [46]
Malta 175,2 cm
(5' 9")
163,8 cm
(5' 4.5")
25-34 [47]
México 167,0 cm
(5' 5.7")
155,0 cm
(5' 1.0")
Adultos Medição 1998 [48]
Mongólia 168,4 cm
(5' 6.3")
157,7 cm
(5' 2.1")
25–34 Medição 2006 [49]
Nigéria 163,8 cm
(5' 4.5")
157,8 cm
(5' 2.1")
18–74 Medição 1994–1996

[43]

Nova Zelândia 177,0 cm
(5' 9.7")
165,0 cm
(5' 5")
19-45 1993 [50]
Noruega 179,9 cm
(5' 10.8")
167,2 cm
(5' 5.9")
18-19 [51]
Países Baixos 184,8 cm
(6' 0.2")
170,7 cm
(5' 7.1")
20+ Medição 2008 [52]
Peru 164,0 cm
(5' 4.6")
151,0 cm
(4' 11.5")
20+ Medição 2005 [53]
Portugal 172,9 cm
(5' 8")
162,6 cm
(5' 4.0")
21 1998-99 [54]
Polônia 177,0 cm
(5' 9.7")
19 1995 [55]
Reino Unido 175,2 cm
(5' 8.9")
161,6 cm
(5' 3.6")
16+ 2006 [56]
Reino Unido 176,7 cm
(5' 9.6")
163,7 cm
(5' 4.4")
16-24 2006 [56]
República Checa 180,3 cm
(5' 11")
167,3 cm
(5' 6.0")
18 Medição 2005 [57]
Rússia 176,0 cm
(5' 9.3")
164,0 cm
(5' 4.6")
Adultos Medição 1991–92 [58]
Singapura 170,6 cm
(5' 7.2")
160 cm
(5' 3")
17-25 2003 [59]
Suécia 180,2 cm
(5' 10.9")
167 cm
(5' 5.7")
16-24 [60]
Suíça 178,1 cm
(5' 10.1")
18–21 Medição 2005 [61]
Taiwan 174.5 cm
(5' 8.8")
162.5 cm
(5' 4")
18.5 [62]
Tailândia 167,5 cm
(5' 5.9")
157,3 cm
(5' 1.9")
Adultos 1991–1995 [63]
Turquia 174,0 cm
(5' 8.5")
158,9 cm
(5' 2.5")
18-59 Medição 2004–2006 [64]

Referências

  1. o povo mais alto do mundo
  2. clima Sculpts órgãos
  3. livro Chali D. (1995) "medições antropométricas do Nilotic tribos em um campo de refugiados", etíope Medical Journal, 33, 4 , 211-217.
  4. a b c d e Louise Atkinson (27 de setembro de 2011). Your incredible shrinking body: From your brain to your heart - almost everything gets smaller as you age. Daily Mail. Página visitada em 30 de abril de 2014.
  5. a b Da redação (2010). Stand Tall. Osteoporosis Canada. Página visitada em 30 de abril de 2014.
  6. a b c Da redação (27 de julho de 2011). Sessão de alongamento pode 'aumentar' altura em até 2 centímetros. Programa Bem Estar. Página visitada em 29 de maio de 2014.
  7. Mel Walsh (19 de outubro de 2011). Growing Down: What to Do About Height Loss. Huffington Post. Página visitada em 3 de junho de 2014.
  8. Samaras, TT & Elrick, H. 1999. Altura, tamanho corporal e longevidade. Acta Med Okayama. 53:149 -169
  9. Fedor Emelianenko e eleito segundo enquete o melhor lutador da historia do MMA.
  10. SADHS(1998)
  11. (Full text source is pay, lists the statistics as based on these regions: Dalmatia (Split, Sibenik, Drnis, Sinj, Imotski, Vrgorac) and Hercegovina (Mostar, Trebinje, Konjic) Dynamique de l'evolution humaine 2005
  12. [1] according to the sociodemographic characteristics
  13. Committee for determining the eligibility of young men for military service.
  14. ABS How Australians Measure Up 1995 data
  15. http://www.econ.upf.edu/docs/papers/downloads/1002.pdf The Evolution of Adult Height in Europe
  16. NATIONAL NUTRITION SURVEY
  17. [2]
  18. Kamadjeu RM, Edwards R, Atanga JS, Kiawi EC, Unwin N, Mbanya JC. (2006). "Anthropometry measures and prevalence of obesity in the urban adult population of Cameroon: an update from the Cameroon Burden of Diabetes Baseline Survey". BMC Public Health 6: 228. DOI:10.1186/1471-2458-6-228. PMID 16970806.
  19. 2005 Canadian Community Health Survey 3.1
  20. The Korea Center for Disease Control and Prevention survey of the physical condition of 1,075 North Korean defectors ranging in age from 20 to 39 in 2005, giving an translation of an article from Joongang Ilbo.
  21. Korea.net
  22. Encuesta Nacional de Salud 2004
  23. [3]
  24. A TROPICAL SUCCESS STORY: A CENTURY OF IMPROVEMENTS IN THE BIOLOGICAL STANDARD OF LIVING, COLOMBIA 1910–2002 *
  25. Alvanon Releases Most Extensive Chinese Body Measurement Study With 20,000 People Measured
  26. DST Statistical Yearbook 2007
  27. a b Vall d'Hebron Hospital pediatric study about 18-year-old Spaniards, dated in 2004, and other values mentioned in the article below.
  28. a b c d Mean Body Weight, Height, and Body Mass Index 1960-2002
  29. [4]
  30. 6th National Nutrition Survey
  31. National Public Health Institute (Finland)
  32. a b La taille des hommes : son incidence sur la vie en couple et la carrière professionnelle - INSEE
  33. Papadimitriou A, Fytanidis G, Douros K, Papadimitriou DT, Nicolaidou P, Fretzayas A. (2008). "Greek young men grow taller". Acta Paediatrica 97 (8): 1105–7. DOI:10.1111/j.1651-2227.2008.00855.x. PMID 18477057.
  34. American College of Chest Physicians 2005
  35. http://www.unu.edu/unupress/food/fnb23-4.pdf Relationship between waist circumference and blood pressure among the population in Baghdad,Iraq,Haifa Tawfeek
  36. http://diglib.tums.ac.ir/pub/magmng/pdf/6079.pdf Secular Trend of Height Variations in Iranian Population Born between 1940 and 1984
  37. Icelandic boys, girls
  38. (a study made between the years 1980-2000)
  39. Cacciari et al. 2001
  40. Angus Deaton, 2008
  41. Times of India
  42. Youth Profile in Some Suburban Areas In East Java (Preliminary Survey of The Indonesian Youth Stature at The Fiftieth Anniversary of Indonesia)
  43. a b http://care.diabetesjournals.org/cgi/reprint/21/11/1836.pdf Association of Waist Circumference With Risk of Hypertension and Type 2 Diabetes in Nigerians, Jamaicans, and African-Americans, IKE S. OKOSUN, PHD.RICHARD S. COOPER, MD, CHARLES N. ROTIMI, PHD BABATUNDE OSOTIMEHIN, MD, TERRENCE FORRESTER, MD
  44. Official Statistics by Ministry of Education, Culture, Sports, Science and Technology
  45. 136. Sex and gender differences in secular trend of body size and frame indices of Lithuanians. Tutkuviene J.
  46. B C Msamati, P S Igbigbi; East Afr Med J. 2000
  47. (2003 study. A 2007 Eurostat study revealed the same results - the average Maltese person is 164.9cm (5'4.9") compared to the EU average of 169.6 cm (5'6.7").
  48. Indice de masa corporal y percepción de la imagen corporal en una población adulta mexicana: la precisión del autorreporte
  49. [5]
  50. (page 60) Size and Shape of New Zealanders: NZ Norms for Anthropometric Data 1993****. Based on British norms and their relations to New Zealand values
  51. SSB
  52. Zelfgerapporteerde medische consumptie, gezondheid en leefstijl, Central Bureau of Statistics, 16 March 2009, accessed May 13, 2009
  53. Encuesta Nacional de Indicadores Nutricionales, Bioquímicos, Socioeconómicos y Culturales relacionados con las Enfermedades Crónico Degenerativas 2005
  54. Tendências do Peso em Portugal no Final do Século XX
  55. IngentaConnect Content Not Found
  56. a b Health Survey for England 2006
  57. Blaha et al. 2005
  58. [6]
  59. Deurenberg et al. 2003
  60. Statistiska Centralbyrån
  61. Determinants of inter-individual cholesterol level variation in an anbiased young male sample
  62. Ministry of Education, Republic of China (Taiwan)
  63. Sukhothai Thammathirat Open University-Health Research Project
  64. Secular trend in body height and weight of Turkish adults (2008)

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]